Mão Santa promete apoio da Prefeitura para alavancar vendas na Cooperativa Artesanal de Parnaíba

O prefeito Mão Santa, junto com os superintendentes de
Turismo, Charles Júnior e o de Cultura, Teófilo Lima, recebeu na manhã de hoje
em seu gabinete, representantes da Cooperativa Artesanal Mista de Parnaíba Ltda.
(Campal), que foram lhe pedir apoio no sentido de conseguirem maior divulgação
dos produtos que ali são expostos à venda e que, atualmente, a procura não tem
sido das melhores. “Atualmente nossas maiores vendas só ocorrem quando
participamos de feiras nacionais, quando atendemos pedidos de clientes”, disse
o presidente da Campal, José Carlos Reis.
                                              Sede da Campal
A Cooperativa, que fica na Rua Pedro II, nº1140, no centro
de Parnaíba, já possui 47 anos de existência e foi criada pela esposa do
ex-prefeito de Parnaíba, João Silva Filho, dona Almira Silva, sendo a primeira no Estado do Piauí. Hoje ela tem como presidente o artesão José Carlos Reis;
secretária, Vanda Maria e Gerente Zequinha Machado.
Na ocasião várias ideias foram expostas, como forma de
ajudar na divulgação da Cooperativa, principalmente para atrair a presença
também dos turistas, incentivando a compra dos produtos que o local oferece.
Para o superintendente de Cultura, Teófilo Lima, por exemplo, a distribuição de
panfletos, folders e camisetas, chamando a atenção de todos para nossos produtos
artesanais, seria uma saída. Ele sugeriu também parceria com a Universidade
Federal do Piauí.
De acordo com o Gerente Zequinha Machado atualmente há um
desvirtuamento com relação à venda dos produtos do artesanato local aos
visitantes. “A gente tem que ter o entendimento para que essas vendas ocorram
na cooperativa, porque hoje estão sendo feitos em agências de viagem, que levam
o produto para lá, quando deveria ocorrer a divulgação do local apropriado, o
que contribui para que haja uma concorrência desleal”, disse Zequinha,
enfatizando: “Atualmente, do jeito que a Cooperativa está, passando um ano para
vender o que se poderia vender em um mês, se houvesse divulgação”.
Foi solicitado que a prefeitura colocasse um funcionário
à disposição da Cooperativa e que também fossem construídas rampas de acesso ao
prédio, que é uma construção antiga que não oferece condições de acessibilidade
para portadores de necessidades especiais.
O prefeito Mão Santa colocou sua equipe à disposição,
lembrando do grande trabalho que foi feito pela fundadora da Cooperativa, dona
Almira Silva e pela sua esposa, dona Adalgisa Moraes Sousa, quando ele foi
governador e ela presidente do Serviço Social do Estado, quando todo o apoio
foi dado ao PRODART – Programa de Desenvolvimento do Artesanato Piauiense. (Sup. de Comunicação – PMP)

Deixe uma resposta