Depois de criticar Wellington Dias, esposa de Firmino Filho é desafiada por vereador

A deputada estadual Lucy Soares (PP), esposa do prefeito Firmino Filho (PSDB), usou as redes sociais para recusar ao convite feito pelo vereador Dudu (PT) para acompanhá-lo em visita às estruturas dos hospitais do governo de Wellington Dias e às administradas pela prefeitura da capital.

Dudu desafiou a parlamentar para fazer um comparativo do trabalho de Wellington Dias e Firmino Filho no enfrentamento à covid-19. A polêmica teve início depois de uma vistoria feita por Lucy nos hospitais de responsabilidade do Estado, com exposição e duras críticas às medidas do governo por meio de fotos e vídeos de alta resolução nos seus perfis oficiais.

Apesar da resposta da progressista, Dudu reforçou o convite e propôs uma visita aos estabelecimentos de saúde utilizando os transportes públicos administrados por Firmino Filho. “A deputada Lucy usou as redes sociais para informar que não vai na minha companhia realizar as visitas aos hospitais de Teresina e do Governo. Então, lhe proponho que possamos ir em um meio de transporte mais prático, vamos de ônibus. A senhora escolhe os roteiros, e é até bom que começa a perguntar aos motoristas como eles estão vendo a administração do seu esposo”, disse.

DUDU DIZ QUE FIRMINO PLANTOU FAKE NEWS

“Sabe porque a senhora não quer ir, porque sabe das Fake News que o seu esposo plantou nessa cidade. A gestão prometeu 35 leitos clínicos para o hospital do Lar da Fraternidade e o ambiente se encontra fechado, prometeram 81 no badminton, não tem nem a metade desta quantidade, 60 leitos de UTI para o hospital de Campanha e não estão funcionando. Vamos nas UBS´s para observar se está tudo ok, verificar se há medicamentos e se a população está sendo atendida”, disse Dudu. (Feitosa Costa)

Piauí reduz em 32% número de óbitos por Covid-19

O número de mortes por coronavírus no Piauí teve queda de 32%. Segundo registros da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), ocorreram na última semana 130 óbitos contra 192 na semana anterior. O comparativo revela 62 vidas poupadas em 7 dias. O anúncio foi feito neste sábado (11), pelo governador Wellington Dias, que avaliou os números.

“Ficamos tristes pelas vidas que perdemos, mas temos um sinal de condições para controlar o coronavírus” declarou.
A queda ocorre após a adoção de medidas restritivas nas atividades econômicas implementadas na semana passada em todo o território piauiense, que se repetem neste final de semana, aumentando o isolamento social. Dias atribui também às outras várias medidas que o governo vem adotando no enfrentamento à pandemia, como as barreiras sanitárias, a atividade da segurança pública, dos profissionais de saúde e as ações de diagnóstico e tratamento precoce através do programa Busca Ativa e do aplicativo Monitora Covid-19.

A estratégia de identificar os doentes mais cedo e tratá-los na fase inicial da doença, desenvolvida no Piauí desde o início da pandemia por recomendação do Comitê de Operações Emergenciais (COE), acaba de ser adotada como uma diretriz em nível nacional. O Ministério da Saúde anunciou a alteração do protocolo médico para pessoas que sentirem sintomas leves da doença, passando a solicitar que tais pacientes procurem um médico. Antes, a diretriz indicava a busca por ajuda profissional apenas em caso de sintomas mais graves.

O governador Wellington Dias chamou atenção para um alerta emitido pela Organização Mundial de Saúde (OMS), destacando a necessidade de se aprender a conviver com o coronavírus, que deve seguir em transmissão mesmo após a descoberta da vacina.

