Secretária de Wellington Dias condenada por improbidade administrativa

POR:MARCOS MELO

Ariane Benigno é a atual secretária de Estado da Administração e Previdência do governo de Wellington Dias (PT). E nesta quarta-feira (5) foi condenada por improbidade administrativa, juntamente com o ex-prefeito do município de União, José Barros Sobrinho (PT).

PT e gestão de recursos da Educação: o Piauí não tem tido muita sorte nessa mistura (foto: Jorge Bastos)

Ela entrou na SEADPREV no lugar de Merlong Solano — que assumiu o mandato de deputado federal do falecido Assis Carvalho. Antes de estar à frente da pasta, Ariane foi secretária de Finanças da gestão de José Barros em União.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, em 2012, os dois juntos realizaram dezenas de movimentações financeiras irregulares em contas de programas federais ligados à Educação. Foram desde pagamentos em cheque sem identificação de destinatários até transferências dos recursos para outras contas de livre movimentação da Prefeitura.

O interessante: José Barros Sobrinho é investigado na Operação Topique, que apura roubo de recursos federais exatamente da Educação relacionadas ao transporte escolar. E o juiz que o condenou agora juntamente com Ariane é o mesmo juiz da Topique: Agliberto Gomes Machado, da 3a. Vara Federal do Piauí.

Operação Topique: Rejane Dias e José Barros são muito ligados; juntos no PT, juntos na SEDUC, juntos como investigados por desvio de recursos do transporte escolar (foto: Facebook de Rejane Dias)Operação Topique: Rejane Dias e José Barros são muito ligados; juntos no PT, juntos na SEDUC, juntos como investigados por desvio de recursos do transporte escolar (foto: Facebook de Rejane Dias)

A decisão condena os dois a pagamentos de multas e inscrição de seus nomes no Cadastro Nacional de Condenados por ato de Improbidade Administrativa (CNCIA).

O juiz entendeu que Ariane e Zé Barros não tiveram o “mínimo de diligência que se impõe no trato com a coisa pública” e agiram notadamente de má fé no uso irregular dos recursos.

O Piauí não tem dado sorte com gestores do PT mexendo com recurso de Educação. E exatamente por isso, para onde Wellington Dias olhe agora, tem Operação Topique perto dele.

Veja a condenação aqui!

1000119-74.2018.4.01.4000 Jose Barros e Ariane.pdf

OPINIÃO:”É HORA DE DAR O FORA”

Alguns jornalistas ainda tentam colocar dúvida se o Progressistas vai deixar os cargos no governo de Wellington Dias (PT) após o rompimento entre o petista e o senador Ciro Nogueira, anunciado na noite da quarta-feira (5). Ora bolas! Rompimento é rompimento. 

Se for mesmo pra valer, o Progressistas vai ter que deixar a gestão estadual e para isso existem duas formas: ou entrega os cargos ou é escorraçado do governo.

Não faz sentido romper com uma gestão, ser considerado de oposição e continuar com cargos nela. É irracional. Se o rompimento for pra valer, os deputados progressistas que adoram uma sombra no governo podem logo ir se preparando para dar o fora. É tudo que eles não queriam.

Ao menos que alguns prefiram seguir o índio, o que não é descartado. Aí é outra história.(Por:Gustavo Almeida)

É um momento muito difícil na segurança pública, diz Carlos Augusto

Nesta quarta-feira, 5 de agosto, o deputado estadual e ex-comandante geral da Polícia Militar do Piauí, Carlos Augusto (PL), falou em entrevista coletiva sobre as mortes de policiais ocorridas no estado nas últimas semanas.

Coronel Carlos Augusto (PL).

Na opinião do deputado, a segurança pública está passando por um momento muito difícil no Piauí e que a situação se agravou por conta de medidas tomadas pelo Poder Judiciário devido à pandemia.

“Nós avaliamos que esse é um momento muito difícil para o sistema de segurança pública. Eu comandei a Polícia Militar durante três anos e vivi essa angústia de ter policiais mortos. Nessa pandemia, tem uma gravidade que é importante a gente repassar para a sociedade que foram mais de 600 presos soltos. Os que assassinaram o policial na zona Norte, tinha menos de uma semana que a Justiça tinha colocado eles nas ruas”, comentou.

