Wellington Dias culpa ano eleitoral por “ambiente de guerra” entre Ceará e Piauí

Ex-governador Wellington Dias (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

O ex-governador do Piauí Wellington Dias (PT) usou as redes sociais nesta segunda-feira (13) para falar sobre o litígio entre Ceará e Piauí por terras da região da Serra da Ibiapaba, na divisa entre os dois estados. O Piauí reivindica na Justiça parte do território de 13 municípios que hoje pertencem ao Ceará e nos últimos meses a disputa ganhou repercussão. Para Wellington, estão criando um ambiente de guerra entre o povo dos dois estados, fato que atribui ao ano eleitoral.

“É falso e perigoso o ambiente de guerra que estão criando entre o povo do Piauí e do Ceará. Os piauienses e cearenses são e serão povos amigos e com bom senso nas importantes decisões. Cabe às autoridades sentarem para o diálogo. Lamentável que em mais um ano de eleição se faça deste tema o foco de disputas”, escreveu o petista.

O litígio entre Piauí e Ceará é secular e divide opiniões de políticos e historiadores. O lado piauiense solicitou ao Supremo Tribunal Federal (STF) o reconhecimento de 2,8 mil km² do território cearense como sendo do Piauí. Cerca de 25 mil cearenses seriam afetados, já que os municípios devem ser praticamente divididos ao meio e parte dos seus territórios passaria a ser do estado do Piauí. Um estudo do Exército mostrou que as terras que devem ser definidas como piauienses abrangem um território ainda maior.

Ao condenar o “ambiente de guerra” por conta do litígio, Wellington Dias, que governou o Piauí por quase 16 anos, lembrou que o governo piauiense encaminhou uma proposta ao Ceará, ainda na gestão do então governador cearense Cid Gomes (PDT). A proposta prevê a regularização das terras sem perdas de equipamentos públicos para nenhum estado.

“Basta ver a proposta que o Piauí aprovou e que encaminhou ainda em diálogo com o governador Cid Gomes e as duas procuradorias e garante regularização da área de litígio sem nenhum Estado ‘perder’ qualquer cidade, aeroporto, escola ou hospital”, escreveu Wellington.

Apesar dessa proposta mencionada pelo ex-governador, foi o estado do Piauí quem entrou com ação no STF reivindicando o território que hoje pertence ao Ceará.(Gustavo Almeida)

Deixe uma resposta