“A parte do poder público de garantir estrutura para atendimento, medicamentos, testes e exames, o Piauí está preparado. Mas tem uma parte que depende de cada pessoa: garantir os cuidados, o distanciamento, o uso da máscara, a higiene das mãos, o isolamento adequado para evitar pegar o coronavírus” finalizou. (Thaís de Sousa)

PT apoia reeleição de Themístocles, se ele se afastar de Ciro em 2022

Por Arimatéa Carvalho

O presidente da Assembleia Legislativa, Themístocles Sampaio (MDB), deve ser candidato único à reeleição. Isso porque ele já tem o apoio do Progressistas e agora o governador Wellington Dias (PT) planeja apoiar a recondução do aliado. Mas com uma condição: que em 2022 Themístocles desista da ideia de indicar o filho, deputado federal Marco Aurélio, como vice na chapa de Ciro Nogueira (Progressistas) e continue com o grupo de W. Dias.

Se Themístocles concordar, ele terá o apoio integral do PT e ainda poderia indicar o vice na chapa petista, caso o candidato do grupo não seja o senador Marcelo Castro (MDB). Se Themístocles não concordar, o PT deve tentar tomar a presidência do presidente mais uma vez. A aposta é que o Governo conseguirá dividir a própria bancada estadual do MDB, colocando deputados contra Themístocles. A conferir.

Decreto autoriza funcionamento de novos serviços a partir de segunda-feira

O governo do Estado do Piauí publicou neste sábado (10/07) decreto que autoriza o funcionamento a partir da segunda feira (13/07) dos setores agropecuários, Indústrias de fabricação de Alimentos e Bebidas, transporte de cargas e fabricação de embalagens e indústrias de extrativistas, desde que sigam os protocolos gerais e específicos para a prevenção e combate ao coronavírus e assinem o Pacto Pró-Piauí.

Para iniciar o funcionamento é necessário que os estabelecimentos apresentem o Plano de Vigilância Sanitária, sendo que para locais com até 19 colaboradores deve ser apresentado o Plano Simplificado e com mais de de 20 colaboradores o Plano Ampliado. Os protocolos específicos dispõe sobre higienização do local, equipamentos, utensílios, também pessoal do trabalhadores, distanciamento, transporte de pessoas, serviços de refeitório, controle de matéria prima e produção dentre outros.

Na mesma data o governador do estado do Piauí, Wellington Dias incluiu o ramo de alimentação por drive trhu, nos serviços considerados essenciais.

Confira todo os decretos publicados e seus anexos no Diário Oficial do Estado. http://www.diariooficial.pi.gov.br/diario.php

Teresa Britto exige definição do governador sobre lei do desconto em mensalidade

Deputada estadual Teresa Britto (PV)

Por que o governador silenciou diante de um projeto tão importante?”, questionou a deputada estadual Teresa Britto (PV), sobre projeto de lei que determinou descontos de 30% ou mais nas mensalidades de escolas e faculdades privadas, aprovado pela Assembleia Legislativa no mês de junho deste ano.

A deputada Teresa Britto afirmou, nesta quinta-feira (9), que venceu o prazo para o governador Wellington Dias se manifestar sobre o projeto de Lei aprovado pela Assembleia Legislativa, que obriga as escolas particulares a conceder descontos de até 30% nas mensalidades escolares a partir do último dia 1º de maio.

A parlamentar cita o artigo 78, parágrafo terceiro, da Constituição Estadual, onde afirma que o governador teria até 15 dias para se manifestar pela sanção ou veto da matéria, mas, até o momento, o Legislativo não obteve retorno por parte do Executivo.

“Que forças ocultas estão impedindo o governador de se manifestar sobre essa matéria? Por que o governador silenciou diante de um projeto tão importante? As denúncias no Procon não param de chegar. Os pais de alunos das escolas da rede privada seguem pagando essas mensalidades de maneira integral e o Governo sequer se manifesta sobre o assunto”, critica Teresa Britto.

A parlamentar, que é presidente da Comissão de Defesa dos Direitos do Consumidor da Assembleia, também afirmou que entrará com um pedido junto à Mesa Diretora da Casa para que o projeto possa ser sancionado.

Fonte: Alepi

Quem a Seduc quer enganar?

A quem a Secretária de Educação do Piauí imagina estar enganando ao divulgar que 86% dos alunos da rede estadual estão conectados remotamente à internet para aulas on-line? As pesquisas feitas pelo MEC mostram números que no Piauí, apenas 9% dos alunos estariam aptos a receberem aulas on-line.

