Palácio do Planalto articula destituição de Marcelo Castro da presidência do PMDB do Piauí

Castro ausentou-se da sessão mas ainda assim deve ser alvo de retaliação

Castro ausentou-se da sessão mas ainda assim deve ser alvo de retaliação

A ausência na sessão de quarta-feira (02) da câmara que rejeitou o pedido de autorização do Supremo Tribunal Federal para processar o presidente Michel Temer por corrupção passiva pode não livrar o deputado piauiense Marcelo Castro da punição que o PMDB vai impor aos que ficaram contra a posição do partido. O líder do PMDB na câmara, Baleia Rossi, anunciou que vai trabalhar para o partido punir cada um dos que traíram Temer caso não deixem o partido. No Palácio do Planalto também está sendo articulada uma retaliação. Um parlamentar piauiense que passou pelo gabinete do ministro da Casa Civil Elizeu Padilha ouviu dele a seguinte declaração: “nós vamos destituir o Marcelo da presidência do partido no Piauí”. Como Castro não tem qualquer ligação com o grupo de Temer – e sim o ex-deputado João Henrique hoje presidente do conselho nacional do Sesi – a ameaça de Padilha não parece ser uma coisa dita da boca para fora. Os próximos dias estão sendo aguardados para se saber quais serão os desdobramentos da votação na câmara.

Deixe uma resposta