Sec. de Saúde de Parnaíba participa de discussão sobre DSTs no Carnaval




                                                                    
 Dra. Ivalnete Beltrâo, secretária de Saúde de Parnaíba, estará em Teresina na próxima sexta feira (11) para participar de discussão sobre a campanha de combate às doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), no Carnaval 2011.
Trinta municípios do Piauí estarão reunidos em Teresina, na manhã da próxima sexta-feira (11), para discutir a campanha de combate às doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), no Carnaval 2011. A iniciativa é da Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi), através da Coordenação de (DSTs) e acontecerá a partir das 9 horas, na Escola Fazendária. Cidades como Floriano, Parnaíba, Água Branca, São Raimundo Nonato e Uruçuí já confirmaram presença na reunião.

De acordo com a coordenadora Estadual de Doenças Sexualmente Transmissíveis, Sandra Cunha, os municípios que vão participar da reunião são os considerados endêmicos pelas autoridades de Saúde. “São 25 municípios que têm tradição em realizar festa de Carnaval, e com isso há maior quantidade de pessoas e aumenta a probabilidade de contaminação”, afirma.
A reunião objetiva traçar o planejamento para a campanha do Carnaval, que em 2011 tem como foco as mulheres entre 15 e 20 anos e vai estimular o uso do preservativo, além de orientar para que realizem diagnóstico após um possível ato sexual sem o uso de preservativo. Além da Secretaria da Saúde, a Coordenadoria Estadual da Juventude também participará da reunião com os municípios. “Os jovens da Cojuv se comprometeram em fazer o lançamento da campanha estadual para o Carnaval, e nós da Sesapi vamos formar essa parceria”, explica Sandra. O lançamento do Carnaval estadual 2011 será definido a partir da reunião no dia 11(Jornal da Parnaiba).

Atentai bem, Mão Santa: Wellington Dias na tribuna

O senador Wellington Dias (PT-PI) inicia o mandato 
marcando presença na tribuna. Depois do discurso inaugural feito logo na abertura dos trabalhos legislativos, o petista piauiense voltou a usar da palavra nesta segunda-feira (7/2/11) para tratar da visita ao Piauí do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e de outros temas governamentais. Nesse ritmo, logo alcançará os mais de mil discursos do ex-senador Mão Santa (PSC-PI). Atentai bem! (foto: Waldemir Barreto/AS)
Por Mauro Sampaio

Condenados, denunciados e inelegíveis fazem a “farra dos DAS” no Governo de Wilson Martins

Ernani Paiva Maia é um dos muitos nomeados para cargos de confiança que foram denunciados a justiça ou estão inelegíveis. Outros, condenados pela Justiça, Estadual ou Federal, e que foram inabilitados, também foram agraciados com DAS no Governo Wilson Martins. Você vai conhecê-los a partir de hoje em reportangens do Portal GP1.

O ex-prefeito Ernani de Paiva Maia, de Santa Filomena (966 km de Teresina), nomeado em 06 de janeiro de 2011 (publicação no Diário Oficial em 10/01/2011), Superintendente de Organização do Sistema de Saúde das Unidades de Referência da Secretaria de Saúde do estado do Piauí, foi denunciado em ação penal à Justiça Federal pelo procurador da Republica, Tranvanvan da Silva Feitosa, por crime contra a Lei das Licitações (8.666/93). A ação foi ajuizada no dia 17/01/2011 e distribuída a 1ª Vara Federal em 20/01/2011, a ação recebeu o nº 860-78.2011.4.01.4000.

Ernani de Paiva Maia, já foi alvo de representação criminal na Justiça Federal por crime de desobediência. Art. 330 do Código Penal Brasileiro e aceitou proposta de transação penal em 30/11/2010. A transação Penal é cabível em crimes de menor potencial ofensivo e é prevista na Lei 9.099/95. (GP1)

Alem do fato
       Desse jeito não dá mesmo pra acreditar no que diz Wilson Martins no quesito moralidade administrativa. Tanta gente boa podendo ser convocada para prestar serviço ao Estado e sõ convidam políticos velhos, de práticas carcomidas, que sõ pensam em dar contracheques para familiares.Desse jeito  o progresso chega aqui nunca….

