Eleições no Piauí e os espalhadores de mentiras

As eleições de 2022 no Piauí – sim, estamos falando de Piauí – têm tudo para ser vergonhosas no quesito mentira, fake news. A pré-campanha já está sendo e nenhum dos principais pré-candidatos combatem esse tipo de prática abjeta. Só o fazem da boca pra fora.

É nojenta a quantidade de espalhadores de mentiras e fofocas que atuam em grupos de WhatsApp. Impressionante como algumas figuras passam dia e noite em grupos espalhando boatos, montagens grosseiras, matérias tendenciosas de sites militantes e fazendo ilações. Passam todo o tempo inventando fuxico contra os políticos que eles não gostam [ou que não os pagam] e puxando o saco daqueles que, de alguma forma, lhe$ agradam.

Em Teresina, vários desses espalhadores de mentiras são conhecidos e, em muitos casos, recebem pra isso. Eles ainda se acham “celebridades dos grupos de Whats” e se sentem importantes na cidade, como se fossem influenciadores do debate público. Na verdade, não passam de puxa-sacos, serviçais de políticos, desocupados de atividades sérias.

Os pré-candidatos, que tanto falam em combater fake news, assistem à atuação desses charlatões sem nada dizer. Só dizem quando a mentira não lhes convém, ou seja, quando ela é negativa para eles. Quando é no rumo do adversário ou de pessoas próximas ao adversário, nada falam e acham muito bom ver o conteúdo mentiroso circular.

Se essa situação já está nojenta agora, vai ficar bem pior cada vez que a eleição se aproximar. Os pré-candidatos só vão provar que são contra fake news quando rechaçarem, de verdade, a atuação desses espalhadores de mentiras, mesmo quando a mentira lhes for benéfica. Não adianta ter indignação seletiva quando o assunto é fake news espalhada por puxa-sacos. (Gustavo Almeida/Lupa1)

Deixe uma resposta