Material escolar é caro por causa dos impostos. Confira o tamanho da carga

              
                 Conversei com alguns pais que estavam em busca de material escolar mais barato no supermercado. E todos eles foram unânimes na reclamação de que de ano para ano, o aumento é absurdo.
Todos culpam as escolas. Um deles disse que que o custo do material das duas filhas estava em R$2.200,00.
É bom esclarecer alguns pontos sobre nosso incansável trator dos impostos.
Os comerciantes pagam entre 30% e 40% em impostos sobre material escolar
O cálculo é a partir das alíquotas do PIS, Cofins, IPI e ICMS.
E não é só isso, porque após apurar o lucro, as empresas ainda pagam contribuição social e imposto de renda.
O IPI varia de 0 a 20%, por produto. O PIS tem carga tributária de 1,65% e a Cofins, de 7,6%.
Já a alíquota média do ICMS praticada pelos estados é 17%, com algumas     exceções, como em Minas Gerais, onde o caderno escolar, entre outros produtos, paga 12% de imposto, e o Paraná, onde a alíquota também é de 12% para produtos como canetas esferográficas e lapiseiras.
Lamentável como nossos governantes tratam a educação. Sem sequer elaborar um exame como o Enem de forma correta, avançam nos impostos sobre itens básicos que podem alavancar uma sociedade.

Fonte- Jose Nello Marques

Filha de governador do século 19 tem pensão de R$ 15 mil/mês

      
 
                                         Catharina da Luz, 89, filha de Hercílio Luz, que governou Santa Catarina por três mandatos na República Velha (1889-1930), recebe atualmente R$ 15 mil por mês dos cofres públicos, segundo o jornal Folha de S.Paulo. Desde 1992, ela é beneficiada por uma lei complementar do Estado que concede a pensão para viúvas e filhos de ex-governadores. Hercília é a última filha de Hercílio Luz ainda viva. O governador, que morreu em 1924, teve 19 filhos. Até 2010 ela foi dona de um cartório em Florianópolis.
A lei que garante os pagamentos prevê uma pensão para filhos de ex-governadores com menos de 18 anos ou que sejam inválidos. O governo de Santa Catarina não informou se Hercília recebe a pensão por se enquadrar no último caso. O governador dá nomea um dos principais pontos turísticos de SC, a ponte Hercílio Luz, em Florianópolis.

Dilma faz reestreia em palanque pela 1ª vez após a posse

       

Depois de passar as três primeiras semanas de governo praticamente trancada em seu gabinete, no terceiro andar do Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff faz sua reestreia em palanques e participa de inauguração. Amanhã, Dilma estará em terreno oposicionista, para a comemoração do aniversário da cidade de São Paulo, organizada pelo prefeito Gilberto Kassab (DEM). 
Na quinta-feira, a presidente irá a Porto Alegre participar da homenagem às vítimas do holocausto. A sua volta ao palanque está marcada para sexta-feira, na cidade gaúcha de Candiota, estado onde Dilma tem sua história política e onde o PT desbancou o PSDB e voltou ao poder. Diferentemente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que “inaugurou” muitas “pedras fundamentais”, a presidente sobe ao palanque para inaugurar a usina Candiota III, que já está operando desde o início do ano.

Seduc disponibiliza edital para Gerente Regional

Como parte de estratégia de fortalecimento e melhoria da educação pública estadual, o governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Educação e Cultura (Seduc) vai realizar processo seletivo para preenchimento dos cargos em comissão de Gestor de Gerência Regional de Educação (GRE).
O edital vai ser disponibilizado a partir das 10 horas, desta segunda-feira (24), pelo site seduc.pi.gov.br, em conformidade com o decreto governamental nº 14.385, de 12 de janeiro de 2011.
Podem participar do certame apenas servidores efetivos ativos ou inativos da área de educação do Governo do Estado. Os selecionados ocuparão o cargo em comissão pelo período de 2 anos, sendo permitido uma recondução, a critério do secretário de Educação.
Trata-se de uma seleção regionalizada e o interessado deve indicar, no ato da inscrição, qual região disputará a vaga. Quanto ao processo seletivo, este será realizado por meio de análise curricular, entrevista e análise de uma proposta de intenções, com julgamento nos termos estipulados no Edital
Por Ana Maria Costa (Ccom)

Quando a velhice chegar….