O Caos

Alguém precisa comunicar urgentemente ao governador Wilson Martins – se é que ele já não saiba – que o assunto mais recorrente nas rodas políticas e de formadores de opinião é sobre a quebradeira financeira do Estado. Secretários e outros gestores do próprio governo se mostram escandalizados com a situação de penúria de suas pastas. Em algumas secretarias falta dinheiro até mesmo para comprar o mais elementar da limpeza, o papel higiênico, por exemplo. O governo, passado mais de um mês da nova gestão, não faz repasses das verbas de custeio para a manutenção dos órgãos que ficam impossibilitados de executar suas missões. Todos reconhecem que Wilsão recebeu o Estado numa situação de insolvência financeira das mãos do ex-governador Wellington Dias, ficou calado durante a campanha eleitoral porque dependia fundamentalmente do apoio do ex-governador e de seu partido, mas não se compreende o seu atual silêncio. Até se tem a impressão que a única meta do atual governo é pagar a folha de pessoal todos os meses. Os auxiliares do governador perdem precioso tempo recebendo os fornecedores que buscam os pagamentos atrasados, sem terem como honrar tais compromissos feitos pelos antecessores. Isso sem falar nos hospitais que não podem prestar um bom serviço por falta de material, nos carros da polícia (militar e civil) sem pneus e combustíveis e, para piorar, vem aí o início do ano letivo que vai pegar a Secretaria de Educação totalmente depenada. É bem verdade que essa crise não foi gerada pelo governador Wilson Martins, mas sua omissão em denunciar os responsáveis, pode levá-lo a situação de cumplicidade.(Portalaz)




Diga-se de passagem, com tanto nêgo que  serviu ao governo do PT e enrolado ate a alma,  aboletado agora no governo do PSB, o governador Wilson Martins corre riscos inimaginãveis. WDias não dorme tranquilo (BSilva)

Piauí ainda pode ser sub-sede da Copa de 2014, diz Silvio Leite

Empresários e membros do governo se reuniram na manhã dessa segunda-feira (7) para discutir a proposta de construção de um hotel design, ou seja, um residencial com serviços hoteleiros na cidade de Parnaíba.
Para que o hotel e residencial sejam construídos é necessária a liberação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). O local adquirido pelos empresários está localizado ao lado de em uma área tombada e o desejo do grupo é a construção de um hotel vertical, ao contrário do que aconselha o Iphan.
A representante do Instituto, Claudiana Cruz,  esteve na reunião para ouvir as propostas e ver o projeto.
A arquiteta responsável pelo projeto, Laíse Rodrigues, afirma que o patrimônio não será destruído.“O patrimônio localizado no entorno do local onde será construído o hotel será preservado. Nada da história da cidade vai ser destruído” afirmou.
O prefeito de Parnaíba, José Hamilton, vê com bons olhos o projeto e se mostra bastante otimista e garante que todo o cuidado será tomado para que seja respeitado o que existe.
“Parnaíba está consolidada como a porta de entrada do turismo no Piauí. E para ser melhorada precisa de investimentos. Vamos respeitar o nosso patrimônio histórico sem esquecer o desenvolvimento do estado” disse.
Além da melhoria na estrutura para o turismo local, a copa de 2014 é um dos principais motivos para a construção deste investimento. O Piauí ainda sonha em ser uma das sub-sedes do mundial.
De acordo com Silvio Leite, Secretário de Turismo do Piauí, a melhora no sistema hoteleiro é um grande passo para receber os turistas na Capa do Mundo.
“Sem uma hotelaria de qualidade no nosso litoral, não vamos aproveitar a chance de ser sub-sede na Copa de 2014. Temos que trabalhar duro em cima disso, nos empenhar, que tudo dará certo” declarou.
José Hamilton afirma ainda que não só a área de hotéis está sendo melhorada como a aviação também.
“Estamos agilizando com as empresas para tratarmos dos vôos internacionais que posarão em Paranaíba. O projeto é que possam desembarcar com segurança no Piauí cerca de 300 passageiros em cada vôo. Temos que consolidar Parnaíba como porta de entrada da Rota das Emoções”.
A idéia da construção do resort partiu de uma parceria entre o grupo português Luseiros e o grupo italiano Boa Vista, representados na reunião por Vitório Rodrigues e Hugo Cavin. O desejo principal do grupo é melhorar a estrutura do turismo do litoral piauiense. Serão investidos cerca de 30 milhões na construção do hotel que, se aprovado, deverá ser concluído antes de 2014.
“Esse é o primeiro empreendimento deste porte a ser construído no Piauí. O grupo possui hotéis em São Luís e Fortaleza e falta Parnaíba para fechar o projeto da Rota da Emoções. Os visitantes do estado necessitam de um hotel que proporcione conforto para quem visitar o estado, por isso queremos investir nesse negócio” afirmou Vitório Rodrigues, diretor operacional do Hotel Luzeiros (Emanuela Pinto – AcessePiaui).

A crise entre Zé Hamilton e Zé Filho

                                     

                                             Prefeito de Parnaíba Zé Hamilton
     Mais uma vez o Ceará dá o exemplo a quem quiser seguir. Lá, diferentemente daqui, as forças políticas estão brigando agora para que o presidente da empresa administradora da Z.P.E daquele Estado seja Ciro Gomes, que pode ter todos os defeitos do mundo  mas jamais abriu mão de uma boa briga em defesa das coisas de interesse dos cearenses. Até Tasso Jereissati, que não morre mais de amores pelo antigo pupilo, defende o nome de Ciro. “Estão fazendo é um rio, próximo ao porto do Pecém, para viabilizar a Z.P.E”, disse o prefeito José Hamilton ao proparnaíba.com.