Para Carlos Augusto, o retorno de criminosos às ruas representa um risco não só para os policiais, mas para todos os cidadãos.

“São criminosos que têm fichas extensas de crimes, fazendo a sociedade de vítima. Quando saem do presídio, a profissão deles é roubar, matar, furtar. A nossa revolta realmente é por saber que essas pessoas deveriam estar presas, que o presídio é o lugar de assassino, ladrão, assaltante. Vejo pessoas tentando culpar A, B ou C. Não existe um culpado. É um sistema que permite que essas pessoas retornem às ruas rapidamente e faça vítima o cidadão de bem, inclusive nós [militares] também temos nos tornado vítimas. Foram três policiais mortos nos últimos 15 dias, assassinados durante tentativa de assalto, de forma covarde, por pessoas que têm ficha criminal extensa que deveriam estar dentro dos presídios”, declarou. (Viagora)

W. Dias terá de “demitir” deputados do Progressistas e pedir cargos

Por Arimatéa Carvalho

O rompimento entre o senador Ciro Nogueira e o governador Wellington Dias trouxe a pergunta: como ficam os cargos que os deputados estaduais do Progressistas ocupam na administração estadual? Enquanto os presidentes de partidos aliados lambem os lábios à espera da vacância, os parlamentares terão de “demitidos” pelo governador.

O blog ouviu deputados nessa quarta-feira (5) e não notou disposição de entregar os cargos sem um pedido expresso do governador do PT. Ou seja, W. Dias terá de ser explícito na solicitação dessa devolução. Esse movimento dos deputados pode ter dois caminhos: uma negociação que vai aproximar alguns deputados do Progressistas dele Wellington e, claro, um desgaste no relacionamento com os parlamentares.

O Palácio do Karnak já tem o discurso pronto: fica com os cargos quem permanecer fiel ao governo. Se assim for, será a hora da verdade no Progressistas.

Wellington Dias tira Ronald Moura do Karnak após a Federal bater na sua porta

POLÍCIA FEDERAL FOI NA CASA DE REJANE DIAS – Poucos dias depois da Polícia Federal realizar a terceira fase da Operação Topique e ter chegado de vez no condomínio Mirante do Lago, na casa do governador do Piauí Wellington Dias, ele resolveu se afastar do tenente-coronel Ronald de Moura e Silva, em meio a denúncias de corrupção e de desvios de recursos da educação supostamente praticados pela própria esposa, a deputada federal Rejane Dias.

Ronald Moura foi exonerado do Gabinete Militar (vinculado ao Palácio de Karnak) e deverá se reapresentar ao comandante-geral da PM, Coronel Lindomar Castilho.

O oficial Ronald Moura, um dos homens de confiança de Rejane Dias na SEDUC, é apontando por auditorias do TCE como responsável por assinaturas em pareceres que justificaram diversos atos irregulares supostamente praticados na gestão da petista.

Nos bastidores, Ronald Moura e Helder Jacobina eram considerados como o braço esquerdo e o direito de Rejane Dias na SEDUC.

Agora, meio a tantas denúncias de corrupção no governo do Piauí, o próprio Wellington Dias resolveu tirar Ronald Moura de dentro do Karnak.

Na segunda fase da Operação Topique, a Polícia Federal entrou no Karnak, mas não predeu ninguém, fez apenas busca e apreensão.

Mesmo com tudo isso, Wellington Dias ainda diz na mídia que sua gestão não é investigada. (Código do Poder)

Congresso fala em ‘PEC do Fraldão’ para impedir nomeações de Bolsonaro no STF

Sessão plenária do Supremo Tribunal Federal, em Brasília - Foto: Fellipe Sampaio/STF.Conchavo inclui ampliar idade-limite e regra que permite a reeleição de Alcolumbre e Maia

Movimenta os bastidores de Brasília um conchavo ousado, que oscila entre o “sonho” e o golpe institucional, para aprovação de uma “PEC do Fraldão”, ampliando de 75 para 80 anos a idade-limite de aposentadoria no setor público, a fim de estender por mais cinco anos a permanência dos atuais ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O objetivo seria impedir que o presidente Jair Bolsonaro de nomear ministros na Corte. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

No mesmo pacote, seria aprovada a regra que é sonho de consumo de Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, permitindo a reeleição da dupla.

