Opinião: Cadê a terceira via?

Sem nenhum dos postulantes a terceira via se destacando como opção para as eleições presidenciais de 2022, a polarização da campanha entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o atual presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) dificulta ainda mais a projeção de um novo nome para terceira via. Sem a construção de uma candidatura forte dentre os nomes já disponíveis como terceira via fica ainda mias distante a possibilidade de mudanças no cenário eleitoral para o próximo ano.

Até o momento, os candidatos que se colocam como opção na terceira via não são nomes novos na política e parecem ainda não agradar os indecisos. Os tucanos insistem em apontar como possível candidato o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), que ainda não decolou nas pesquisas e aparece sempre com o mesmo percentual, outro que ainda parece descontrolado em alguns dos seus argumentos é o Ciro Gomes (PDT). O pedetista de vez faz um dos seus vídeos polêmicos viralizar, porém nesses vídeos aparece tanto elogiando quanto criticando o ex-presidente Lula, da mesma forma faz com o governo Bolsonaro, mostrando que seu nome como terceira via pode ser “mais do mesmo”.

Enquanto não surge um nome novo ou os “velhos” não se colocam como novo opções, milhões de eleitores aguardam o pleito e assim como em 2018 poderá haverá um novo recorde nas abstenções. Vale lembrar que nesse último pleito eleitoral, 42,1 milhões de brasileiro optaram por votar nulo, branco ou se quer compareceram ao local de votação, sendo que 147,43 milhões de brasileiros estavam aptos a votar.

A esperança do candidato da terceira via é conseguir esse percentual de cerca de 30% dos brasileiros que não tem interesse na volta do PT à presidência, e muito menos querem dar outra chance ao presidente Bolsonaro. Para maioria dos especialistas ouvidos ainda no fim das eleições passadas, o número demonstra o descredito dos eleitores com relação à política e as mudanças que ela pode trazer. Quanto mais se polariza a eleição, maiores as chances do eleitor não se sentir representado por nenhuma das duas opções postas, abstendo-se assim da escolha até mesmo do “menos pior”.  (Por: Gil Oliveira)

O Presidente da FIEPI – Zé Filho – vai desistir da pré-candidatura a deputado?

Nos bastidores da política, durante a semana, ocorreram muitas especulações em torno do nome do presidente da Federação das Indústrias do Piauí, Zé Filho, a respeito de sua pré-candidatura a deputado estadual. Primeiro, que ele teria estudado a conjuntura política, observado que perdeu apoio de algumas lideranças na região e que por isso teria desistido da candidatura. Segundo: que teria conversado com o governador Wellinton Dias, em Luíz Correia, e que estaria na iminência de fechar sair como candidato a vice do secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, pré-candidato à sucessão do governador.

Presidente da FIEPI- Zé Filho

Tentamos entrar em contato com o Zé, não conseguimos. Deixamos uma mensagem no Zap e não obtivemos respostas, porém, há o que se ponderar a respeito destes comentários: Desistir da candidatura, com medo de repetir uma votação apenas sofrível, que o fizesse apenas suplente, como o é atualmente, não sabemos ser  o caso. Zé Filho tem todo um legado, inclusive político, herdado do falecido deputado Moraes Sousa, que ele não pode abandonar de uma hora para outra. Não é seu feitio abandonar o barco. Reconheça-se a luta dele, para não entregar a FIEPI na mão de pessoas outras que a esvaziariam em Parnaíba, levando tudo para Teresina, como é desejo, há muito tempo, de alguns empresários da capital. Isso é característica de quem tem compromisso com esse legado do falecido Antônio José.

Zé Filho hoje é do partido de Ciro Nogueira

Por fim, ser vice do pré-candidato do PT, Rafael Fonteles, já tendo sido vice -governador e até governador, seria uma grande  surpresa nos meios políticos. Isso porque, o lugar de vice já teria sido prometido a partidos da base aliada, inclusive o MDB, que o indicou em 2010 como candidato a vice de Wilson Martins, porque no Partido ninguém acreditava na eleição do “Molim Molim”. Ou será que a história se repete: Dá a vice para Zé Filho porque não acreditam que Rafael Fonteles possa ganhar a eleição? E mais: Zé Filho hoje está fialiado do PP- partido de oposição ao Governo do Estado. Zé teria até o início do próximo mês par mudar de partido, de novo. E aí, Zé desiste ou permanece na disputa???