          Aqui, o vice- governador do Estado, Moraes Sousa Filho e o ex- vereador de Parnaíba, Mirócles Véras, querem que a sede da Z.P.E. de Parnaíba seja em Teresina. “Qual é o empresário que vai entender isso,  uma Z.P.E, da Parnaíba com sede em outra cidade, a 360 km daqui?” – pergunta o prefeito, acrescentando: “fizemos a nossa parte e o município continua aberto, disposto a ajudar no que for preciso, desde que não exista nenhum interesse em projeção pessoal de quem quer que seja”.
          O prefeito José Hamilton ironizou a informação do vice governador Zé Filho de que o Banco do Nordeste já havia colocado 400 mil reais destinados à urbanização área onde será a sede da Z.P.E. “Isso é um grão de areia no oceano, mas vamos acreditar que aqueles que assumiram a exclusividade da obra, executem-na, como é do interesse dos parnaibanos”.
Outros investimentos
      Perguntado sobre as obras anunciadas no final do ano passado, da construção da orla do rio Igaraçu e a reforma do complexo cultural do Porto das Barcas, o prefeito foi taxativo:”Os recursos para essas obras ficaram direcionadas no ano passado para o Governo do Estado,  que deveria elaborar o projeto, com a aquiescência do município. Se foi feita ou não a licitação, não posso informar, mas espero que as pessoas de Parnaíba que fazem parte do staff do governador estejam acompanhando isso.”
Zé Filho conciliador
      No início do ano, ouvi o vice-governador Moraes Sousa Filho todo conciliador, convidando o vice-prefeito  Florentino Neto e a imprensa, presentes a uma solenidade na Câmara de vereadores, para que sentassem-se à mesa para discutir Parnaíba. E conclamou a união de todos “para pensar grande”.
       É isso que a Parnaíba espera do vice-governador, um político ainda jovem, que domingo fará apenas 41 anos de idade: que pense macro; deixe o seu passado de homem público nada recomendável e assuma posturas que dê orgulho a seus filhos e munícipes. Picuinhas não cabem em ações de políticos modernos, arrojados, em quem o parnaibano, de uma forma ou de outra vem apostando, dano-lhe um mandato de vereador, um de prefeito e, agora, um de vice-governador.
De volta ao passado
        No IAPEP informaram-me hoje, ao renovar meus cartões de associado, que as novas carteirinhas só chegarão entre 20 ou 30 dias. E é um documento simples, feito no computador, que mesmo aqui em Parnaíba eram confeccionados. Agora têm que ser feitos em Teresina, demorando um mês para ficarem prontos. Culpa de quem? Uma máquina de Xerox que existe lá, não funciona há tempos e ninguém conserta. Não tem dinheiro.
       No Posto de expedição de carteiras de identidade, o problema é idêntico.  Não mais se recebe o documento na hora, como era até bem pouco tempo. Expedem apenas 40 carteiras por dia, e demoram mais de 15 dias para retornarem de Teresina.Como no passado, antes do governo Mão Santa. É muito atraso. E ninguém, lá pras bandas da capital,  levanta a voz por nós, aqui do interior. É uma lástima!
Êita rasteira!!!!
          Além de deixarem o rapaz trabalhando sem portaria, sem receber dinheiro, agora nomearam um substituto pra ele. Falo do Sérgio Ricardo, diretor do SINE, nomeado em julho pelo então candidato a vice-governador Moraes Sousa Filho.
           Sérgio era da TV Delta e foi demitido em junho, no mesmo dia em que eu. Aderiu à candidatura de Zé Filho e ganhou o emprego. Agora colocaram outro no lugar dele.

Lobão aguarda o relatório do ‘apagão’

Sponholz

                                              
O ministro Edison Lobão (Minas e Energia) espera receber um relatório nesta segunda-feira (7), a respeito do apagão que atingiu sete estados do nordeste na madrugada de sexta (4). De acordo com o ministro, o documento deverá ser entregue em uma reunião que terá com representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica e órgãos responsáveis pela distribuição de energia no Rio de Janeiro.

