Com quase 600 mil “faltosos”, Sesapi reforça necessidade da dose reforço contra a Covid-19

Um levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) mostra que 591.382  mil pessoas com idade a partir dos 18 anos, que tomaram a primeira e segunda doses (esquema primário completo), não retornaram para a dose de reforço no prazo recomendado pelo Ministério da Saúde.

Com o novo cenário de desobrigação do uso de máscaras em espaços abertos no Piauí, à vacinação contra a Covid-19, organizada pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e pelas 224 secretarias municipais, ganha um papel ainda mais importante. Mais de  91,03% da população está com a cobertura vacinal completa, com duas doses ou a dose única, mas muitos não compareceram ainda aos postos de saúde para a aplicação da dose de reforço,que aumenta a proteção contra o vírus.

 “A vacinação tem sido a principal estratégia de prevenção de saúde pública para conter os casos de Covid-19, contribuindo para a diminuição do número de mortes e dos casos mais graves da doença e orientando a tomada de decisões por parte do Estado, como a flexibilização no uso de máscaras. Por isso, aqueles que estão em falta com esta dose precisam fazer esse reforço”, ressaltou o secretário de Estado da Saúde, Néris Júnior.

 Segundo ele, o avanço na cobertura vacinal da dose de reforço vai permitir mais avanços no uso de máscaras no estado. “No momento, a orientação da Sesapi é manter o uso de máscaras, em ambientes fechados, naqueles municípios que não atingiram 60% de imunização da dose de reforço. Daí a importância dos municípios avançarem cada vez na aplicação do reforço”,  diz o gestor.

Até o momento, 52,21% da população elegível tomou a terceira dose da vacina contra Covid-19. Em relação à segunda dose de reforço, o número chega a 7,41%. No Piauí, a Sesapi já autorizou à aplicação, por parte dos municípios, da 4ª dose para pessoas acima de 60 anos e profissionais da saúde, que tenha recebido a terceira dose com quatro meses ou mais. 

Deixe uma resposta