Prefeitura de Parnaíba se omite e população fica sem transporte coletivo nos feriados

Apesar de algumas lojas estarem abertas no centro comecial da cidade, na manhã desta quarta-feira,  inclusive o comércio do Calçadão da Rua Marechal Deodoro, a Cooperativa dos Transportes Coletivos de Parnaíba (Coopertranp) achou por bem não colocar um ônibus sequer para funcionar nesta quarta-feira, privando as pessoas de seus compromissos no centro da cidade. Até parece que os donos da Coopertranp fazem o que querem e a prefeitura de Parnaíba apenas se omite.

Na rádio Liderança, na manhã de hoje, foram divulgadas várias denúncias neste sentido: “A Elisabeth, moradora do bairro João XXIII, e que é diarista, está sem trabalhar há dois devido a falta do transporte coletivo nestes dias (feriados). “Eu trabalho na casa de minha avó lá no bairro São Francisco, eu já não fui trabalhar nem ontem e nem hoje, por causa que não ter ônibus. Eu sei que a maioria daqui de Parnaíba tem transporte, mas tem umas pessoas que não tem, e que depende de transporte”, disse a usuária dos serviços.”

Outra denúncia:”O Francisco Maciel, também  usuário do transporte coletivo, reclama que os transportes deveriam ser geridos por uma única empresa, para que os usuários do serviço possam saber para quem reclamar. “São vários donos, ninguém sabe nem para quem reclamar”, disse. Enquanto o Nonato Silva, conta que deixou de pegar a van, pois no lugar da parada de ônibus, no bairro Planalto Montserrat, existe um lixão. Disse ainda que o serviço tem deixado a desejar no município.”

O outro lado

No último dia 27 de julho, o Secretário de Transportes de Parnaíba, Maurício Machado, ao lado do coordenador do transporte coletivo, Sr. Aluísio, informou a um blog da cidade que ao todo foram reduzidas de 70% a 80% da frota de micro-ônibus no município devido a pandemia; uma outra redução foi quanto aos dias de circulação por conta da falta de passageiros. Segundo o secretário a procura estaria pequena. O coordenador do transporte coletivo informou que a previsão de retorno à normalidade seria para o mês agosto, por conta da volta as aulas, todavia, as aulas na rede pública não voltaram, sendo assim não há previsão para normalidade do transporte coletivo.

O feriado prolongado no município de Parnaíba, fez com que o funcionamento do transporte coletivo fosse reduzido, ainda mais. De acordo com Tomaz de Souza, presidente da Coopertranp (Cooperativa de Transporte Alternativo e Autônomo de Parnaíba), que é o operador desse serviço no município, nesta quarta-feira, feriado da padroeira do município, a circulação dos veículos não acontecerá. “O número de passageiros fica bem reduzido e por esse motivo nós não temos viabilidade econômica de fazer os serviços que a gente faz em dias normais”, explicou. 

Como se vê, transporte coletivo não é  prioridade para a administração municipal visto que, em momentos como este, a prefeitura não se digna a intervir, a fim de não prejudicar quem não tem transporte particular e depende do transporte público para se deslocar e cumprir com os seus compromissos. (Com informações de Naã Furtado/ opiauies)

Pré-candidatura vereadora Neta não atrapalha projeto político do presidente da FIEPI Zé Filho?

Rigorosamente é querer tapar o sol com uma peneira dizer que uma provável candidatura da vereadora Neta Castelo Branco a deputada estadual não atrapalharia o projeto político do presidente da Fiepi, Zé Filho, que pretende também uma cadeira na Assembleia Legislativa. Neta já seria o 6º nome de pessoas que moram em Parnaíba e têm a mesma pretensão. Sem falar nos candidatos que buscam o eleitorado local querendo comprar votos. E uma divisão dessas num mesmo grupo político não atrapalha???

