Páscoa Como os espíritas devem comemorar?

Para a doutrina espírita a páscoa não tem o significado que outras doutrinas derivadas do cristianismo primitivo. O fato de Jesus ter vivido a humilhação e as tragédias no dia da páscoa, nós compartilhamos o sentimento de compaixão, ternura pelo mestre incomparável. Mas para a doutrina espírita não dá um significado religioso igual ao que outras doutrinas do cristianismo atribui.
*Divaldo Franco nos relata um pouco sobre a Páscoa*:
“Para nós espíritas, profundamente cristãos, essa semana é a história da tragédia da humanidade, porque Jesus foi condenado injustamente.”
No que diz respeito à libertação conquistada pelo povo judeu, de acordo com a visão espírita, pode ser interpretada de um ponto de vista mais abrangente, em relação à renovação de ideias e atitudes, possibilitando o surgimento de um novo homem como conseqüência da reforma íntima.
Os próprios discípulos foram transformados pelos ensinamentos de Jesus, e receberam uma grande comprovação de amor do Mestre, quando se manifestou em espírito a esses seguidores, que tiveram um papel muito importante na divulgação de seu Evangelho, provando que a vida continua além do túmulo e o Cristo prosseguiria com seu trabalho de auxílio à Humanidade.
Vale a pena comemorar a Páscoa, buscando a conexão com o amigo Jesus,  sintonizando sua presença dentro do coração, não apenas nessa ocasião, mas todos os dias. Ele sempre estará atento ao nosso chamado, guiando nossos passos.
Um dos momentos mais bonitos de Jesus após voltar da ressurreição é quando Maria Madalena vai abraçá-lo e ele pede para que ela não faça aquilo, porque segundo informações, ele teria ido a regiões inferiores para buscar Judas.
Faça como Jesus nesta semana, ajude o seu próximo, aproveite esse feriado fazendo algo semelhante ao que o homenageado faz. Não precisa de muita coisa para deixar alguém feliz, às vezes somente uma palavra amiga é o suficiente.
*Divaldo Franco*
FONTE:  Divaldo Franco, Pascoa na Visão Espírita

Deixe uma resposta