      Eu velho? Ih!!!Ainda falta muito para a velhice chegar…
Quanto medo sentimos desta simples palavra, talvez porque ela traga consigo a sensação de impotência diante do relógio disparado lá atrás, no ventre de nossas mães. A contagem que um dia fora progressiva se torna, agora, regressiva. É o tempo e suas histórias, contadas com lapsos de memória.
     Ah! Esse tempo que insiste em correr vai trazendo a autoridade de conhecimento e levando de mansinho  a energia, o vigor e até mesmo a crença no amor e nas pessoas.
      É a velhice, ou melhor, a infância às avessas.Afinal, quem de nós não se lembra do tempo em que perguntávamos aos nossos pais várias vezes a mesma coisa e, apesar de estarmos sendo chatos, ainda ouvíamos que éramos uma “gracinha”.
      Fomos crescendo, priorizando perguntas, articulando respostas, lutando pela vida e, de repente, não nos demos conta de que o nosso passado continua presente e toma forma no comportamento de nossos idosos: nossos avós, pais, tios, que nos carregaram no colo, nos ampararam na queda e vibraram com nossas conquistas, agora  fazem três, quatro vezes a mesma pergunta e por isso são considerados “gagás”.
     Entre a vaga lembrança que eles começam a demonstrar, pela perda maciça de células nervosas (durante toda a vida perdemos, diariamente,  uma média de 50 a 100 neurônios) está a falta de afeto, de respeito, compreensão, e, sobretudo, de consideração por parte da própria família.
     O pior é que esta perda é cientificamente comprovada e não podemos alterá-la logo.Um dia nos encontraremos com o nosso algoz e do qual nem cirurgia plástica, nem maquiagem poderão nos livrar: a velhice!
      O que me pergunto é: o que faremos, ou melhor, o que farão conosco quanto este tempo chegar? Aceitaremos ser tratados como entulhos?Teremos que ser as babás de nossos netos, bisnetos, noras e genros, para termos um lugar para ficar? Ou para os velhos, que precisam de cuidados, o melhor é colocá-lo num asilo? Qual será o preço  da nossa negligência e omissão?
     O dinheiro nunca substituiu o afeto; um teto não significa um lar e, cuidado, carinho, não é só dar banhos e remédios; é não excluir o idoso do seio familiar como se fosse possível excluir de nossas vidas a nossa própria origem.
      É uma vergonha precisarmos de um Estatuto do Idoso que garanta o direito à vida, a quem nos trouxe a ela. Mas, talvez, seja o remédio  amargo que tenhamos que tomar. E se assim tem que ser, particularmente espero que seja um remédio o eficaz.


(*) Osíria Fernandes

Dois bilhões de Lula

      Um leitor do Blog do Claudio Humberto publica hoje na “bronca geral” um comentário deveras interessante, sobre a fortuna que o ex-presidente Lula conseguiu amealhar nesses 8 anos de presidente:

“Informação do The Economist,de que a fortuna do ex-presidente está em torno de 2 bilhões de reais nos deixa pasmado, pela clara contradição do que Lula sempre pregou, na defesa dos pobres, na forte tributação das empresa e no combate à corrupção.
       Estará tudo isso declarado no Imposto de  renda?E ainda que esteja, quais são as origens de tantos reais?
Informações como essas, muitas vezes, nos passa despercebidas, mas são muito graves, principalmente em se tratando de um ex-presidente que ainda pretende repetir as suas pretenções”.
A “bronca” é assinada por Carlos Esteves, do Rio Branco(AC).