Abre o olho, Zé!

Em nota divulgada ontem pelo grupo político de Mão Santa  “a pré-candidatura de Neta Castelo Branco foi lançada pelo ex-deputado federal Heráclito Fortes, não tendo qualquer relação com isso dona Adalgisa, Mão Santa e Gracinha”. Diz ainda a nota que “tanto Mão Santa como Adalgisa reafirmam que seu apoio nas eleições do próximo ano será para Zé Filho (deputado estadual) e Gracinha Moraes Souza (deputada federal)”. Mas só o apoio da família é suficiente para eleger o parente?!!!

O que existirá realmente por trás de tudo isso? Algum resquício ainda de descontentamento de Heráclito Fortes com Zé Filho, que em 2018 lançou a ex-deputada estadual Juliana Falcão na disputa para deputada federal, concorrendo com Heráclito, que terminou perdendo a eleição? Ou a vereadora Neta lembrando do apoio prometido por Zé Filho, para sua candidatura a vereadora no ano passado e que não se concretizou? Zé Filho e seu grupo político apoiaram o vereador eleito Davi Soares. Muita água ainda vai correr por debaixo dessa ponte. Mas,por enquanto,  toca o baile!!!

Matadouro Municipal volta ser tema de discussão entre vereadores de PHB

Passados 4 anos de inaugurado pelo prefeito Mão Santa, completados dia 14 de agosto último, o Matadouro Público de Parnaíba vai ser tema novamente de discussões na Câmara Municipal de Parnaíba, nesta quarta-feira (1º/9), segundo informa a assessoria de imprensa daquela Casa Legislativa.

Além do matadouro, os vereadores vão discutir também sobre regulamentação fundiária, ponte de Parnaíba a Pedra do Sal, estrada da Pedra do Sal e urbanização da orla da Pedra do Sal. Certamente será uma audiência pública que tem horário para início- às 10 horasda manhã, mas sem hora para terminar. Será mais uma audiência de muita conversa, com cada vereador querendo dar “pitaco” mas, ao final, o tempo dirá que, como outras audiências públicas ali realizadas, tudo será transformado em espuma.

Empresário Onofre Martins Filho – candidato a deputado?

O comentário está na coluna “Apressadinhas”, do Portal do Catita:“Uma fonte contou que o empresário Onofre Martins Filho(Parnauto), poderá disputar mandado de deputado estadual nas eleições que se aproximam no Piauí. 

O maior empreendedor de Parnaíba é filiado ao MDB. A filiação dele é histórica. Muitas décadas de agremiação. Mas nunca saiu candidato! Talvez seja a hora”.

Sem dúvidas, é de nomes como o do empresário Onofre Filho que Parnaíba precisa urgentemente no cenário político. Do contrário, continuaremos vendo aventureiros querendo um cargo eletivo, com o desejo único do benefício pessoal, ou seja, vontade de ficar rico, seja de que maneira for. Seria uma decisão nobre, se o Dr. Onofre assumisse essa candidatura. Mas, pelo que conhecemos dele, tudo ficará no campo do comentário e da especulação. Que estejamos errados (Bernardo Silva)

Perturbação do sossego público: Desabafo de um morador da Praça Mandu Ladino

Venho expressar aqui toda indignação em relação a um problema que persiste há anos na Praça Mandu Ladino e nunca foi resolvido. Pessoas que saem do seu lar pela madrugada perturbando os moradores da praça com gritaria, sons, bombas e até mesmo tentando extraviar alguns objetos que tem na praça como brinquedos, lixeiras e etc. Quem pode punir esses infratores?

Nós moradores já corremos para tudo e todos, mas sem solução. A Prefeitura alega que não é do município e a polícia, por sua vez, na maioria das vezes quando precisamos e ligamos, somos super mal tratados. Será por que não se colocam no lugar de moradores que em sua maioria são idosos, enfermos ou outros que trabalham o dia inteiro para? Fica a pergunta…

Quer dizer que não existe punição para isso? Perturbação é crime e nunca é resolvido o problema? Praças públicas são feitas para diversão e não para perturbação dos moradores que nela habitam.

