Grevistas fazem contraproposta e aguardam resposta do governo

Após recusarem a proposta do governo estadual de 10% de reajuste salarial e 4,17% de auxílio-alimentação, os professores da rede estadual de Educação ainda aguardam o retorno do governo sobre a contraproposta apresentada pela categoria nessa quinta-feira (17) definida em assembleia. 

De acordo com o diretor de assunto municípios do Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Piauí (Sinte-PI), Fábio Matos, a categoria pede o pagamento do reajuste de 33,24% de forma imediata e retroativa, e 17% referente aos anos de 2019 e 2020 de forma parcelada.

“Nós recusamos a proposta do governo porque ela não contempla as percas salariais dos últimos anos. A categoria recusou e a gente apresentou uma contraproposta para o governo, os 33,24% de forma imediata a partir de abril e retroativo até janeiro e o restante a gente aceita parcelado, parcelar de acordo com as possibilidades do governo”, explicou Fábio Matos.

Nessa quarta-feira (16), o Governo do Estado apresentou para os professores da rede uma tabela salarial com a projeção dos valores de cada classe já com o reajuste salarial proposto à categoria. Todas as classes serão beneficiadas sendo que o menor salário pago será de R$ 3.845,63 e o maior acima de R$ 7.000,00 garantindo pagamento piso para todas as classes e níveis. 

Somado ao reajuste proposto de 10%, será adicionado no vencimento um aumento de 4,17%, referente a incorporação do auxílio alimentação, para todos os ativos e aposentados da categoria.

Ainda segundo Fábio Matos, cerca de 14 mil professores de todo o Piauí aderiram ao movimento grevista. Em Teresina, todas as escolas de tempo integral estão com as atividades suspensas.(Rebeca Lima)

Deixe uma resposta