Bolsa palestra

Lula perdeu o salário de presidente e deixou de ter suas despesas pagas pelo governo, mas a partir de março ganhará R$ 200 mil por cada conferência
Simone Iglesias e Márcio Falcão, Folha de S. Paulo
Fora do poder, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva passou a conviver com uma situação financeira diferente daquela a que se acostumou nos últimos oito anos. Acabaram as mordomias e contas pagas pelo governo.
Para engordar o orçamento, Lula começará a fazer palestras em março. Até lá, escolherá a dedo os eventos que lhe interessam.
Já confirmou presença no aniversário de 31 anos do PT, em fevereiro, em Brasília. Ele voltará a ser presidente de honra do partido, mas sem remuneração pelo cargo.
Lula também é esperado para o Fórum Social Mundial (6 a 11 de fevereiro), no Senegal – sua primeira viagem internacional pós-Planalto.
Estima-se que o cachê de Lula por palestra deva superar R$ 200 mil (os convites são mantidos em sigilo).
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) ganha cerca de R$ 90 mil por evento e faz em média 30 palestras por ano.
Pela declaração de renda da campanha de 2006, Lula está em situação financeira confortável.
Seu patrimônio era de R$ 839.033,52, sendo R$ 474.586,17 em aplicações bancárias. Atualizado pela inflação, o valor chegaria hoje a R$ 1.036.921,51.

A esculhambação das aposentadorias

Blog Balaio do Kotscho
A cada dia somos surpreendidos por novas revelações sobre esta esculhambação geral em que se transformou a aposentadoria vitalícia dos governadores, embora a Constituição de 1988 tenha eliminado as pensões para ex-presidentes da República.
A lei? Ora a lei… Pelo que estamos sendo informados, cada Estado fez a sua própria lei e teve gente que criou uma em benefício próprio, como o ex-deputado estadual Humberto Bosaipo (DEM), que governou o Mato Grosso por apenas dez dias e recebe R$ 15 mil de aposentadoria por mês.
Os casos se multiplicam pelo país: segundo levantamento da Folha, já são 135 beneficiados entre ex-governadores e viúvas, em 18 Estados, o que representa um gasto anual de mais de 31 milhões de reais e permitiria incluir mais 38 mil famílias no Bolsa Família.
Teve cidadão que governou por apenas 39 dias no Paraná, presidentes de Assembléias Legislativas que assumiram interinamente durante as viagens do titular, um outro que recebe duas pensões vitalícias porque o Estado do Mato Grosso foi dividido.
Tem de tudo, ninguém quer ficar de fora da boquinha. A campeã é a viúva de Leonel Brizola, Marília Guilhermina Martins Pinheiro, que acumula as pensões do Rio de Janeiro e do Rio Grande do Sul, totalizando R$ 41 mil.
Agora, já tem até ilustres figuras do atual Senado, daquelas sempre muito preocupadas com a moralidade pública, como o franciscano Pedro Simon, ex-governador do Rio Grande do Sul, e o tucano Álvaro Dias, do Paraná, também querendo a sua parte.
Fonte- blog do Noblat

Haddad tenta explicar porque tomou pau de novo no enem

A cada vez que Fernando Haddad, ministro da Educação, concede uma entrevista, sou tomado da tal “vergonha alheia”, quando a gente sente o constrangimento em lugar do outro. Agora há pouco, lá estava ele para dizer que as dificuldades de acesso ao Sisu não se deveram:
– à Internet;
– à estrutura;
– ao aplicativo.
Certo!
Então deve ter sido coisa da Madame Min ou da Maga Patalógika. O Enem deu pau em Haddad de novo!

Por Reinaldo Azevedo

Sem delongas

Governador Wilson Martins(Imagem:Divulgação / GP1)Governador Wilson Martins

A Secretaria de Comunicação divulgou nota ontem informando que o governador Wilson Martins aceitou pela manhã o pedido de exoneração do diretor-geral do Instituto de Assistência Técnica de Extensão Rural (Emater), Chico Filho. Como se sabe, o auxiliar do governador foi preso na quarta-feira pela Polícia Federal, por determinação da Justiça Federal, sob a acusação de estar envolvido num esquema de desvio de recursos públicos quando foi prefeito de Uruçuí.