Até quando permanecerá essa omissão? Um jogando pro outro e não se resolvendo nada, enquanto isso todos os finais de semana a mesma coisa. Não há quem aguente. Estamos adoecendo …

Seria bom ter pelo menos um pouco de empatia, se coloquem no lugar dos moradores da Praça Mandu Ladino. Isso tem que ser resolvido!!! Não aguentamos mais..

Dr. Hélio ressalta que vacinação é vital contra a variante Delta da Covid-19

O deputado Dr. Hélio (PL) advertiu nesta quarta-feira (11/08) a população piauiense sobre a disseminação da variante Delta da Covid-19 no Brasil, assinalando que ela é muito contagiosa e vem crescendo no Rio de Janeiro onde representa 45% das amostras de contaminações e em São Paulo, com 23% das amostras.

DR. HÉLIO - Notícias, Fotos e Vídeos - Política - Página 1 - GP1

“Essa variante já vem atingindo todo o Brasil e as vacinas são eficazes para combatê-la”, afirmou ele, assinalando que é importante que as pessoas continuem sendo imunizadas contra o novo coronavírus.

Dr. Hélio lembra que o Governo do Piauí tem feito um trabalho exemplar no combate à pandemia, tendo à frente o governador Wellington Dias e o secretário de Saúde, Florentino Neto. Ele frisou que, devido a esse trabalho, a variante Delta ainda não tem prevalência grande no estado.

O parlamentar acrescentou que a vacinação impede que menos pessoas adoeçam se tiver contato com a variante Delta e lembrou que a redução das contaminações pelo novo coronavírus no Piauí possibilitou a menor ocupação dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e o retorno das cirurgias eletivas nos hospitais, como as ortopédicas, bem como dos mutirões da catarata.

O orador informou que cerca de 500 pacientes fizeram cirurgia de catarata no litoral piauiense no último final de semana. “Consideramos acertada a decisão da Sesapi (Secretaria Estadual de Saúde) de intensificar os mutirões de catarata, bem como de outras cirurgias”, assinalou.

O deputado Paulo Martins (PT), em aparte, disse que, devido à vacinação, houve crescimento das vendas no comércio de Teresina e que é importante que as pessoas não deixem de tomar a segunda dose do imunizante para evitar o aumento das contaminações pela Covid-19.

Dr. Hélio Oliveira concordou com Paulo Martins e declarou que as pessoas devem tomar a segunda dose para que fiquem completamente imunizadas contra a Covid-19. Ele afirmou que a vacinação permitirá o retorno da normalidade e que é requisito básico para que “tenhamos um final de ano em que poderemos nos abraçar e agradecer a Deus e à ciência pela vitória contra a pandemia”. (Fonte: Alepi)

Opinião: Barco do grupo político de Ciro Nogueira segue sem rumo

Nada pode representar mais a situação da oposição ao Rafael Fonteles do que uma navio velho em chamas, enfrentando um mar agitado e naufragando.
Depois da posse de Ciro Nogueira como Ministro da Casa Civil, as chances da oposição ter um candidato competitivo está cada vez mais distante.
Olhando rapidamente as redes sociais de Sílvio Mendes, vemos um político que não é pré-candidato a NADA. No máximo sua única disposição é ser candidato a uma nova pescaria.
João Vicente Claudino não tem nem redes sociais e, assim como Sílvio, deveriam estar discutindo os problemas do estado diária e consistentemente.
Com a partida precoce de Firmino, o navio de Ciro Nogueira está sem norte. Talvez esse tenha sido o maior motivo que levou o senador a assumir a Casa Civil e ser alvo constante de críticas da mídia nacional.
Se por um lado o senador piauiense fica forte nacionalmente, por outro, vê seu partido afundando em águas locais e uma oposição com um trabalho difícil em relação ao candidato governista.
O presidente dos Progressistas ficou a ver navios com a pouca desenvoltura de seus aliados locais em se mostrarem oponentes combativos e isso mostra mais uma vez que Ciro não está muito preocupado com a eleição de Rafael.
Enquanto isso a poderosa embarcação de Rafael Fonteles e Wellington Dias segue de vento em popa. (Fonte:O Piauiense)

Estamos esquecendo de cobrar nossos políticos?