De acordo com análise feita,  nem MEC nem SEDUC estão com a realidade. A SEDUC não repassa veracidade nesses números, já que antes da pandemia já havia uma evasão da ordem de mais de 40% nas escolas públicas estaduais, causada só pela a irregularidade do transporte escolar, que teve seus recursos desviados anos atrás, e nunca mais conseguiu a regularização. Também não é plausível os dados do MEC, pois só na capital e em cidades maiores do estado atingimos bem mais de 9% do alunado conectado. Mas, apesar de tudo, ainda deve ser baixo o alcance do ensino remoto aos nossos estudantes.(Silas Freire)

Tribuna de Contas do Estado obedece Wellington Dias

Em sessão virtual, TCE-PI afastou conselheiro (Foto: Reprodução/TCE-PI)

O Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE-PI) atendeu pedido do governador Wellington Dias (PT) para afastar o conselheiro Luciano Nunes de todos os processos que envolvem o empréstimo Finisa, do Governo do Estado. Em sessão realizada nesta quinta-feira (9), a maioria dos conselheiros optou por fazer a alegria do gestor petista.

O pedido de afastamento foi feito por Wellington em agosto de 2019. Ele alega que Luciano Nunes é pai de Luciano Nunes Filho (PSDB), seu adversário na disputa para o Governo em 2018. Sustenta o petista no pedido que após a eleição Luciano Nunes moveu ação eleitoral para impugnar o mandato dele. A partir daí, o governador entende que o conselheiro Luciano passa a ser suspeito nos julgamentos que envolvam o Estado no TCE-PI.

Votaram a favor do pedido do governador os conselheiros Jaylson Campelo, Kléber Eulálio (grande aliado político de Wellington Dias), Kennedy Barros e Waltânia Alvarenga. Por outro lado, foram contra os conselheiros Olavo Rebelo e Delano Câmara. 

Olavo, aliás, argumentou que se fosse por isso até ele também teria que ser afastado, pois foi indicado por Wellington para o TCE. Assim, informou por antecedência que, se Luciano Nunes fosse afastado, ele também optaria por ficar fora de julgamentos do governador.

Olavo e Delano foram votos vencidos. A maioria deu razão a Wellington. 

TRIBUNAL ‘ALIADO’ DE CORRUPTO

Após ser afastado, Luciano Nunes fez um desabafo e mandou uma série de indiretas para os colegas. Ele lembrou que no Mato Grosso o Tribunal de Contas do Estado era “aliado” do governador [Silval Barbosa] e ignorou a corrupção na gestão estadual. Luciano alertou que lá o governador abriu o bico após ser preso e ainda entregou os conselheiros.

“No Mato Grosso, o Tribunal de Contas era muito ligado ao governador. O governador caiu, foi preso, abriu o bico e jogou cinco conselheiros fora. Estão lá na rua da amargura porque eram coniventes, porque acharam que deveriam estar do lado do governador. O que eu estou fazendo é votar com independência”, falou Luciano.

TODOS SABEM DOS DESVIOS NO FINISA

Ao dizer que é independente, Luciano lembrou do empréstimo do Finisa, cujos processos Wellington tanto quer ele fora. Para o conselheiro, todo mundo no Piauí sabe dos desvios e da esculhambação que foi o uso daquele empréstimo.

“O que eu estou fazendo é votar com independência. Não votar no Finisa, um negócio que todo mundo sabe o que é, o que foi os desvios do Finisa e eu ser proibido de votar? Um governador que na época do Olavo como presidente adentrou a este Tribunal mandando maneirar. Então, meus amigos velhos, eu estou feliz”, disse em tom irônico.

Luciano, no canto superior direito, fez desabafos (Foto: Reprodução/TCE-PI)Luciano, no canto superior direito, fez desabafos (Foto: Reprodução/TCE-PI)

CONHEÇO BEM CADA UM DE VOCÊS

Luciano também afirmou que conhece muito bem cada um dos conselheiros do TCE-PI e disse que eles ainda terão que aguentá-lo até o último dia na função.