Quando tomou conhecimento da “Operação Geleira”, o governador estava em Brasília. E abordou a questão com muitos rodeios, alegando, em resumo, que era prudente aguardar o desfecho do caso. A nota divulgada ontem deixou claro, avalio, que, se o ex-deputado e ex-prefeito Chico Filho não pede para sair do governo, ele sairia da prisão direto para seu cargo no Emater.

O governador Wilson Martins perdeu uma chance de ouro de mostrar a força de seu pulso e a firmeza de seu governo. Sua atitude deveria ser a de antecipar-se ao pedido do presidente da Emater e exonerá-lo sem delongas, para deixar patente que não será tão leniente com os desmandos na administração pública quanto foi o seu antecessor.

Diante do que houve, porém, não será surpresa se o governador convidar para o lugar de seu aliado Chico Filho o seu irmão gêmeo e sósia, Zé Nordeste, prefeito de Canavieira, ou qualquer outro nome que ele venha a indicar. Francamente!
autor -Zozimo Tavares

Câmara de Enfrentamento ao Crack será instalada nesta sexta

   Reunião com gestores: Segurança, PM, CCom e outros
                                                                  Reunião com gestores: segurança, PM, Ccom e outros
A Câmara de Enfrentamento ao Crack será instalada pelo governador Wilson Martins nesta sexta-feira (21), a partir das 9 horas, no Palácio de Karnak. Trata-se de uma ação integrada reunindo entidades públicas e privadas, com o objetivo de combater a disseminação do crack e apoiar os dependentes em sua recuperação.
A Câmara contará com o envolvimento das faculdades públicas e particulares, Ministério Público, Tribunal de Justiça e secretarias estaduais, como Saúde, Educação, Segurança, Justiça, Polícia Militar, Esportes, Cultura, Defensoria Pública, Ordem dos Advogados do Brasil e igrejas católicas e evangélicas no combate às drogas, principalmente o crack.
O governador, que falou do projeto ao ministro Alexandre Padilha, durante audiência em Brasília, na quarta-feira (19), disse que essas entidades formarão um fórum para discutir os problemas e as estratégias de combate ao crack, bem como os meios de tratamento de viciados.
PS: Quero acreditar que esta medida do governador Wilson Martins  seja pra valer, porque este é o tipo do assunto onde não cabe demagogia e nem remendo. Ah! Não esqueçam de colocar Parnaíba dentre os beneficiários de primeiro momento(bsilva)
                   Por: Izabel Cardoso (Ccom)                                                                                                                  
                         Foto: Kalberto Rodrigues

Cem dias de perdão

É tradição conceder aos novos  governantes 100 dias de graça até que eles se ajeitem na cadeira e consigam mexer os seus próprios pauzinhos.Nesses 100 dias, espreita-se, prescruta-se, ensaia-se e costuma-se anistiar os novatos, mesmo quando não estão batendo um bolão.

A presidente Dilma ainda está longe de completar os seus primeiros 100 dias e muitas pessoas tendem a beatificá-la previamente pelo simples fato de ter substituído o toque diário da corneta auto-glorificadora de seu antecessor por um decoroso e salutar silêncio.Convenhamos: aquela rouquidão de palanque repetindo dia após dia a ladainha megalomaníaca de amor à própria voz, já estava passando um pouco dos limites-inclusive passando dos limites da lei em vários episódios da campanha eleitoral.
Alguma alma sarcástica e impiedosa postou dias atrás em seu perfil no Twitter que “a maior obra de Dilma Roussef, até agora, foi ter calado a boca de Lula”.
A piada é implacável,mas ainda assim uma piada.
Como nos explicaram exaustivamente durante a campanha eleitoral, esse não é um novo governo: é de fato o início do nono ano de uma mesma gestão,onde o titular se retira provisoriamente de cena, por contingências legais, e é substituído por um alter-ego que ele mesmo criou e a quem deu o sopro da vida.
Por essa razão, embora ainda não tenham passado os 100 dias de graça, já é possível esquadrinhar diferenças e semelhanças entre a gestão que se encerrou e a que se inicia. 
Postado no blog do  Ricardo Nobart

Imprensa Nacional repercute caso das pensões no Piauí

Após a matéria “No Piauí há 11 ex-governadores ou respectivas viúvas que recebem pens��es” publicada no blog do jornalista Pedro Alcântara no180graus. O Estadao.com repercutiu o caso das pensões para ex-governadores e suas respectivas mulheres no Estado.
 