A Câmara Municipal de Parnaíba retornou às sessões ordinárias, após um mês de recesso. As reuniões agora serão três dias na semana de forma híbrida. Pode ser que agora possamos ter de parte dos vereadores uma ação mais efetiva, que responda às demandas da população. É preciso cobrar mais dos nossos políticos. Os vereadores de oposição, até agora, não cumpriram o papel que lhes cabe. E a amizade do prefeito Mão Santa com Bolsonaro, que frutos rendeu de fato até agora, a não ser publicidade??? Acompanhe nosso comentário acima.

“Encontros com o Inovação”: Nós fizemos história em Parnaíba

POR:BERNARDO SILVA

LENDO o livro “Tributo a Canindé Correia”, o primeiro da série “Encontros com o Inovação”, fui transportado para meus tempos de recém saído da adolescência, praticamente iniciando minha vida profissional na  redação do Jornal Folha do Litoral e nos estúdios da Rádio Educadora de Parnaíba,  e morando na Rua Vera Cruz, a mesma onde residia Reginaldo Costa e Francisco José Ribeiro, os artífices do jornal Inovação, que mais tarde seria o Movimento Cultural e Social Inovação.

Além dos filhos que Deus me permitiu trazer ao mundo, junto com minha falecida esposa, só me traz felicidades e realização lembrar de minha participação no Jornal Inovação; as angústias, perseguições, a insegurança em que vivíamos em tempos de ditadura; as alegrias dos bons papos, boa cerveja, caranguejos, enfim, a boemia permitida por nossas idades, à época, são fatos inesquecíveis. Particularmente, fã da turma do jornal “O Pasquim”, achava que éramos a versão nordestina daquele peródico.

Reginaldo Costa e Bernardo Silva

Reginaldo Costa está de volta. Nos tempos de jornal Inovação, com ele fui processado pelo ex-prefeito Batista Silva, por conta da queima dos tapumes da Praça da Graça (mas esta é outra história). Reginaldo está publicando uma série de livros por ele denominada “Encontros com o Inovação”, iniciando com a figura ilustre e querida do “nosso” Canindé, como assim a ele se referia o poeta amigo Elmar Carvalho. O livro está à venda, na Banca do Louro, e pode ser adquirido ao preço de R$ 25,000.

“Francisco de Canindé, o menos religioso e também o mais pobre (de bens materiais), porém o mais sorridente dos Correia, aquele que nas décadas de sessenta e setenta (em plena ditadura), era considerado uma espécie de conselheiro dos comunistas parnaibanos” – escreveu o poeta, escritor e promotor de justiça aposentado, Pádua Santos.

Foto feita em agosto de 2019,, na Praça da Graça/Banca do Louro, quando comemoramos com uma edição do Inovação, os 40 anos do jornal.

Foto mais “famosa” com o grupo do Jornal Inovação, que foi publicada pelo escritor e poeta Elmar Carvalho em várias de suas obras.

Meu nome- Bernardo Silva – consta como um dos próximos homenageados. Que venha a homenagem enquanto eu em vida, coisa que não ocorreu com o Canindé. Já disse e vou deixar por escrito, com firma reconhecida em cartório, que depois de morte a família não aceite nenhum tipo de homenagem que não seja oração. Os mortos só precisam de orações e boas lembranças. É minha maneira de pensar sobre mim mesmo. Mas, de qualquer sorte, de parabéns está o Reginaldo Costa pela iniciativa. Parnaíba merece mais um pouco dessa história que ajudamos a construir, contada por quem a viveu plenamente.