“Eu ouvi o que cada um disse, palavra por palavra, cada pessoa, cada comportamento. Hoje, graças a Deus conheço com profundidade todos os meus colegas. Amanhã eu faço 74 anos, vocês só terão mais um ano para me aturar. Não vou sair hoje daí porque tem pessoas aí a quem eu quero muito bem, gosto muito, tenho toda a atenção e devo muita deferência. Por esta razão eu continuarei até o último dia”, avisou.

CINISMO E DESONESTIDADE NOCIVA

Luciano ainda mandou mais indiretas supostamente para quem atendeu aos caprichos do governador e prefere tapar os olhos para desmandos. Ele alertou aos cínicos e desonestos que muitas vezes a Justiça do homem é calada, mas a de Deus costuma mandar seu recado.

“Eu só tenho a lembrar frases da minha vida. Eu ouvia quando o Mão Santa dizia que a ignorância é audaciosa. A ingenuidade é audaciosa. Todo excesso gera deformidades. O cinismo é abominável, a arrogância é abjeta e a desonestidade é nociva. Se a Justiça é tolhida, só nos vai restar a mão de Deus que vez por outra manda o seu recado”, concluiu. (Gustavo Almeida)

Governo do Piauí (W. Dias) atrasa pagamento de respiradores

Gestão de Wellington Dias ainda não pagou (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O Governo do Piauí atrasou o pagamento de 21 respiradores comprados na empresa paulista Magnamed S/A. Os produtos foram recebidos pelo Estado no dia 3 de junho e até agora a empresa não viu sequer um centavo do valor de R$ 1,2 milhão referente à venda.

Os 21 equipamentos fazem parte de um lote de 80 respiradores que o Governo do Piauí adquiriu junto às empresas Intermed e Magnamed. O Estado recebeu os produtos através de uma ordem judicial expedida pela 2ª Vara da Justiça Federal no Piauí. 

Como toda a produção nacional estava comprometida com o Ministério da Saúde, o Estado teve que ir à Justiça para que os produtos fossem liberados para o Piauí. No entanto, por ter sido por meio de liminar, a Magnamed diz que não há contrato entre os estados e as empresas. 

Ao Política Dinâmica, a assessoria da Magnamed afirmou que toda a produção nacional foi adquirida pelo Ministério da Saúde ainda na gestão do ministro Luiz Henrique Mandetta, mas alguns estados, entre eles o Piauí, buscaram a Justiça para comprar e receber os equipamentos sem a intermediação do Ministério da Saúde.

Houve, inclusive, mandados de busca dos equipamentos na sede das empresas. A Magnamed alega que a decisão judicial determinou a venda e a compra à vista, já que os estados pediam urgência. Ocorre que o Piauí recebeu os produtos buscados na empresa e até agora não pagou.

“Não existe contrato porque foi uma compra por meio de liminar. O fato é que a Justiça mandou vender, o Ministério da Saúde foi notificado porque o lote, em tese, era do Ministério, ele teve ciência do que estava acontecendo, os estados receberam, mas a coisa não caminhou para pagamento”, disse a assessoria da Magnamed ao Política Dinâmica.

A empresa afirma que, por enquanto, está tentando receber o dinheiro através de diálogo mantido com o Governo do Piauí, mas se não houver solução, deverá recorrer à Justiça.

REPERCUTIU NO O GLOBO
Na última terça-feira (7), o jornalista Lauro Jardim, do O Globo, publicou nota sobre a dívida do Piauí com a empresa Magnamed. O jornalista lembrou que o governador Wellington Dias (PT) comemorou muito a decisão judicial que determinou a liberação dos respiradores, mas a festa veio acompanhada da dívida que o Estado até agora não pagou. “A boa notícia veio como uma dívida”, pontuou o jornalista.

