Piauí celebra 30 anos da inclusão de mulheres na Polícia Militar

As policiais militares foram homenageadas nesta segunda-feira, 1º, data em que se comemora o Dia Estadual da Policial Feminina. A solenidade foi realizada no pátio do Quartel do Comando Geral da Polícia Militar e contou com a participação da governadora do Estado, Regina Sousa.

Regina Sousa participa de homenagem ao Dia da Policial Militar - GP1

Dia Estadual da Policial Militar Feminina

Há 30 anos, a data foi criada porque marcou a entrada de mulheres da corporação, antes restrita somente aos homens. A capitã Ednilda Maria dos Santos Silva foi uma das primeiras mulheres a fazer parte da PM-PI em 1992, e por isso foi uma das agraciadas com a medalha. 

“Estou muito emocionada. É a mulher ocupando seu espaço na segurança pública. Estou muito feliz por fazer parte da história do Estado do Piauí no tocante à segurança pública”, disse a policial militar.

Outra homenageada foi a cabo Francisca Moreira. Ela lembra quando assumiu o cargo em 1º de agosto de 1992: “Na época não tinha filhos, hoje tenho filhos e netos. Só tenho a agradecer”, afirma a PM, que atualmente está fazendo curso para ser sargento. A PM também homenageou in memorian a cabo Clesia Maria Reis

Data histórica

LEI Nº 10.959 INSTITUI DIA ESTADUAL DA POLICIAL FEMININA • PM/MA - Polícia  Militar do Maranhão

A governadora Regina Sousa disse ainda que a data de hoje é marcante porque foi uma grande conquista. “É o dia em que pela primeira vez as mulheres entraram na Polícia Militar. Como em outros lugares, foi uma grande conquista. Eu, por exemplo, sou da segunda turma de mulheres que entrou no Banco do Brasil”, afirmou Regina, que é bancária aposentada.

A chefe do Executivo lamenta que havia muitos espaços que só eram reservados para os homens. “Nas Forças Armadas não tinha mulher. É uma conquista. E que a gente amplie ainda mais essas conquistas”, finalizou.

No ato, a governadora disse que o momento é importante e merece comemoração. Em seu discurso, afirmou que as mulheres podem estar em qualquer lugar, sabem misturar dor e alegria, têm raça, sonho, fé e percorrem caminhos difíceis. “Merecemos viver sem violência e sem feminicídio”, disse.

 

Deixe uma resposta