O conchavo ocorre cinco anos após a aprovação casuísta da PEC da Bengala, que ampliou a idade-limite de 70 para 75 anos.

O deputado Arthur Lira (AL), líder do PP e do Centrão, tomou conhecimento do conchavo e já avisou que a PEC do Fraldão não tem chance de ser aprovada no Congresso

O líder do Governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (MDB-TO), não acredita que a PEC do Fraldão prospere: “Acho improvável”.

Ciro vai controlar distribuição de R$ 140 milhões do PP nas eleições

O Progressistas do senador Ciro Nogueira informou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) os critérios que vai adotar para distribuir os recursos que cabe ao partido no bolo de R$ 2 bilhões do Fundo Eleitoral. E no PP não tem discussão: a distribuição vai ser feita através da Executiva nacional do partido, o que confere a Ciro um poder significativo na definição do destino de cada centavo proveniente do Fundo Eleitoral. Outros partidos adotam estratégia semelhante, concentrando boa parte dos recursos nas mãos do comando da sigla.

O PP é a quinta maior fatia do bolo do Fundo Eleitoral, com R$ 140,2 milhões. Antes vem o PT (R$ 200,9 milhões), o PSL (R$ 193,6 milhões), o PSD (R$ 157,1 milhões) e o MDB (R$ 154,8 milhões). No total são 33 partidos com direito a uma parcela do Fundo, mas um deles (o partido Novo) não aceitou os recursos que somariam R$ 36 milhões. Conforme a legislação, cada sigla deve informar ao TSE os critérios de distribuição do dinheiro.

No caso do partido de Ciro Nogueira, 100% do repasse do Fundo Eleitoral serão divididos conforme as decisões da Executiva Nacional. No caso do PSL, metade (cerca de R$ 99 milhões) fica nas mãos da Executiva. A outra metade será dividida privilegiando algumas lideranças, como a deputada Joyce Hasselmann, pré-candidata à prefeitura de São Paulo. O Solidariedade  também destinará cerca de dois terços dos recursos (ou R$ 46 milhões) através das decisões da Executiva nacional da sigla.

Essa estratégia fortalece as grandes lideranças partidárias, que podem distribuir os recursos conforme a leitura das candidaturas no desenrolar das campanhas. (Fenelon Rocha)

A “estremecida” relação entre Wellington Dias e Ciro Nogueira

Relação entre senador e governo não anda bem (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

Durante visita às obras da nova maternidade de Teresina nesta quarta-feira (5), o governador Wellington Dias (PT) deu uma espécie de ultimato ao senador Ciro Nogueira sobre a permanência do Progressistas na sua base aliada. Jornalistas questionaram o petista sobre a relação conturbada com o partido de Ciro e ele disse que é chegada a hora de uma definição.

“Acho que é um direito que os partidos têm de montar sua estratégia. Em um determinado momento vamos ter que tomar uma decisão. Quero dizer que tenho muita gratidão por tudo que trabalhamos juntos. Espero que a gente possa ter essa capacidade de diálogo. A gente vai ter que tomar uma decisão e isso também tem que ser, como se diz, olho no olho”, afirmou.

Essa é a primeira vez que Wellington fala de modo mais incisivo sobre a permanência — ou não — do Progressistas em base do seu governo. A intenção de continuar sendo aliado do PT no Piauí parece não existir mais em Ciro, mas ele segue ocupando secretarias na gestão estadual

“Vamos esperar um pronunciamento do governador” – diz Ciro

Relação política entre Ciro e W.Dias não é boa (Foto: Jailson Soares/PoliticaDinamica.com)

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) disse na tarde desta quarta-feira (5) ao Política Dinâmica que soube do rompimento entre ele e o governador Wellington Dias (PT) pela imprensa. O fim da aliança entre os dois tem sido divulgado em alguns sites, mas apesar disso Ciro nega que tenha havido rompimento, pelo menos da parte dele.

