Nota de Repúdio contra perseguição e descontos nos contracheques da educação

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública no Piauí – SINTE/PI, entidade que que representa mais de 30 mil trabalhadores e trabalhadores em educação no Estado, vem a público mais uma vez repudiar a atitude autoritária e radical da governadora Regina Souza (PT) ao efetuar descontos no contracheque dos trabalhadores da educação alegando “faltas”.

O governo do estado se contradiz e nega suas raízes democráticas e progressistas em defesa dos trabalhadores e adota uma postura pior que de governos de direita. Tal atitude desperta mais ainda a indignação e revolta dos servidores ativos e aposentados.

Os trabalhadores em educação estão em greve há 122 dias, empurrados pelo próprio governo que vem desde 2019 massacrando perseguindo os trabalhadores em educação ao não cumprir a Lei Federal Nº 11.738/2008, Lei do Piso do Magistério.

A assessoria jurídica do Sinte-PI ingressou com mandado de segurança, onde o desembargador Joaquim Santana entendeu que esses fatos devem ser decididos no Dissídio Coletivo de Greve, que tem como relator o desembargador Oton Lustosa.

O assunto será pauta da assembleia geral da categoria na próxima quarta-feira (29/06), e a partir das deliberações a assessoria jurídica irá encaminhar as medidas cabíveis nessa situação.

Não admitiremos que gestores e ex-gestores mintam descaradamente para justificar o mal uso dos recursos da educação em favor próprio. Se o governo continuar com essa prática, jamais seremos um estado desenvolvido, porque desenvolvimento se faz com valorização da educação.

Dia 29/06, às 9h no Clube do Sinte tem Assembleia Geral e contamos com todos os trabalhadores da educação. A decisão da Assembleia é soberana.

A GREVE CONTINUA!

Fonte:SINTE-PI

Deixe uma resposta