O QUE DIZ A SESAPI
Procurada pelo Política Dinâmica para se posicionar sobre o assunto, a Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi) não deu nenhuma resposta até a publicação da matéria.(Gustavo Almeida)

Opinião:”Interesses eleitoreiros”

Por: José Olímpio

Depois da live do governador, ontem a tarde, anunciando investimentos na Educação, alguém ainda duvida que Sua Excelência não tem o menor respeito pelo professores?

Em sua fala , o governador confirmou o que a coluna já havia previsto: nenhum centavo do precatório do Fundef – R$ 1 bilhão e 600 milhões – vai ser investido na valorização do magistério, como esperava o Sinte-PI.

Há dois anos sem pagar o Piso Nacional de Salário dos Professores, Wellington Dias (PT) alegava sempre a falta de recursos para quitar a sua dívida com a categoria, dizendo que o Estado estava no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal.

O discurso do governador na tarde de ontem foi como uma ducha de água fria na expectativa do Sinte-PI, que já contava como certo que 60% dos recursos seriam destinados ao magistério e os 40% restante para investimentos na rede estadual de educação.

Todo o dinheiro vai para o programa Educar Piauí, para combater o “analfabetismo” no Estado e a “evasão escolar.” 76 obras serão retomadas e 92 novas obras serão iniciadas, além da publicação de 64 licitações já autorizadas. Foi o que anunciou Sua Excelência.

Ou seja, numa rapidez impressionante o governo elaborou um plano de gastos da fabulosa soma que recebeu do Fundef para fazer uma “revolução na educação do Piauí”, sem levar em conta a triste situação do magistério piauiense, há dois anos sem reajuste salarial.

Para Wellington Dias e o senhor Ellen Gera, a educação piauiense deu um salto qualitativo nas gestões petistas e agora atingirá um nível de “excelência” com os investimentos que serão feitos na execução de obras físicas.

Trata-se de um discurso ufanista e vazio desmentido pelo sucateamento das escolas públicas, pela falta de transporte escolar de qualidade, pela desmotivação dos professores, mal pagos e desestimulados, e pelo pífio desempenho de nossos alunos nos rankings do MEC.

Afinal, como falar de educação de qualidade em um governo que vive de fechar escolas e não respeita os professores? O grande problema da educação no Piauí, sem dúvidas, tem raízes fincadas na má gestão e na desvalorização do magistério.

O governo do senhor Wellington Dias anuncia a construção de novas salas de aula quando centenas de prédios escolares foram fechados nas gestões de Sua Excelência. Em Teresina dezenas deles estão de portas lacradas há tempos, por falta de alunos, conforme a Seduc.

Em ano eleitoral, priorizar a execução de obras físicas planejadas às pressas pode até atender aos interesses eleitoreiros do governador e seus aliados nos municípios, mas seguramente não atende aos interesses maiores da educação.(Fonte:Diário do Piauí)

Cut Piauí ingressa na Justiça e tenta evitar reabertura da economia no Piauí

Foto: O Dia

A Cut Piauí está ingressando na Justiça com uma ação civil pública que tem como objetivo buscar o adiamento do retorno das atividades comerciais no estado. A ação é fruto de um debate das Centrais Sindicais, conjunto de sindicatos e sociedade civil organizada, através da Frente Brasil Popular.

Segundo. Segundo a organização, a reabertura da economia vai contra o que foi colocado, até agora, pelos governos Estadual e Municipais, e se configura através de uma pressão da classe empresarial. Segundo representantes da Cut, o objetivo da ação é barrar essa reabertura, até uma maior expansão dos leitos de UTI e para evitar que o vírus se espalhe drasticamente pelo estado.(Silas Freire)

Valdeci Cavalcante divulga carta aos empresários do Piauí

Na manhã desta quarta-feira (8), o presidente da Fecomércio-PI, advogado e empresário Valdeci Cavalcante divulgou uma carta circular direcionada a todos os empresários do estado do Piauí. 
 
Na carta, ele comenta sobre o ordenamento do Governo Federal que obriga os bancos a fazerem empréstimos para pequenas empresas como forma de minimizar os efeitos econômicos provocados pelo coronavírus. 
 