“Estou sabendo pela imprensa. Recebi o governador na minha casa, ele e o senador Marcelo, e em minuto nenhum ele falou de rompimento. Mas vamos aguardar um pronunciamento do governador porque em minuto nenhum ele falou em nada de rompimento aqui comigo”, disse.

Na terça-feira (4), Wellington Dias foi até a casa de Ciro em Brasília tratar da relação política entre o governo estadual e o Progressistas. O senador Marcelo Castro (MDB), eleito junto com Ciro e Wellington na chapa governista em 2018, foi junto com o governador. (Com informações do Política Dinâmica)

 

 

‘Terror’ dos bolsonaristas, Alexandre de Moraes vai comandar eleições de 2022

Ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. Foto: Nelson Jr./STF‘Líder da oposição’ no STF assumirá a presidência do TSE em agosto de 2022

Indignados com Alexandre de Moraes, que no Supremo Tribunal Federal (STF) tem anulado atos do presidente, processado seus seguidores e até cancelado o direito deles à liberdade de expressão, bolsonaristas ainda não viram nada. Não se deram conta de que o ministro, que têm na conta ser “líder da bancada de oposição” no STF, comandará a eleição presidencial de 2022 como presidente do Tribunal Superior Eleitoral. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A vez de Alexandre de Moraes na presidência do TSE começará dentro de dois anos, em agosto de 2022, quando substituirá a Edson Fachin.

Se até 3 de outubro de 2022 não tiver sido afastado pelos seus adversários no STF, a tendência de Jair Bolsonaro é disputar a reeleição.

Os bolsonaristas celebram pesquisas apontando o favoritismo do atual presidente em 2022, mas deveriam ficar atentos ao juiz desse jogo.

O atual presidente, Luís Roberto Barroso, fica no TSE até fevereiro de 2022, quando termina o seu segundo período como ministro efetivo.

OPINIÃO:”O CUSTO DE PROTEGER REJANE DIAS”

Por:Marcos Melo

Desde 2018, só não viu quem não quis ver: a Operação Topique chegaria inevitavelmente na casa da deputada federal Rejane Dias (PT), que foi secretária de Estado da Educação durante a terceira gestão de Wellington Dias (PT), seu marido, no Governo do Piauí.

Lá atrás, uma delação certamente deixaria do lado de fora da cadeia quem operou o esquema sob o comando dela. 

Mas um estranho sentimento de “isso não vai dar em nada” e a ingenuidade de se achar protegido impediu muita gente de abrir o bico. 

Teriam devolvido algum dinheiro, o que para alguns dói mais que ver a reputação na lama. Porém, haveria chance de escapar de prisão.

Resultado: mesmo com o acobertamento dos cúmplices dela, de todo jeito a PF chegou em Rejane. E também no irmão dela, Rogério Ribeiro, e na prima dela, Pauliana Amorim. 

E sem ajuda de delatores. A notícia é de que não há mais benefícios na mesa. Uma pena para Helder Jacobina, Ronald Moura e companhia. 

Mais suplentes:PT estuda licenciar Limma da Alepi para Liziê assumir cadeira

Foto: Divulgação/Alepi

Circula nos bastidores políticos que o deputado Francisco Limma (PT), pode se licenciar de seu mandato. A justificativa é que ele, recém eleito como presidente estadual do PT, deve se dedicar às eleições municipais, pensando em estratégias para fortalecer a sigla, que tem como meta eleger 50 prefeitos.

Caso isso ocorra, a suplente Liziê Coelho, pode ocupar a cadeira na Casa, por pelo menos, 120 dias. Isso porquê, recentemente, Limma declarou que, o estatuto do partido o impediria de ocupar algum cargo na administração estadual, como vinha sendo apontado. Por outro lado, estratégia é o que não falta.(Encarando)

Governo já estuda renovação do auxílio emergencial com valores menores

Com a demora nas discussões sobre a criação do novo programa social do governo, batizado de Renda Brasil, e sob o impacto dos ganhos de popularidade do presidente da República, Jair Bolsonaro, a equipe econômica já trabalha com a possibilidade de estender o Auxílio Emergencial até o fim do ano.

Para evitar que o rombo nas contas públicas neste ano atinjam R$ 1 trilhão, a ideia do governo é negociar com o Congresso um valor menor, entre R$ 200 e R$ 300. Mas, para modificar o repasse, é preciso aval dos parlamentares.