Sarney tenta agora virar patrono da reforma politica

Retratado no noticiário ora como símbolo das mazelas do Senado ora como abre-alas da invasão fisiológica ao setor elétrico, José Sarney quer mudar de assunto.
O tetrapresidente do Senado disse ao ministro José Eduardo Cardoso (Justiça) que vai constituir um grupo suprapartidário para elaborar projeto de reforma política.
Não especificou datas, mas deu a entender que tem pressa. Quer finalizar uma proposta antes do início do recesso parlamentar do meio do ano.
No segundo semestre, deseja levar a reforma a voto. Por que a correria? Sarney alega que é preciso aproveitar o embalo do início da gestão Dilma Rousseff.
Segundo o raciocínio do morubixaba pemedebê, se ficar para 2012, a reforma política não sai. Ou se faz no primeiro ano ou não se faz, diz Sarney.
Para não partir do zero, Sarney recomendará à comissão que recupere nos arquivos do Congresso projetos já apresentados sobre a matéria, compilando-os.
A iniciativa chega nas pegadas da mensagem em que Dilma expôs ao Legislativo as prioridades de seu governo para o ano de 2011.
O texto foi lido pela presidente há seis dias, em sessão presidida por Sarney. A certa altura Dilma disse, sob aplausos:
“Trabalharemos em conjunto com essa Casa para a retomada da agenda da reforma política”. Animada com as palmas, ela repetiu a frase.
Todos os presidentes do Brasil pós-redemocratização, incluindo o próprio Sarney, prometeram coisa parecida. E a reforma jamais saiu.
Nessa matéria, qualquer mudança que se pretenda profunda e séria tem de contrariar interesses dos parlamentares incumbidos de votá-la.
A coisa  sempre começa como um tour-de-force (expressão de origem francesa que significa grande esforço) e termina num enorme tor-de-farsa.(blog do Josias)

Volta ao passado

O Piauí retrocedeu, nas últimas eleições, a, pelo menos, 40 anos. A partir da base de apoio montada pelo ex-governador Wellington Dias, a situação elegeu os dois senadores, nove de 10 deputados estaduais e 25 dos 30 deputados estaduais. E depois da eleição, dois dos eleitos pela oposição, usando meias palavras, já bandearam para o bloco governista. Hoje, a bancada governista na Assembléia é maior, proporcionalmente, do que na época da ditadura militar, quando a oposição consentida, abrigada no MDB, elegia três ou quatro deputados estaduais. Naquela época, a oposição não tinha vez nem voz. Os oposiocionistas eram verdadeiros heróis e seus nomes ficaram gravados na memória de muitos que foram seus contemporâneos ou acompanhavam a política por gosto ou obrigação.
          Gente como Severo Eulálio, Chico Figueiredo, Elias Prado, Nogueira Filho e outros poucos deixaram um legado de coragem e bravura, destemor e determinação. Todos tiveram vários mandatos e nenhum ficou rico. Ainda vivo, Elias Prado é testemunha dos tempos difícies, como conta numa preciosidade de Deoclécio Dantas, publicada há dois anos, relatando como era a vida dos que ousavam – é esse o termo mesmo – ter a coragem de disputar contra os candidatos oficiais. No interior, coitado de quem se metia a apoiar publicamente a oposição.
          Pois bem, o mundo gira , a lusitana roda e chegamos a 1982, quando a ditadura voltou a permitir ao eleitor votar em candidatos a governador. Ali, a oposição havia ganho o reforço de uma ala dissidente da situação, liderada pelo então senador Alberto Silva. Graças a isso, a oposição foi vitaminada e elegeu 10 deputados estaduais. Foi quando surgiram nomes como Tomaz Teixeira e Deoclécio Dantas, que herdaram dos heróis de antanho- alguns deles ainda na ativa, então – o apego à luta e o respeito pelos eleitores. A partir daí governo e oposição seguiram dividindo o parlamento, até a eleição de 2002, quando o sindicalista Wellington Dias foi alçado ao poder. Essa foi a última eleição em que houve pelo menos um resquício de ética e respeito às leis eleitorais.
          Depois de um início claudicante, em que teve que fazer reformas sobre reformas, entendeu que não iria longe se não dividisse o poder com as oligarquias rurais, já que, na capital, era bem avaliado. E para garantir o sucesso da empreitada, tratou bem o Tribunal de Justiça , o Ministério Público e o Tribunal de Contas. A imprensa, tal como acontecia na ditadura pela força, foi convencida de que era melhor, muito melhor mesmo, se adaptar aos novos tempos. Com isso, garantiu uma espécie de salvo conduto para o que viria. Mostrou que conhecia profundamente a natureza dessas oligarquias. Fatiou o governo em ilhas, dividindo os recursos públicos entre as lideranças. Deixou os resquícios ideológicos de lado e simplesmente comprou com os recursos do estado o apoio desse povo, que viu ali sua oportunidade.
          Sem a fiscalização do Ministério Público nem do Tribunal de Contas, cada um tratou de cuidar de sua vida. Não havia projeto de governo nenhum. Cada um controlavao o seu quinhão com mão de ferro. De repente os jornais passaram a publicar editais de obras às dezenas. Era preciso lavar o dinheiro para transformá-lo em moeda de troca eleitoral e nada melhor que uma construção não fiscalizada. Em 2006, a nova política foi posta em prática e o sucesso total. Reeleito no primeiro turno, levando junto seu candidato ao Senado, Wellington Dias pôde saborear o sucesso de sua estratégia. Esmagou a oposição numa das eleições mais caras da história do Piauí.
          Se houve sucesso, nada mais natural que a estratégia fosse mantida e até aprofundada. E ele não mediu esforços. Deixou todos os titulares das pastas à vontade e eles souberam o que e como fazer. Os editais se multiplicaram. O estado virou um grande  canteiro de obras,com cada um cuidando de sua parte do orçamento. O caos, visto de fora, era tão grande que até cinco secretarias e outros órgãos se sobrepunham uns aos outros, fazendo a mesma coisa, como a construção de estradas. Ora, vendo que ninguém impunha limites, não apenas os deputados, mas também quem tinha sonhos eleitorais, passou a traçar seus planos para a eleição seguinte.
          O governador não incomodou ninguém. Cumprido seu mandato, tratou de garantir o  futuro seu e da família e deixou os demais cada um por si. E quem soube usar melhor o quinhão que lhe coube, transformar administração da capitania em capital, pôde escolher o membro da família a quem premiaria com um mandato. O resultado foi o que se viu. Um massacre eleitoral como só se viu no tempo da ditadura. Apesar da oposição ter chegado ao segundo turno, ficou apenas com 10% da Assembléia, 10% da bancada na Câmara e nada no Senado.
            Hoje, como se sabe, o estado está falido. Obras paralisadas são contadas  às centenas; servidores terceirizados estão sem receber até três meses de salários; outros têm seus salários reduzidos; várias categoriais reivindicam reajustes que não têm como ser concedidos pelo governo; mas nada disso importa. Nenhum dos nobres premiados com as capitanias hereditárias estão sendo importunados. Eles e/ou seus representantes foram empossados e distribuem seu charme entre Brasília e Teresina.
          Foi assim que retroagimos a 1970. Única e exclusivamente pela força do dinheiro público. A oposição também deu sua cota de contribuição. Assistiu a tudo passivamente, passando a se manifestar somente no período eleitoral. Esta é a crônica de um desastre, que, lamento, está tendo e ainda vai ter conquências terríveis sobre o estado. Parabéns, Wellington, pelo sucesso. O estado que você deixou com mais de 50% de sua população vivendo em função do bolsa família, agradece (jornalista Mario Rogerio)

