Professores da rede estadual do Piauí decidem manter greve mesmo após decisão judicial

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica Pública do Piauí (Sinte), informou que irá continuar com a greve nas escolas estaduais do estado. Na semana passada o desembargador, Oton Mário José do Tribunal de Justiça do Piauí decretou a ilegalidade da greve, tendo em visto que os alunos já foram bastantes prejudicados por conta da pandemia.

“A situação é de desvalorização total. Certamente, nossa categoria, em assembleia, é soberana para decidir como ficará a nossa luta, que é tão difícil. Mas haveremos de ser vencedores. O ilegal nessa história toda é o Governo do Piauí, que não cumpre a lei do piso”, comentou a presidente do Sinte, Paulina Almeida.

A categoria exige um reajuste de 33,24%, conforme definido pelo Governo Federal, mas foi aprovado na Assembleia Legislativa do Piauí um reajuste de somente 14,17%. O movimento começou dia 23 de fevereiro com a adesão de cerca de 23 mil trabalhadores no Estado, segundo o sindicato da categoria.

Segundo a decisão, o movimento grevista é ilegal, pois não se encontram preenchidos os requisitos da Lei de Greve, bem como em razão de se tratar de serviço público essencial. A multa por descumprimento é de R$ 10 mil por dia.

Deixe uma resposta