Professores recusam reajuste do Governo do Piauí e greve é mantida

Paulina Almeida presidente do Sinte-PI

Paulina Almeida presidente do Sinte-PI

Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Estado do Piauí (Sinte-PI) realizou assembleia nesta quinta-feira (17) e a categoria docente recusou a proposta do Governo do Estado de reajustar os salários dos professores em 10% e em 4,17% no auxílio-alimentação.

A informação foi confirmada ao GP1 pela presidente do sindicato, Paulina Almeida. Com a recusa da proposta salarial, a categoria dos trabalhadores da Educação resolveu manter o movimento grevista, que já dura 36 dias.

Atualmente, a demanda dos docentes é o reajuste de 33,23%, que foi oficializado pelo Governo Federal, em fevereiro deste ano.

Entenda a proposta do Governo do Estado

Segundo a proposta do Governo do Estado, todas as classes serão beneficiadas, sendo que o menor salário pago será de R$ 3.845,63 e o maior acima de R$ 7.000,00, garantindo pagamento piso para todas as classes e níveis.

Assim, somado ao reajuste proposto de 10%, será adicionado ao vencimento um aumento de 4,17%, referente a incorporação do auxílio alimentação, para todos os ativos e aposentados da categoria. A primeira classe A, nível I, sai de um salário de R$ 2.910,32 para R$ 3.845,63, reajuste de cerca de 32%. Para as demais classes, o reajuste soma 14, 58%.

 

Deixe uma resposta