ZPE abre crise entre vice-governador e o prefeito de Parnaíba

                                                                         
                                         Prefeito Jose Hamilton

A implantação da Zona de Processamento de Exportações (ZPE) de Parnaíba, que se arrasta há vários anos, está provocando disputa entre o vice-governador Moraes Souza Filho e o prefeito da cidade, José Hamilton Furtado Castelo Brano. O prefeito acusa o governo do estado de ter transferido a parcela  do município no controle administrativo da ZPE para a Fiepi, contrariando os interesses de Parnaíba. 
          O prefeito cita nominalmente o governador Wilson Martins, o vice-governador Moraes Souza Filho e o coordenador do PAC no Piauí e, cumulativamente coordenador do Comitê Executivo da  ZPE, Mirócles Veras, como os responsáveis pelas mudanças que provocaram a retirada de Parnaíba da administração da ZPE. Moraes Souza Filho é ex-prefeito da cidade, seu pai, Antônio José Moraes Souza é o presidente da Fiepi que durante muito tempo teve sua sede na cidade e durante muitos anos representou Parnaíba na Assembléia Legislativa e Mirócles Veras é ex-vice-prefeito da cidade. 
           Em nota de uma página publicada nos jornais de Teresina deste domingo (6), o prefeito de Parnaíba, José Hamílton, diz que havia sido acertado durante as tratativas para a instalação da ZPE de que o controle acionário da Empresa Administradora da ZPE seria dividido entre o estado (90%) e a prefeitura de Parnaíba (10%) e fez sua parte: “O poder público municipal, confiante, diligenciou com antecedência a autorização legislativa necessária, fazendo incluir no orçamento dotação para cobertura dos mencionados 10% que estavam sob sua responsabilidade, fixando, inclusive, os recursos na sua programação financeira”.
          Na nota, diz o prefeito que “quando, porém da criação da mencionada Administradora, o município de Parnaíba, sem aviso e para surpresa de todos os munícipes, foi substituida pela Fiepi (Federação das Indústrias do Estado do Piauí). Além disso, a empresa foi sediada em Parnaíba e não em Teresina”. De acordo ainda com a nota, a empresa foi constituida no dia 20 de dezembro de 2010.
          O prefeito denuncia que Parnaíba foi duplamente privatizada com ação, já que a cidade não terá participação influência na gerência da ZPE e, principalmente, pelo fato de sua sede ter sido transferida para Teresina. Apesar de se sentir traído, José Hamílton diz na nota que faz  “votos no sentido de que aqueles que converteram em responsabilidade privativa, e exclusiva deles, a execução do projeto ZPE chegue a bom termo – a socidade assim espera. Em face do novo e surpreendente cenário, marcado pelo dito, pela dupla marginalização de Parnaíba, empenho-me em deixar claro: mantemos vivo o nosso entusiasmo pela implantação da ZPE. Continuaremos apoiando firmemente a sua implantação, no âmbito da autonomia e das competências do município, que, felizmente, não podem ser negadas ao nosso povo”.          