Confira a matéria na íntegra:
No Piauí, privilégio banca até pensão de ex-mulher
No Piauí, o caso que mais chama atenção é o dos ex-governadores Hugo Napoleão do Rego Neto (83/86) e Antônio de Almendra Freitas Neto (91/94) que usam a pensão vitalícia para o pagamento de pensão alimentícia para suas ex-mulheres.
Outro caso polêmico é o dos quatro ex-governadores que não tiveram nenhum voto e recebem a pensão vitalícia. João Clímaco D”Almeida (70/71), Djalma Martins Veloso (78/79), José Raimundo Bona Medeiros (86/87) e Guilherme Cavalcante Melo (94/95) exerceram os mandatos por menos de um ano. Eles eram vices e assumiram os mandatos nos casos de renúncia do governador para disputar outro mandato.
Um trabalhador em condições normais precisa contribuir por 35 anos para a Previdência Social para ter direito a uma aposentadoria. No caso desses ex-governadores, o benefício foi concedido por menos de um ano de trabalho, e sem contribuição.
ACÚMULO
Existem ainda casos de familiares que requereram duas aposentadorias para o mesmo beneficiário e outro que pediu a equiparação do benefício ao salário de um desembargador, algo em torno de R$ 26 mil. Atualmente o salário do governador do Piauí é pouco mais de R$ 12,3 mil.
A Procuradoria Geral do Estado está tentando junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) acabar com o pagamento das pensões vitalícias dos ex-governadores alegando a inconstitucionalidade do pagamento do benefício.
Segundo informações da Procuradoria, a viúva do ex-governador Alberto Silva, Florisa Silva, requereu a pensão da pensão, e foi negada prontamente em parecer do procurador.
O Governo do Piauí paga pensão a ex-governadores ou a seus familiares desde a década de 1970. De lá até 1997, quando o benefício foi extinto, o Piauí teve dez governadores: João Clímaco de Almeida, Alberto Silva (71/75 e 87/91), Dirceu Arcoverde (75/78), Djalma Martins Veloso, Lucídio Portela Nunes (79/83), Hugo Napoleão do Rego Neto (83/86), José Raimundo Bona Medeiros, Antônio de Almendra Freitas Neto (91/94), Guilherme Melo e Mão Santa (95/2001). “
Fonte: 180 graus.com

Novo estilo

Mudou o estilo de governo. Sai o BBB de Lula, todo dia na TV, entra “Onde está Wally” de Dilma. Tem que procurar para achar a presidenta.
 O comentário acima é do jornalista Claúdio Humberto que, de certa forma, é uma resposta a um vazio que eu vinha sentindo nos noticiários da TV.Como o Poder Legislativo está de recesso, as pautas dos noticiários estariam concentradas  no Executivo. Nos tempos de Lula não tinha uma noite em que ele não fosse mostrado discursando,em inauguração de ambulâncias(sic), aniversário de bonecas, ou coisa que o valha. Agora mudou.
 Isso é bom?!!!
Não tô entendendo
Até há bem pouco tempo o que eu sabia é que políticos é que viviam soltando presos, como é o caso de alguns vereadores de Parnaíba. Não é, vereador Geraldinho?
Agora tá tudo mudado. São os próprios políticos os presos(vide operação geleira, da PF)
Outra
Com a disposição do governador Wilson Martins de começar moralizar a questão dos aluguéis de carros para o governo do Estado, dizem que nos tempos do PT(de filiados honestíssimos) um certo empresário de Teresina começou alugando 8 carros. Hoje tem uma frota de 279 veículos. Como se deu o milagre? Da mesma forma que simples bancários viraram milionários da noite para o dia. Perguntem ao Wellington Dias e ao Assis Carvalho, ora!!!