Na semana passada, economistas do mercado financeiro viam nas viagens de Bolsonaro um sinal de que não haveria clima para encerrar o auxilio emergencial. O benefício foi criado em meio à pandemia do novo coronavírus e trouxe popularidade ao governo em um grupo em que o presidente tinha pouca entrada.

Um dos argumentos da equipe econômica para reduzir o valor do benefício é o de que já há sinais de retomada para muitos setores.

Governo economiza quase meio bilhão com trabalho remoto durante a pandemia

Brasília é a nova integrante do World Cities Culture ForumGastos com diárias, passagens e energia foram reduzidos ao mínimo, na pandemia

Com milhares de servidores públicos trabalhando de forma remota em casa por causa da pandemia, o governo federal conseguiu reduzir em R$ 466,4 milhões as despesas de custeio da máquina pública. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (3) pelo Ministério da Economia. 

Entre as principais despesas que foram economizadas estão deslocamentos e viagens a trabalho, que demandam pagamento de diárias e passagens, e os serviços de energia elétrica e comunicação. A comparação foi feita entre os meses de abril, maio e junho deste ano com o mesmo período de 2019. Somente com diárias e passagens, o governo economizou mais de R$ 271,4 milhões, um valor 67,5% menor em relação ao ano passado. Os gastos com energia elétrica caíram, na média dos três meses, 22,4%, uma economia de R$ 127,9 milhões. Os serviços de comunicação (correios), de água e esgoto e cópia e reprodução de documentos também tiveram quedas expressivas no mesmo período.

Trabalho remoto

Na semana passada, o Ministério da Economia publicou a Instrução Normativa nº 65, que estabelece orientações para a adoção do regime de teletrabalho nos órgãos e entidades da administração pública federal. Até antes da pandemia, o teletrabalho ou trabalho remoto, no Executivo Federal, era permitido apenas na forma de projeto-piloto. De acordo com a Secretaria Nacional de Desempenho pessoal da pasta, 360 mil servidores estão em trabalho remoto: 270 mil são de universidades e institutos federais e 62% da força de trabalho do Executivo.

Onde Fábio Abreu acha tanto dinheiro?

Por: Silas Freire

Circula no meio político uma folha mensal do pagamento crescente mantida pelo o staff do deputado Fábio Abreu a lideranças comunitárias em Teresina, jornalistas e pessoas da mídia, bem como administradores de grupos de WhatsApp e candidatos a vereadores. Essa relação de mimos estaria esbarrando em R$ 200 mil reais por mês. O que não é fácil de acreditar. Mas a pergunta é: de onde o pré-candidato tiraria tanta grana assim para as gratificações ou ‘voucher Abreu‘, como estão chamando?

Os valores variam de R$ 500 até R$ 3 mil reais. Este último valor, seria direcionado a uma lista onde estariam nomes de repórteres, comentaristas políticos, editores de portal e donos de grupos de WhatsApp, tudo para fomentar o nome do homem na capital. Dinheiro mal empregado esse, pois Abreu sequer consegue ultrapassar a faixa de 15% em nenhuma pesquisa, mesmo gastando uma fortuna dessa. O Ministério Público Eleitoral já está de olho, o que falta agora são outras autoridades, se isso verdade for, saberem de onde sai tanta grana. Nem o gabinete do deputado todo deve somar essa importância. (Fonte:Encarando)

Deu na imprensa:”Parnaíba – Oposição se unirá para tentar derrotar Mão Santa”

Zé Hamilton , Tererê e Dr. Hélio estariam organizando a união das oposições para derrotar o prefeito de Parnaíba, Mão Santa. As pesquisas feitas na cidade sinalizam para uma fácil vitória de Mão Santa, se existir divisão.