Prefeito e empresário discutem construção hotel 5 estrelas em Parnaíba

        O prefeito de Parnaíba, José Hamilton e o vice –prefeito Florentino Neto, juntamente com o empresário Ugo Covin e a arquiteta Laise Rodrigues,  reuniram-se no final da manhã desta sexta feira para discutirem as diretrizes de uma reunião que acontecerá segunda feira (7) na Secretaria Estadual de Turismo, com a participação da superintendente do  IPHAN, doutora  Claudiana  e do secretário Silvio Leite, do Turismo.
         Na pauta do encontro, as discussões com o IPHAN das linhas arquitetônicas do projeto de construção do Hotel 5 estrelas que o grupo do empresário Ugo Covin (Resort Camocim) pretende construir na antiga sede social do Banco do Nordeste(BNB Club), “uma área tombada pelo patrimônio historio a cujas limitações sugeridas pelo Iphan devemos respeitar”, observa o prefeito José Hamilton.
        De acordo com o empresário Ugo Covin, a idéia é ter todo o projeto aprovado em 6 meses, e a primeira parte executada em 12 meses.A  execução total do projeto está prevista para 36 meses, “mas é preciso uma autorização do Iphan”, razão pela qual as partes interessadas estão buscando um entendimento para a apreciação da superintendência do Iphan, na reunião que acontece segunda feira próxima.
Especificações do Projeto
       O prédio terá 8 andares, numa área de 22 mil metros quadrados, onde serão construídos 120 apartamentos hoteleiros, 120 apartamentos residenciais, além de 12 lojas comerciais e um bistrô, dentre outras coisas. “Vai ser um complexo de serviços onde a parte comercial e o bistrô estarão abertos ao público” explica a arquiteta Laise Rodrigues, que está colaborando nas adequações do projeto.
        De acordo com o prefeito José Hamilton, contatos vêm sendo mantidos há 4 anos com este grupo empresarial, que está com investimentos há 12 anos na região, no sentido de apostar também nas potencialidades do município. “Eles entenderam que o momento adequado é este, porque a cidade tomou outro rumo, com melhorias no saneamento e em várias outras áreas fundamentais para investimentos deste porte”-diz o prefeito.

Fecharam o Ponto de Cultura em Parnaíba

         A Fundação Cultural do Piauí (FUNDAC) está com nova presidente. No lugar de Sônia Terra entra Bid Lima, ambas saídas das entranhas do Partido dos Trabalhadores.Mas, e daÍ? Que temos com isso?
       Temos muito, considerando que a Fundação deveria atuar em todo o Estado, mas os projetos que vêm sendo desenvolvidos focam apenas Teresina. Sônia Terra, a ex-presidente, foi achada num movimento de periferia da capital denominada “coisa de nêgo”, onde surgiu também a ex-deputada Francisca Trindade. Nada contra o movimento, mas tudo contra Sônia Terra que pautou ou melhor, centralizou as ações da FUNDAC nesta tal “coisa de nêgo” e deixou a classe artística piauiense no geral a ver navios.
         Só em 2010, no ano passado, portanto, o Ministério da Cultura (Minc) enviou à FUNDAC algo em torno de 85 milhões de reais. Em que foram empregados os recursos? As  poucas vezes que vi Sônia Terra dando entrevistas foi falando de viagens à África, à Cuba,  e outros “points” que são o sonho de consumo, ainda, de todo petista que se preza. Que tem uma coisa a ver com a outra? Talvez nada, mas o comentário serve para ilustrar.
Pontos de Cultura
       Em todo o Piauí, fruto de um programa do Minc, foram criados, no governo Wellington Dias, pra mais de 170 Pontos de Cultura, dotados de kits multimídia, prontos para oferecerem cursos de arte e informática a jovens de baixa renda. Parnaíba ganhou um desses pontos, inaugurado pelo então governador WDias. Eu estava lá. A sede ficava no Complexo Porto das Barcas, num daqueles prédios velhos.
        Depois, Sônia Terra inventou de botar lá a sede da FUNDAC e o Ponto de Cultura foi parar na sede da SASC, antigo Sopa na Mão, frente à Escola Normal. Por  que a Fundação Cultural do Piauí teria que ter sede em Parnaíba se não desenvolvia ação nenhuma?
        Em toda a história do Ponto de Cultura todo o recurso que entrou foram 5 mil reais, depositados na conta da Instituto histórico Geográfico e Genealógico de Parnaíba (IHGGP), porque o PC não tinha, como não tem C.N.P.J. Esse dinheiro sumiu da conta, faz tempo, e nunca mais foi encontrado. Alguns cursos ainda foram ministrados pelo PC. Como foram pagos, não sei.O responsável pelo Ponto, José Humberto Alencar, disse que chegou a gastar do bolso, para que alguma coisa acontecesse. Agora, equipamentos de ponta , que vivem em desuso, correm o risco de ficarem imprestáveis, porque no Governo do PT, foi assim: muita conversa e pouca ação. Disse-me o Humberto que vai entregar a responsabilidade a quem de direito.
Parnaíba é Piauí?!
      Será que nos projetos dessa  Bid Lima constam uma visita a Parnaíba para saber que projetos da Fundac a cidade pode receber? Qual o contato mantido com a Secretaria da Cultura? Nossos artistas têm interesse em uma audiência com a nova presidente da Fundação?
    Quero lamentar profundamente que Parnaíba tendo um ponto de Cultura há alguns anos, não desenvolva nenhuma ação,  porque o governo apenas o implantou, fez mídia e virou as costas para este investimento tão importante numa cidade carente como a nossa. Por isso é que eu digo: Ô terra de muro baixo!!!

