Em evento de filiação, Partido dos Trabalhadores recebe cinco deputados

Partido dos Trabalhadores recebeu em evento de filiação nesta manhã (15) cinco novos nomes para compor a chapa que concorrerá à eleição este ano. Chegam à legenda os deputados estaduais Flávio Nogueira Júnior, Firmino Paulo, Janaína Marques e Oliveira Neto; e o deputado federal Flávio Nogueira. O evento contou com a participação de lideranças partidárias e do governador Wellington Dias.

Foto: Tárcio Cruz/O Dia

Os parlamentares chegam em meio a um cenário de resistência por parte de algumas alas do partido, que alegam que eles não possuem afinidade e identificação com a legenda. Com estas cinco filiações, o PT se torna um dos maiores partidos dentro da Assembleia Legislativa (Alepi) e a base de sustentação para a candidatura de Rafael Fonteles ao Governo do Estado.

O governador Wellington Dias, principal articulador da chegada dos deputados, agradeceu a compreensão dos petistas e salientou que as filiaçãoes favorecem um ambiente maior de estabilidade na base aliada. “Sou grato ao Partido dos Trabalhadores para que se receba neste momento líderes de outros partidos e em um mesmo campo político possamos atuar nas eleições de 2022. O resultado deste esforço também será na ampliação na bancada na Assembleia e na Câmara Federal. Com uma maior representatividade trabalharmos em um ambiente favorável no projeto que defendemos” disse o governador. 

Para o deputado federal Merlong Solano, a chegada dos novos nomes ao PT não significa exatamente uma renovação, mas se trata mais de uma “situação especificamente conjuntural”. O parlamentar não acredita em divisão no partido e revelou que irá conversar com as lideranças insatisfeitas.

“Eu encaro mais como uma situação especificamente conjuntural diante da importância de levar Lula de volta à presidência e de manter o projeto liderado pelo governador Wellington Dias agora sob o governo Rafael Fonteles. O partido sofre uma adaptação que acho que é temporária”, disse Merlong.

Merlong Solano acredita em uma situação especificamente conjuntural – Foto: Tárcio Cruz/O Dia

O parlamentar acrescenta que os novos nomes que chegam ao PT podem vir a se tornar lideranças “legitimamente petistas” e torce para que haja interação de parte a parte no sentido de viabilizar uma convivência duradoura. Questionado sobre se se sente ameaçado pela chegada de Flávio Nogueira ao partido, Merlong foi contundente ao afirmar que não, e que um deputado que tenha muito voto pode contribuir para que o PT amplie o número de vagas na Câmara Federal. (O Dia)

Deixe uma resposta