De acordo com o ministro Paulo Guedes, o valor dos empréstimos deve ser de 30% do faturamento médio mensal dos últimos 12 meses das empresas. Cerca de 3,2 milhões de pequenas empresas devem ser beneficiadas pela medida.
 
Confira a carta na íntegra:

Pernambuco e São Paulo lideram lista de corrupção durante a pandemia

Governo de SP vai receber propostas de inovação para combater covid-19Instituto Não Aceito Corrupção recebeu 15 denúncias de desvios de recursos contra os dois estados

Os estados de Pernambuco e São Paulo lideram o ranking de denúncias de corrupção envolvendo gastos e despesas para ações contra a covid-19. De acordo com o Instituto Não Aceito Corrupção (INAC), em menos de um mês, os estados receberam 8 e 7 denúncias, respectivamente, na plataforma “Corruptovírus” e todas passam por triagem técnica antes de enviadas ao Ministério Público para abertura de inquérito civil ou policial. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Em menos de um mês, o Corruptovírus recebeu 54 denúncias de desvio ou mau uso do dinheiro público no combate à pandemia em 18 estados.

A plataforma ainda não recebeu denúncias sobre Acre, Alagoas, Espírito Santo, Amapá, Mato Grosso, Paraíba, Rondônia, Sergipe e Tocantins.

Segundo o presidente do INAC, Roberto Livianu, a plataforma dá poder às pessoas que diante do isolamento “se sentem incapazes de agir”.

Cheio de denúncias de desvios que podem culminar no impeachment do governador, o Rio de Janeiro tem mais c5 denúncias no Corruptovírus.

Deu na imprensa:”A caneta azul de Wellington Dias”

Por Sávia Barreto

Deu no Portal Jornal Meio Norte:“Chamou atenção uma bandagem na mão do governador Wellington Dias durante live para anunciar as primeiras obras e ações do Educar Piauí. Os mais próximos dizem, em tom de brincadeira, que foi lesão de tanto assinar retomada de obras. No início da tarde desta quarta-feira (8), durante transmissão ao vivo em redes sociais, Dias autorizou a retomada e realização de 156 novas obras para a Educação do Piauí”.

EM TEMPO

Lembrar aos caros leitores e à própria jornalista Sávia que, embora disponha de mais de 1 bilhão e 600 milhões de reais, para investir em educação, essas assinaturas do governador Wellington Dias não significam muita coisa. Basta conversar com prefeitos do interior do Piauí que eles afirmam possuir sacos cheios de ordens de serviço, assinadas por este mesmo governador, anunciando obras que nunca se concretizam. Tem mentido demais, o governador, e já não tem nenhuma credibilidade.

Aliás, qual o político de Parnaíba, desses que pediram votos para W. Dias e  candidatos do governo a cargos proporcionais, a exemplo de José Hamilton Castelo Branco (suplente de senador) e deputado Hélio Oliveira, pode responder quanto é o valor a ser investido na educação em Parnaíba. Será que agora sai a anunciada reforma das Escolas Chagas Rodrigues e José Narciso? Aliás, tais reformas tiveram ordens de serviço assinadas no ano passado, aqui em Parnaíba!Lembra, governador???

Opinião:”Espíritos atormentados”

Por que torço para que Bolsonaro morra”. Basta o título, não é necessário nem ler o inteiro teor do que escreveu o jornalista Hélio Schwartsman, da Folha de São Paulo, para saber que se trata de um caso clássico de paixão política doentia, que faz o sujeito perder o senso e a sua humanidade, revelando-se um psicopata perigoso.

Ou alguém em sã consciência acha normal que um indivíduo, por não ter afinidade política com outro, torça pela sua morte? Só um desequilibrado mental é capaz de manifestar tanto ódio pelo semelhante como fez o jornalista da Folha de São Paulo.

O texto que ele produziu desejando a morte de Jair Bolsonaro o iguala ao psicopata que atentou contra a vida do presidente. Os dois são espíritos atormentados, infelizes, influenciados pela política do ódio (lembra da campanha do “nós contra eles”) que a esquerda e os petistas pregam há tempos no Brasil.