Governo e ONG estimulam geração de renda no litoral

                                  
George Rebelo
George Rebelo
O projeto de apoio à criação de atividades geradoras de renda para os agricultores familiares das comunidades do litoral do Piauí, executado pelo Governo do Estado em parceria com a ONG italiana Cospe, já conta com quatro canoas operando na rota do cavalo marinho, no povoado Barra Grande, município de Cajueiro da Praia. As canas serão utilizadas no trabalho da pesca e na condução de turistas.
Com recursos de R$ 84 mil, o projeto adquiriu também coletes salva-vidas, promoveu o georeferenciamento de quatro roteiros turísticos e investiu em equipamentos e utensílios de apoio ao Restaurante das Marisqueiras, além de atuar na divulgação, através de folders, catálogos e colocação de placas de sinalização.
O articulador de Turismo Rural na Agricultura Familiar, da Secretaria do Desenvolvimento Rural (SDR), George Hamilton Rebelo, destaca ainda a instalação no local de uma unidade demonstrativa para cultivos de mariscos, a capacitação de mulheres marisqueiras e o investimento em pesquisa e monitoramento, o que considera importante para o desenvolvimento do projeto.
O objetivo, segundo George Rebelo, é contribuir com o desenvolvimento socioeconômico das populações tradicionais do litoral do Piauí, valorizando o respeito ao ecossistema e as formas de organização social tradicionais, fomentando as atividades integradoras de renda para as famílias que vivem em Barra Grande, através da valorização dos produtos típicos da agricultura familiar local e a promoção do turismo sustentável.
Por Francisco Leal – Ccom
Foto- Francisco Leal
                                                                
                      

Prefeito não foi eleito para roubar

A Operação Geleira deflagrada no Piauí nesta quarta-feira (19/1/11) pela Polícia Federal e Controladoria-Geral da União (CGU) investiga pelo menos oito prefeitos que estariam desviando recursos federais há mais de dois anos. Prefeitos piauienses estão sempre em Brasília de pires na mão e chorando miséria, mas a PF e a CGU acusam o conluio com o crime daqueles que mais deveriam zelar pelos municípios. Ou os prefeitos se tornam prefeitos  de fato ou começarão a ser vistos cada vez mais com total desconfiança. Eles não foram eleitos para roubar. Eles foram eleitos para ajudar a melhorar a vida coletiva e pública.  A Operação Geleira deve servir de exemplo aos que pretendem no futuro fazer promessas de campanha, mas já estejam cheios de más intenções. Chega de prefeitos que só querem meter a mão!
Mauro Sampaio (Brasília)

Piauí, chega de esperar pelo cacique político de plantão

*Francisco das Chagas Mourão Filho

Há décadas, pelo menos três, ouço a classe política piauiense falar em projetos de desenvolvimento para o nosso Estado. Entra governo, sai governo e continuamos a ler nos jornais que “talvez o governo atrase o pagamento do funcionalismo público”. A pergunta é: até quando nos depararemos com estas manchetes? Até quando o servidor e os empresários piauienses ficarão à mercê de governos? Até quando a folha de pagamento do Estado será motivo de notícia nas rádios de Teresina?

O Brasil cresceu muito nos últimos dez anos. O governo Lula foi sábio ao continuar a política econômica do governo Fernado Henrique Cardoso (1995-2002). O País inteiro vive um momento muito bom, de crescimento econômico, oportunidades de emprego surgindo com bastante intensidade em várias regiões. 

Mas, e o Piauí? Será que estamos inseridos nesse contexto ou, mais uma vez, vamos ficar vendo o País desfrutar desse momento e não tiraremos proveito? O governo Wellington Dias surgiu como uma esperança para o Estado, mas o que se viu ao final dos seus quase oito anos de mandato foi um Estado ainda totalmente dependente de recursos federais. 

Aliás, a total ausência de projetos que tirassem o Piauí dessa situação foi criticada pelo próprio presidente Lula, ao passar um pito público no governador numa cerimônia oficial, enquanto víamos Ceará, Pernambuco e Maranhão serem contemplados com investimentos bilionários em refinarias e portos. Enquanto isso, ainda discutimos quando serão finalizadas as eclusas de Boa Esperança, os famosos Platôs de Guadalupe e o já antológico Porto de Luís Correia. 