Edição de 40 anos do Jornal Inovação

O Centrão venceu: Ciro Nogueira mudou para melhor ou pior?!

Na tarde desta quarta-feira, o senador Ciro Nogueira assumiu como Ministro-Chefe da Casa Civil, o segundo cargo mais importante da República. Essa é a vitória do Centrão após diversas pressões sobre o Governo Bolsonaro.
Em 2018, Ciro Nogueira apoiou Fernando Haddad nas eleições para presidente. Menos de seis meses depois, ele já mudara de lado e apoiava Jair Bolsonaro.
Ciro sempre está do lado do poder: apoiou FHC, Lula, Dilma e Temer até se tornar aliado do atual presidente.
Seu partido, o Progressistas, é o mais citado na Lava Jato e o próprio Ciro é um dos políticos com maior número de processos na operação da Polícia Federal.
Sobre suas opiniões sobre Bolsonaro – Ciro chamou o presidente de fascista em 2017 – o piauiense disse que mudou para melhor. 
Na sua opinião, o que você acha da nomeação de Ciro Nogueira como Ministro-Chefe da Casa Civil? Você acha que Ciro mudou para melhor ou pior?(Fonte: O Piauiense)

O Governo é uma disputa entre Centrão civil versus Centrão fardado

Centrão fardado e Centrão civil

Por Luis Felipe Miguel, professor, no A Terra é Redonda 

Acuado pela crise sanitária, social e econômica, colocado na defensiva pela CPI, o governo Bolsonaro luta pela sobrevivência. O capitão sabe que a parcela de eleitores que lhe é integralmente fiel, aqueles 25 a 30% que permanecem invulneráveis ao impacto da realidade, é fundamental para qualquer projeto eleitoral da direita. Este é seu capital. Mas parece cada vez mais improvável conquistar os votos restantes, que propiciem a reeleição. O discurso da “escolha muito difícil” será, em 2022, ainda mais constrangedor do que já era em 2018. Sob risco de ser abandonado pelos aliados ou mesmo de ver seu mandato abreviado – crimes de responsabilidade para isto não faltam –, Bolsonaro investe em duas estratégias paralelas: ameaça tumultuar o processo eleitoral e rateia o governo entre os políticos do Centrão.

São movimentos de alto custo. As bravatas contra as eleições aumentam a pressão para que as famosas instituições finalmente ajam para impor limites a Bolsonaro. E o acordo com o Centrão, como bem lembrou o general Mourão em outra estudada declaração pública, aliena de vez aquele eleitor que acreditou que Bolsonaro representava a ruptura com a “velha política”. O preço a pagar pela sobrevivência é aumentar a conta para o futuro imediato.

Até porque o modus operandi do Centrão, sobretudo diante de governos fracos, é o do saque, sem nenhum compromisso de longo prazo – no que lembra, aliás, a política econômica de Paulo Guedes. Um exemplo eloquente: mesmo entregando a Casa Civil a Ciro Nogueira, talvez recriando o Ministério do Planejamento para devolver ao grupo o controle do orçamento da União, Bolsonaro pode não conseguir a filiação ao PP. A imprensa reporta resistência de muitos caciques do partido, seja porque não desejam ver o clã do presidente dominando os diretórios locais, seja porque querem estar livres para apoiar outro candidato em 2022, em alguns casos ninguém menos do que o ex-presidente Lula.

O quadro se complica ainda mais porque o governo Bolsonaro já está em grande medida ocupado por um grupo dedicado a parasitar o Estado – os milhares de oficiais da ativa e da reserva que ocupam cargos civis e intermedeiam negócios, dos quais Pazuello foi o símbolo mais vistoso e Braga Netto é o porta-voz mais ativo. Este “Centrão fardado”, por assim dizer, ampara as intentonas de Bolsonaro contra as eleições do ano que vem, por medo de, com uma mudança de governo, perder as prebendas de que hoje desfruta. Não está feliz, portanto, de ver o Centrão civil invadir, com seu típico apetite de gafanhoto, os múltiplos espaços que conquistou nos últimos anos.