O nome mais cotado para assumir a ponta da candidatura, seria de Zé Hamilton, o melhor colocado nas pesquisas com Tererê de vice, mas tudo precisa ainda ser combinado com Florentino Neto, ex-prefeito e hoje secretário de Saúde. Samarone, atual vice-prefeito também corre por fora e não sinaliza fazer parte dessa união.(Por:Silas Freire/Encarando)

MEC autoriza aulas à distância em instituições federais de ensino técnico

Do Poder360

O Ministério da Educação publicou nesta 3ª feira (4.ago.2020) no DOU (Diário Oficial da União) portaria que autoriza instituições federais de educação profissional técnica de ensino médio a suspenderem o calendário escolar ou a terem aulas à distância. A medida é válida até 31 de dezembro de 2020.

A medida determina que as instituições possam combinar as duas alternativas, suspendendo apenas parte das atividades e realizando as demais de forma não-presencial, “sempre que for possível e viável do ponto de vista estrutural, pedagógico e financeiro“. O MEC determinou que os institutos que escolherem suspender o calendário de atividades devem repor integralmente a carga horária perdida.

Caso a instituição opte pelo ensino à distância, é preciso que “sejam disponibilizados aos estudantes o acesso, em seu domicílio, aos materiais de apoio e a orientação que permitam a continuidade dos estudos, com maior autonomia intelectual“.

Se o curso tiver a realização de estágio ou atividade prática prevista no currículo, cabe a instituição aprovar uma alternativa, desde que “garanta a replicação do ambiente de atividade prática e/ou de trabalho” e “propicie o desenvolvimento de habilidades e competências esperadas no perfil profissional do técnico“.

Prefeito de Araioses mantém reunião em São Luís-MA

O Prefeito de Araioses, Dr. Cristino esteve na manhã desta segunda-feira (03/08) na capital maranhense, acompanhado do assessor de articulação institucional Levindo Carneiro, no escritório do Deputado Federal Aluísio Mendes, representado pelo seu assessor Celso.

Aluísio Mendes foi agraciado como vice-líder governo do presidente Bolsonaro na Câmara Federal. Na oportunidade o assessor Celso Dias recebeu Dr. Cristino para tratar sobre a ida do deputado ao município para as inaugurações de obras no município como Mercado Público e Estrada da Bacia Leiteira de Remanso, Centro de Combate ao COVID – 19.
Também foram tratados investimentos para o município através do Governo Federal.
“O deputado Aluísio Mendes tem usado todo seu prestígio junto ao governo federal para viabilizar ações para municípios maranhenses”, disse o assessor Celso Dias.
“Nosso tão sonhado Mercado Público será concretizado e nossa a estrada da Bacia leitera de Remanso também após vários anos se abandono também será entregue para a população. Aluísio Mendes faz parte da realização dessas e de muitas outras ações, então vamos continuar nosso trabalho em parceria para que nossa população seja beneficiada cada vez mais!”, declarou o prefeito Dr. Cristino.
Fonte: Djair Prado

Projeto de Lei obriga consultas oftalmológicas e óculos para alunos do Estado

O projeto de lei é de autoria do deputado estadual Henrique Pires (MDB)

Apresentação de exame oftalmológico no ato da matrícula e nos casos em que haja a impossibilidade de que ele seja realizado por falta de condições são algumas as obrigações previstas no projeto de lei proposto pelo deputado estadual Henrique Pires (MDB) e que tramita na Assembleia Legislativa do Piauí.

“Os responsáveis por crianças do ensino fundamental público, incluindo o programa de educação de jovens e adultos (EJA), deverão apresentar, no ato da matrícula, atestado médico oftalmológico do aluno. Na ausência da entrega do atestado, a escola encaminhará o aluno para os serviços de assistência social e/ou do Sistema Único de Saúde – SUS”, defende a proposta do deputado.

Nos casos em que atestado médico oftalmológico não seja apresentado pelos pais ou responsáveis no ato da matrícula, a respectiva consulta deverá ser agendada pela direção da escola, juntamente com a Secretaria de Estado da Saúde, mediante programação de turmas.

Além da realização do exame, Henrique Pires defende ainda que quando for comprovada a necessidade de uso de lentes oculares corretivas por estudantes carente, o aluno seja beneficiado com sua concessão gratuitamente pelo Estado ou programas institucionais e/ou organizações não governamentais.