Agora surge o governador Wilson Martins falando em “projetos estruturantes” e “choque de gestão” na administração estadual. Nota-se perfeitamente o governador bem intencionado, mas esse desenvolvimento do Piauí não será possível sem o apoio de todos os setores, da administração pública ao empreendedor. 

E qual a razão disso? O empreendedor é um indivíduo que busca oportunidades, planeja, executa, corre riscos, mas sabe que, ao final, os resultados virão. Esse tema já é bastante discutido em países europeus e nos Estados Unidos, mas somente por volta dos anos 1990 chegou ao Brasil. Até porque, nos anos 1980, vivíamos uma situação falimentar, com o País deixando de honrar compromissos internacionais. Ou seja, era um momento difícil para empreender. 

Agora, a situação é completamente diferente: o pais está crescendo, há crédito na praça e as pessoas estão partindo para montar seus próprios negócios. E é por aí que passa o desenvolvimento do Piauí. Claro que o Governo Federal e o Congresso Nacional precisam ajudar o País com uma reforma tributária urgente, que resolva o problema da carga tributária, que  tem reprimido qualquer ação empreendedora. 

Outro problema a ser discutido no Congresso é a flexibilização das leis trabalhistas. Não falo em retirar direitos dos trabalhadores, já tão achacados em nosso País, mas em discutir-se uma nova realidade trabalhista para o Brasil, a fim de adequar-se ao momento que vivemos.

Chega de esperarmos pelo cacique político, pelo velho contracheque em troca de votos, pela ação única dos poderes públicos. Passou da hora de agirmos, Piauí. 


*Francisco das Chagas Mourão Filho é Administrador da Advocacia-Geral da União, professor da Faculdade Piauiense e Consultor de Recursos Humanos e Empreendedorismo. 
 

Iapep, o problema

 Flávio Nogueira: desafio para resolver os graves problemas no Iapep

O novo presidente do Iapep, Flávio Nogueira, está às voltas com uma situação grave e séria, que precisa ser urgentemente enfrentada, se de fato ele quiser resolver o problema central do órgão que passará a comandar a partir de fevereiro. As contas de cada mês sempre fecham no vermelho porque os recursos obtidos através dos descontos dos servidores públicos estaduais, não são repassados para a autarquia, ficando retidos na conta única da Secretaria de Fazenda. Em números, o Plamta, por exemplo, arrecada em torno de R$ 7,5 milhões mensais e gasta mais de R$ 6 milhões somente com despesas de órteses, próteses, internações e cirurgias. Como o dinheiro não fica na conta do Iapep, os atrasos nos pagamentos dos procedimentos são constantes e os usuários são obrigados a conviver com os maus tratos e má vontade de médicos e hospitais ao atendê-los. Uma fonte da área médica informou à coluna que existem muitos abusos praticados por profissionais gananciosos que chegam a colocar até 20‘molas’ em uma única cirurgia de crânio. Sabendo-se que o preço de cada uma das tais molas (uma espécie de válvula que é colocada no cérebro) é R$ 6 mil, uma cirurgia chega a custar a astronômica quantia de R$ 120 mil. Não custa lembrar que o SUS paga, pela mesma cirurgia, módicos R$ 1 mil, em nada justificando que o Plamta pague seis vezes mais caro que o Governo Federal e quase três vezes o que pagam os planos privados. Some-se a este tipo de sangria, a indústria de liminares que obrigam o plano a quebrar as carências e autorizar tratamentos caríssimos, ainda não homologados, havendo decisões que fizeram o plano pagar tratamento quimioterápico experimental específico para casos de câncer de ovário, só que o beneficiado era homem. Deste jeito fica difícil imaginar uma solução em curto prazo. Mas se não for para fazer apenas política eleitoreira a nova gestão do Iapep pode mudar esse estado de coisa. Pode sim.

Fonte- Portalaz (Arimatea Azevedo)