Por isso, é razoável interpretar – como fizeram vários jornalistas – o vazamento da conversa entre Braga Netto e Arthur Lira, na qual o ministro da Defesa anuncia sua intenção de impedir a realização das eleições, como parte deste conflito intestino (sem nenhum trocadilho). O general foi obrigado a um desmentido, ainda que capenga, e é forte a pressão para que seja ao menos investigado. Uma convocação pelo Congresso, para prestar esclarecimentos, é bem provável; falta saber o quanto custará, para o governo, evitá-la. Esta é, aliás, uma das vantagens dos civis na disputa ora em curso: possuem um amplo arsenal de medidas que podem usar de acordo com a ocasião, calibrando seu impacto. Já os militares contam apenas com a ameaça, que usada em excesso tende a se expor como mera fanfarronada.

A posição do governo Bolsonaro é pouco confortável. O agravamento da crise sanitária e social, a incompetência gerencial e a inabilidade política fizeram com que ele desperdiçasse, em pouco tempo, a situação vantajosa em que parecia estar no começo do ano, quando conquistou vitórias folgadas nas eleições para as mesas do Congresso e chegara a certa pacificação, ainda que tensa, na relação com o Supremo. Sua fórmula de “governabilidade”, que no caso significa arrastar-se até o final do mandato mantendo impunidade para si mesmo e para os rebentos, exige tanto o Centrão civil quanto os fardados. Mas tudo indica que a convivência entre eles está ingressando em momento de forte turbulência.

Opinião: “PERSEGUIÇÃO IMPLACÁVEL”

Por José Olimpio Leite de Castro
O jornalista Arimateia Azevedo, acamado com problemas cardíacos, foi julgado a revelia por um juiz de Altos, que não aceitou os atestados médicos apresentados pela defesa.
A Justiça de Deus tarda, mas não falha. Os algozes do jornalista Arimatéia Azevedo, políticos poderosos, autoridades do Judiciário e outras figuras envolvidas em malfeitos podem esperar que o seu dia chegará.
Lamentável e vergonhosa a omissão do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Piauí, que silencia covardemente e sequer divulga uma nota pública de repúdio à implacável perseguição ao jornalista.
Arimatéia Azevedo, como qualquer pessoa, pode errar, mas prefiro os jornalistas que erram tentando combater as injustiças que aqueles que se acovardam e ficam de joelhos diante dos poderosos.
Que Deus proteja o jornalista Arimatéia Azevedo e o livre das garras de seus inimigos que, valendo-se do poder que lhes asseguram os cargos que ocupam, atentam contra a liberdade de imprensa e de expressão.

Dino diz torcer por saúde de Bolsonaro: “Tem multa para pagar no MA”

Ao comentar a hospitalização às pressas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ocorrida na madrugada da última quarta-feira (14/7), o governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB), disse que torce pela “plena recuperação” do adversário, mas lamentou a tentativa de vitimização política que, segundo ele, ocorreu após a internação.

Flávio Dino (PSB)

Bem humorado, o governador apontou que o uso político não é adequado e disse torcer para que o presidente recupere logo a saúde, para que possa responder a processos e ainda pagar a multa que deve ao estado do Maranhão.

“Não quero tratar de forma alguma sobre problema de saúde de adversário p0lítico. O que eu lamento é a tentativa de politizar um problema de saúde”, disse o governador, em entrevista ao Metrópoles nessa sexta-feira (16/7).

“Quanto ao problema de saúde, eu torço muito para que ele não tenha nada de grave e que resolva o problema dele, que os médicos resolvam, que o hospital resolva. Agora, outras pessoas tentam montar uma estratégia de vitimização que não é adequada, não é conveniente”, destacou.

“Nesse aspecto, eu lamento e espero que ele tenha sua saúde plenamente restaurada. Até porque, ele tem muitos processos para responder no futuro. E tem uma multa para pagar lá no Maranhão”, brincou o governador.