Defenestrados do poder depois do bacanal em que transformaram a gestão da coisa pública, institucionalizando a corrupção e tentando impor aos brasileiros o mesmo destino dos povos venezuelano e cubano, petistas e comunistas até hoje não assimilaram a derrota.

Graças a Deus e ao povo brasileiro, fracassaram no seu desiderato diabólico de transformar o nosso país em uma republiqueta bolivariana controlada pela esquerda patrimonialista e corrupta. A partir de então adotaram a estratégia criminosa de dividir a Nação, incitando a anarquia, a violência e o desrespeito à figura do presidente da República.

Figuras como Hélio Schwartsman e Adélio Bispo são frutos e instrumentos da nojenta e odienta política do “nós contra eles”, desencadeada por essa corja de corruptos que utilizam todos os meios, lícitos e ilícitos, na vã tentativa de restabelecer no Brasil o domínio da cleptocracia.

Quando cometeram a violência de prender um jornalista que criticou o STF, não se ouviu uma palavra dos dirigentes da Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ) ou da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) em defesa do livre exercício da profissão e da liberdade de expressão, mas aguardem que agora as duas entidades, dominadas por pelegos, certamente vão defender o jornalista da Folha, que corre o risco de ser enquadrado na Lei de Segurança Nacional.

A Folha de São Paulo, por sua vez, não vai punir o seu jornalista pelo absurdo que escreveu e nem poderia, afinal ela e toda a grande imprensa nutrem o ódio contra o presidente, estimulam esse tipo de comportamento, que fere a ética profissional e revela o lado sombrio de jornalistas que trocam o código de ética da profissão pela cartilha política do PT e da esquerda. (Fonte:Diário do Piauí)

Lucy questiona estrutura e quantidade de leitos após vistoria no Hospital do Verdão

Em maio deste ano, o Governo do Piauí anunciou a abertura do Hospital de Campanha Estadual (HCE), situado no Ginásio Verdão, centro de Teresina. O anunciado foi que o local possui 103 leitos para tratamento das pessoas com covid-19, no entanto, durante vistoria realizada nesta quarta-feira (8), a deputada estadual Lucy Soares identificou que o hospital tem apenas 55 leitos.  

Paramentada com todos os equipamentos de proteção individual e mantendo o distanciamento mínimo de 1,5 metro, a parlamentar esteve na unidade de saúde para averiguar o funcionamento do local e o atendimento dos pacientes. O HCE recebeu investimento de R$ 5 milhões para que pudesse receber casos de baixa e média complexidade. 

Além da disparidade entre a quantidade de leitos anunciada e a que está em funcionamento, a parlamentar observou outros problemas graves, como a falta de ar comprimido e a utilização de camas inadequadas para atendimento dos pacientes, pois não possuem elevação de cabeceira e proteção lateral. 

“Os respirados, que são instrumentos de fundamental importância para as pessoas internadas, também são inadequados. Devido à ausência de um sistema de canalização de gases, os respiradores são apenas de transporte, os mesmos usados por ambulâncias do Samu”, acrescentou Lucy, que também é integrante a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Piauí. 

    Foto: Fernanda Fernandes

Adicional de insalubridade 

No início deste mês, através das suas redes sociais, a deputada fez um apelo ao governador Wellington Dias: que ele sancione o Projeto de Lei que dispõe sobre o pagamento do adicional de 40% de insalubridade para os servidores públicos estaduais de saúde.

Após a vistoria no Hospital de Campanha Estadual, Lucy Soares reiterou a necessidade do pagamento dessa gratificação, haja vista as condições de exaustão emocional e física a que ficam submetidos neste período de pandemia.  

“O trabalho de cada profissional, desde a área de limpeza até a médica, é admirável e deve ser valorizado. Não podemos deixar de cobrar que sejam dadas condições mínimas para esses profissionais”, disse. (Fonte: AsCom|)

Grupos de direita colocam outdoores por Teresina e associam Wellington Dias a personagem de terror

O blog Sam Post recebeu de integrantes de grupos de direita em Teresina imagens que mostram outdoores a favor de Bolsonaro e contra Wellington Dias.