Acabou o bloco Macacal?!

    Campeão dos últimos carnavais, ao que tudo indica este ano o bloco Macacal não vai desfilar na avenida Chagas Rodrigues.Motivo? Desavenças entre os integrantes, que já não estão unidos de outros carnavais, tanto assim que já existe uma filial da turma do bloco, que foi, inclusive, o vice-campeão do ano passado(O bloco da Estação).
     A novidade este ano deverá ser o “Pulga na Balança”, tendo à frente o carnavalesco “Filipinga”, que levou consigo outros integrantes do Macacal, que agora, esvaziado, poderá não desfilar.
      São 12 mil e 500 reais que os blocos de rua vão disputar, sendo 6 mil para o primeiro colocado; 4 mil para o segundo e 2.500 reais para o terceiro.
      Quem promete também arrasar este ano na avenida é o poeta Vicente Potência com o seu “Bloco da Ema”. Este ano irá enfocar como tema os 300 anos de Parnaíba.
Reuniões 

                                       Carnavalescos e a sec. da Cultura Fátima Carmino.(Foto: César Vieira)
  Ontem, os carnavalescos das Escolas Império do Cais, Unidos da Ponte e Nova Parnaíba no Samba estiveram reunidos na Secretaria da Cultura para discutir alguns pontos do carnaval 2011 com a secretária Fátima Carmino.Outra reunião está marcada para sexta feira próxima, às 4 e meia da tarde, na Secretaria da Cultura, na Praça Mandu Ladino, quando será discutido também o local para a realização da eleição de rei Momo e Rainha do Carnaval. No SESC não pode ser por estar em reforma.
Mudanças no Júri
        Um dos pontos a serem discutidos ainda é modificações na composição do corpo de jurados. Os carnavalescos querem pessoas mais comprometidas com a festa. Que não faltem aos dia de julgamento, por atraso das escolas; que não fique bebendo e conversando, desatentos aos desfiles, enfim, eles, carnavalescos,  entendem que é hora de mudar as caras.
    

Prefeitura de Parnaíba recepciona hoje os novos funcionários municipais da primeira lista de convocados

      A Prefeitura de Parnaíba recepcionará neste dia dois de fevereiro os novos funcionários públicos municipais aprovados em concurso público e nomeados pelo prefeito José Hamilton, constantes da primeira lista de convocados para assumirem seus cargos. As secretarias municipais que serão beneficiadas por esta primeira convocação, são as de Administração, Saúde e Desenvolvimento Social. As pessoas convocadas devem comparecer à Secretaria Municipal de Administração, localizada na sede da Prefeitura, à Rua Itaúna, 1434, Bairro Pindorama, por todo este dia dois de fevereiro, nos horários das 8h às 13h e das 15h às 18h.
            Ainda este mês, as secretarias de Governo e de Administração farão novas convocações de aprovados em concurso para assumirem os cargos para os quais foram nomeados.      

O que se espera de uma TV pública

O governo que é constituído para garantir a todos os seus cidadão os meios para que estes obtenham a felicidade, que é um direito travestido em cidade limpa, acesso a educação, saúde, trabalho, justiça entre outros.
Uma TV Pública é de extrema relevância para os gestores que têm essa preocupação. Ela útil para a população porque deve estar desatrelada de interesses menores, privados. O que a rege não é o mercado, mas o sentido da sociedade e suas demandas. Assim, é útil porque deve midiatizar a realidade a partir dos interesses públicos. A TV é de extrema relevância para a sociedade piauiense que ainda engatinha no seu processo de cidadania e precisa mais do que nunca ter acesso à informação de forma pluralista e não comercial.
Urge uma TV pública que deve ter controle público, ser pluralista, aberta à diversidade e com programação generalista, não segmentada. Com isso, digo que esta emissora não deve trazer unicamente produtos culturais eruditos ou da alta cultura, mas traduzir as identidades, as manifestações, os posicionamentos e as reivindicações do conjunto social.
È preocupante a queda de braço sobre as indicações para o próximo diretor da TV Antares. Corremos o risco de termos uma TV governamental, que trate de questões menores, de divulgação do governo, ou seja, não trabalhando com esta perspectiva plural, de abrir-se a todas as correntes do pensamento.
Para isso, precisa de gestão com independência e um controle social através de conselhos representativos.
Assim, não podemos confundir TV pública com TV governamental ou institucional em geral. Estas últimas divulgam atos do Governo ou de um Poder instituído, enquanto a TV público comunica de maneira ampla. Ela útil para a população porque deve estar desatrelada de interesses menores, privados. O que a rege não é o mercado, mas o sentido da sociedade e suas demandas. Assim, é útil porque deve midiatizar a realidade a partir dos interesses públicos.(Jaqueline Dourado, prof. de jornalismo da UFPI)
Ps: E a novela continua: nem bem assume Luciano Paes Landim a direção da Fundação Antares,vai ter que sair. Ele foi indicado pelo deputado Paulo Martins, eleito prerfeito de Campo Maior. O deputado que assume no lugar de Martins será Cícero Magalhães. Mas parece que Landim não votou em Ciço, portanto, pode não ficar.

