Júlio Arcoverde provoca Marcelo Castro em postagem do senador: “Fumo”

O senador piauiense Marcelo Castro (MDB) anunciou na noite desta segunda-feira (18) que vai apoiar a candidatura de Lula (PT) já no 1º turno, contrariando a pré-candidatura da senadora Simone Tebet, que é do MDB, ao Palácio do Planalto. Marcelo Castro e outros 10 líderes estaduais do partido se reuniram nesta segunda com Lula em São Paulo e acertaram o apoio ao ex-presidente. O senador fez o anúncio em suas redes sociais.

No entanto, um comentário na postagem de Marcelo chamou atenção. Enquanto apoiadores demonstraram apoio à decisão do senador, o deputado estadual Júlio Arcoverde (Progressistas) aproveitou a postagem para alfinetar. Ele comentou: “Fumo”.

Marcelo respondeu vários comentários, mas não rebateu a provocação de Arcoverde. Alguns dos seus apoiadores rebateram o deputado.


Postagem de Marcelo Castro com comentário de Júlio Arcoverde

Um petista no MDB
Considerado um “emedebista vermelho”, Marcelo Castro nunca escondeu sua ligação com as gestões do PT. Nos últimos 20 anos ele só ficou contra o PT durante alguns meses em 2014, quando ensaiou uma candidatura ao governo estadual e passou a fazer críticas ao partido de Lula. Porém, viu sua candidatura não vingar depois que o então governador Zé Filho impôs que disputaria a reeleição pelo MDB, inviabilizando Marcelo, que voltou aos braços do PT.

Três meses depois
No mês de abril deste ano, esta coluna publicou artigo intitulado “Marcelo Castro: um discurso em Brasília e outro no Piauí”. O texto chamava atenção para o fato de Marcelo dizer em entrevistas em Brasília que seguiria seu partido e votaria em Simone Tebet para presidente da República, enquanto no Piauí fazia campanha junto com o PT afirmando fazer parte do “time do Lula”. O texto colocava em xeque a coerência do senador.

No dia seguinte, Marcelo entrou em contato com a coluna contestando a publicação. Com seu estilo paciente e educado, Marcelo disse, naquela ocasião, que em seus 40 anos de vida pública o que mais preza é justamente pela coerência. Ele garantiu que em qualquer lugar, fosse em Brasília ou no Piauí, se um jornalista o perguntasse sobre apoio para presidente, ele responderia o nome de Simone Tebet, pré-candidata do seu partido.

“Eu digo isso não é só aqui em Brasília não. Se me perguntarem aí no Piauí eu direi também”, afirmou o senador destacando que seu discurso era o mesmo em todo lugar. Ele garantiu que só apoiaria Lula se Tebet não chegasse ao segundo turno. Sobre o fato de mencionar o “time do Lula” em eventos no Piauí, o senador argumentou que, na verdade, menciona a expressão “este é o time do Lula” e não “eu sou do time do Lula”.

Exatamente três meses depois, Marcelo Castro mostra que não deveria ter contestado aquela publicação que colocava a coerência do seu discurso em xeque.(Gustavo Almeida)

Deixe uma resposta