Nos textos, eles agradecem a Jair Bolsonaro em uma propaganda e na outra perguntam a Wellington Dias sobre hospitais de campanha, respiradores e testes de coronavírus, associando-o ao personagem Pennywise, da obra de terror “It, a Coisa”, de Stephen King.(Sam Post)

Escândalo: Fábio Abreu paga aluguel através da Segurança sem ocupar imóvel

A Secretária de Segurança aluga, desde fevereiro de 2017, um ponto comercial em Teresina onde funcionaria as delegacias especializadas. O imóvel fica na Rua Clodoaldo Freitas 1011, com Rua Rui Barbosa, e nunca foi ocupado, embora o proprietário, que é amigo de Abreu, tenha recebido pelos últimos 41 meses o valor do aluguel, que é R$ 25 mil reais por mês.

O contrato de número oo4/SSSP-PI, foi assinado e mantido pelo então secretário Fábio Abreu, durante sua permanência na Secretaria. O proprietário, como já assinalado, é o amigo e eleitor de Abreu, José Guilherme Lima Aguiar, responsável pela Imobiliária Aguiar, que mantém outros negócios com o Governo do Estado. (Silas Freire)

SEDUC-PI não faz licitação e usa R$ 11 milhões em carteiras de empresa carioca

MERCADO LOCAL FICOU DE FORA – As fábricas de móveis piauienses interessadas em fazer parte da renovação de carteiras escolares das escolas públicas estaduais estão frustradas com o governo Wellington Dias, que preferiu pegar uma carona milionária na licitação feita pelo governo do Amapá para adquirir 25.000 conjuntos escolares (mesas e cadeiras) ao custo de R$ 10.875.000,00 . Cada conjunto está custando R$ 435 aos cofres do estado do Piauí.

A Secretaria Estadual de Educação do Piauí, comandada por Ellen Gera, não fez sua própria licitação, o que poderia ajudar muitas empresas locais a participarem da disputa. A SEDUC pegou carona na licitação do Amapá feita em 2018 e assinou o contrato com a empresa de Saquarema-RJ, a DELTA PRODUTOS E SERVIÇOS LTDA (CNPJ 11.676.271/0001-88).

PROBLEMA NA ENTREGA – Até o momento, 8 mil conjuntos já foram entregues na SEDUC. Porém, embora o contrato 07/2020 tenha previsto a entrega de carteiras e mesas na cor verde, o blog recebeu a informação de que foram entregues materiais na cor azul.

A decisão da SEDUC de pegar carona em uma licitação feita para outra realidade geográfica, social e econômica não é ilegal. Porém, a falta de competitividade e de oportunidade para empresas locais é mais prejuízo para o setor que teve que fechar as portas devido a decretos do próprio poder público por conta da pandemia do coronavírus.

COMPARAÇÃO DE PREÇOS – Embora possa ser um produto com especificação e material diferentes, em sites da internet como Mercado Livre e até mesmo no site do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) existem conjuntos escolares TAMANHO 06 (alunos com altura entre 1,59m e 1,88m) mais baratos. No Mercado Livre se encontra Conjunto Escolar Tamanho 06 por R$ 367,00.(Código do Poder)

Prefeitos malandros, querem unificar limite de investimentos na educação e na saúde

Os prefeitos, na sua maioria malandros, querem aproveitar a pandemia para pressionar seus congressistas a aprovarem uma Emenda Constitucional que unifica os percentuais obrigatórios a serem investidos com educação e saúde.

É que nas regras de hoje, eles investem 25% em educação e 15% em saúde, no entanto querem que seja 40% para as duas áreas, sem especificação. Tem Prefeitura que na saúde tem apenas uma ambulância e o motorista pra deixar pacientes em outros municípios, e querem nessa malandragem, deixar de investir na educação.

Os recursos desse momento de pandemia estão sendo extras, e esses malas não querem o povo educado.(Silas Freire)