Fonte: Alepi

Estudantes criticam decisão da Uespi de manter aulas suspensas e pedem ensino remoto

A Universidade Estadual do Piauí (UESPI) decidiu manter a suspensão das aulas presenciais devido à pandemia do novo coronavírus. A instituição divulgou a portaria CONDIR 006/2020 anunciando a decisão. Os alunos reagiram com  críticas e pedem o retorno das atividades por meio virtual.

As aulas presenciais estão suspensas desde o dia 16 de março e até agora não foi apresentada previsão para implantação de aulas remotas pela instituição. Os estudantes afirmam que estão sendo prejudicados com a suspensão total das aulas.

Nas redes sociais, a reação à portaria foi imediata. Os alunos afirmam que responderam questionários e que algumas coordenações de cursos apresentaram sugestões para o retorno remoto. Eles esperavam que a portaria divulgada na sexta-feira (31) trouxesse a data para as aulas remotas. 

A assessoria de comunicação da instituição afirma que o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPEX) fez uma minuta de resolução para decidir sobre o ensino remoto. A decisão é dos conselheiros. A resposta deverá ser dada na próxima semana.  O comitê é formado por representantes discentes de Centros Acadêmicos, do DCE, diretores de todos os 12 campi e representante sindical dos técnicos.

A instituição afirma que há uma preocupação com os alunos que não têm acesso a internet de qualidade. A assessoria ressalta que essa preocupação já foi levada ao Governo do Estado para que nenhum aluno possa ser prejudicado. A assessoria explica ainda que todas as informações estão no site da instituição. Na quinta (30), o comitê realizou uma videoconferênca sobre esse e outros assuntos.

Nota da Uespi:
Em reunião por videoconferência, o Comitê Gestor de Crise da Universidade Estadual do Piauí (UESPI) deliberou sobre a possibilidade da universidade oferecer o ensino remoto das disciplinas teóricas desde que o Estado dê as condições necessárias para docentes, técnicos e discentes.
A decisão do Comitê Gestor de Crise foi tomada levando em conta a pesquisa realizada pela subcomissão de Ensino junto aos discentes e aos Coordenadores de todos os cursos da UESPI. Participaram 4.664 discentes e 109 coordenadores que responderam sobre: meios de acesso a internet, qualidade do sinal, participação em pesquisas e extensão, cursos oferecidos pelos docentes de cada curso, blocos com aulas práticas, quantidade de alunos por curso, professores e discentes que fazem parte do grupo de risco ou convivem com pessoas do grupo de risco da COVID-19 e outras questões que nortearam o posicionamento do Comitê Gestor de Crise.
A sugestão do Comitê Gestor de Crise será enviada, agora, para à Administração Superior.

(Lídia Brito @cidadeverde.com)

Sessões ordinárias na Câmara Municipal continuam virtuais: o retorno presencial ainda este mês

A Câmara Municipal de Parnaíba vai dar continuidade com as sessões ordinárias por meio do aplicativo do WhatsApp (virtuais), evitando assim aglomerações no plenário e permitindo que os trabalhos legislativos possam continuar durante o período da pandemia.

De acordo com presidente da Câmara,vereador José Geraldo Alencar informou que tem planos de retorno das sessões presenciais para outros 15 dias deste mês.  “Nesses primeiros 15 dias do mês continuaremos de forma virtual, mas estamos nos organizando para o retorno das sessões, mas sem acesso ao público, assim como eventuais sessões extraordinárias e audiências públicas.

Presidente falou que serão tomadas todas as medidas necessárias para a volta das atividades, reforçando ainda mais os critérios de segurança. “Será obrigatório o uso de máscaras, a disponibilização de álcool 70º e distanciamento social. ”, explica o presidente da casa legislativa.

Presidente Geraldo Alencar Filho

Geraldo Alencar falou ainda que, no início da pandemia, as sessões davam prioridades às aprovações somente de projetos de Lei do Executivo e Legislativo, mas que agora os vereadores já estão colocando os requerimentos em prol da cidade de Parnaíba.

A Câmara permanece fechada para evitar aglomerações. “Os trabalhos em prol da cidade continuam, mas com a compreensão e colaboração de todos, conseguiremos prevenir e controlar essa pandemia”, pontua o presidente.

Todos os projetos estão disponíveis no site da Câmara: http://www.parnaiba.pi.leg.br/

Fonte: ASCOM