A tarefa de Wellington Dias

                                               
Sem ministério, sem liderança e fora da Mesa do Senado Federal, Wellington Dias foi convidado pelo líder do seu partido, Humberto Costa (PT-PE), a assumir uma tarefa importante na legislatura que inicia. Não se sabe ainda qual, mas tudo indica que será destacado para a presidência de uma comissão. O senador piauiense aguarda as ordens. (foto: Mauro Sampaio/Acessepiaui).

MA: interdição de pista do aeroporto de Barreirinhas prejudica o turismo

                                                 

Foto

                                                                  PISTA DO AEROPORTO DE BARREIRINHAS
Barreirinhas, principal cidade de acesso ao Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, está com sua estrutura turística comprometida devido interdição, há quase um ano, de uma de suas pistas de pouso, e abandono  da  outra, considerada uma das melhores do Brasil, pronta para operar há mais de 4 anos, e desde então não habilitada por conta de mirabolante e desnecessário projeto de construção de hiper dimensionado terminal de passageiros. Barreirinhas está desde abril de 2010 proibida pela ANAC de receber turistas via aérea. O prejuízo para o turismo, não só do Maranhão, como também do  Piauí e Ceará, é enorme, atingindo diretamente  a  economia da região (Claudio Humberto)

Faltam professores para inicio do ano letivo na UESPI

ATRASO
          A cada ano a Uespi atrasa o início do período letivo. Em 2011, as aulas começarão apenas na segunda quinzena de março.
          O motivo, segundo a professora Graça Ciríaco, presidente da associação dos docentes, é a falta de professores.
          Para cumprir o calendário, as aulas acontecem também aos sábados, prejudicando alunos e professores. Os primeiros, ficam com menos tempo para estudar em casa; os professores, com menos tempo para prepararem as aulas.
RECEIO
          A associação dos docentes da Uespi também vê com reservas o papel a ser desempenhado pela secretário de Educação, Átila Lira, no futuro da instituição.
          Para Graça Ciríaco, o secretário está como a raposa cuidando do galinheiro pois ele é um dos principais empresários do ensino superior do estado.
          No seu entendimento, dificilmente o secretário vai se interessar pela melhoria da universidade, pois seus problemas beneficiam diretamente… as universidades privadas.

Por que em Parnaíba as sessões Legislativas serão retomadas em março?!

   Os Poderes Legislativos do país, em sua quase totalidade, estão retomando hoje às suas atividades. Em Parnaíba, pra variar, isso não acontece. Nossos bravos, espertos e varonis vereadores permanecem de férias até março, quando serão retomadas as sessões ordinárias da Câmara.
   Antes, em fevereiro, eles recebem, provavelmente dia 15, no Plenário daquele Poder, o prefeito José Hamilton ou um representante seu, para fazer a leitura da mensagem anual do executivo, abrindo oficialmente, o ano Legislativo.Depois, voltam ao recesso até março, dando seqüência às férias iniciadas em dezembro.
  Nem as férias escolares são mais tão longas.Mas, fazer o quê? À falta de fiscalização do próprio eleitor, os vereadores locais podem quase tudo.
   Há uns 5 anos atrás, quando presidiu a câmara o ex- vereador Batista Véras, essa brincadeira havia acabado, por força de lei aprovada por eles mesmos. As férias de julho foram extintas e no final do ano folga somente no mês de janeiro. Também eles aprovaram lei acabando com o pagamento de sessões extras,o equivalente a quase um salário mínimo por cada sessão, expediente por demais utilizado quando o prefeito era Paulo Eudes.
    Depois eles rasgaram a lei aprovada por eles mesmos e voltou tudo à estaca zero. Isso é atraso, retrocesso, sinal de que não querem consertar o que está errado e está sendo jogado na lata do lixo de outros Legislativos.Mas em Parnaíba, tudo continha como dantes, no quartel de Abrantes.