A multa se refere à visita de Bolsonaro ao estado em maio deste ano, quanto o presidente desrespeitou medidas sanitárias impostas pelo governador em função da pandemia de Covid-19, provocando aglomerações e não usando máscara. Na época, era permitido realizar eventos no estado com no máximo 100 pessoas até às 23h

A Superintendência de Vigilância do Maranhão fixou a punição em R$ 80 mil. O documento indica que Bolsonaro violou o limite de pessoas permitido ao promover no município de Açailândia uma cerimônia de entrega de títulos rurais.

E Parnaíba segue órfã de novas lideranças políticas

Mais um pleito eleitoral se aproxima e o cenário político local que se nos apresenta é de uma mesmice  fantástica. Nenhuma liderança nova surge, para encher de esperanças quem não suporta mais os velhos discursos vazios, caquéticos, sem mensagem nova, fazendo-nos crer que, em se tratando de renovação política, estamos parados, no tempo e no espaço.

Em Parnaíba quem até agora se apresenta como candidato a deputado estadual? Dr. Hélio, Zé Filho, Tererê, Joãozinho Unimagem e Marcos Samaronne. Acredita-se que sejam estes e somente estes que, por sinal, já são velhos conhecidos do eleitorado local.

Dr. Hélio quer renovar o mandato e está trabalhando para continuar com uma votação crescente. O Tererê, que foi o candidato a vice-prefeito da oposição, na eleição municipal, está calado como oposicionista e talvez só “saia da toca”, novamente, quando estiver próximo do pleito. Os dois estão do lado do governo do Estado, cujo candidato a governador é o atual secretário de fazenda, Rafael Fonteles.

Joãozinho Unimagem e Samaronne

Joãozinho Unimagem já tentou outras vezes vaga na Assembleia. Não conseguiu. Agora ele é  da equipe de 1º escalão do governo municipal, cujo prefeito, Mão Santa, é tio de Zé Filho que também é candidato e tem “bala$” na agulha, embora necessite correr muito atrás dos votos que, para ele, em 2022 vão estar mais difíceis que em 2018. Mas quem tem dinheiro sempre leva vantagem na frente dos “lisos”.

E o Samaronne? Este continua, sem articulação, sem grupo político forte na Parnaíba, embora esteja do lado do governo do Estado. Tem gastado algum dinheiro em campanhas mas já deve ter constatado que voto é bicho difícil. Em 2016 Mâo Santa o encontrou e fez dele um vice-prefeito, que foi defenestrado logo no início da gestão, após brigas ferrenhas com a filha do prefeito, secretária Maria das Graças. Se vai a algum lugar como político, não se sabe. É dar tempo ao tempo.

E PARA DEPUTADO FEDERAL???

Até agora apenas o secretário de saúde do estado, Florentino Neto, vem trabalhando seu nome como pré-candidato a deputado federal. Num trabalho intenso tem buscado fortalecer sua pré-candidatura em todo o Estado, sem deixar de colocar Parnaíba como uma de suas prioridades. Falou-se também no nome da secretária municipal Gracinha Moraes Sousa como pretensa candidata, mas ela não confirma.

O último candidato a deputado federal por Parnaíba foi eleito em 2002 pelo PMDB: Antônio José de Moraes Sousa. Por motivos de saúde não disputou a reeleição em 2006.

Opinião: O momento de incertezas vivido por Parnaíba

Por: Adriano Santos(*)

Parnaíba vive momentos de incertezas. Ao Parnaibano nato ou aqueles que vivenciam o dia-a-dia da cidade, começam a perceber que algo mudou em relação ao atual Prefeito de Parnaíba – Mão  Santa!. O cidadão mais distante da vida política de nosso município, começou a percebe a completa ausência do atual Prefeito, seja nas rede sociais ou nos veículos de comunicação tradicionais.

Um fato recente chamou à atenção de todos!, a interlocução do ex governador Zé Filho, perante o grupo oposicionista para garantir ao Prefeito de Parnaíba à indicação ao cargo de Vice-governador  nas eleições estaduais de 2022. Mão Santa nunca delegou à seus filhos ou sobrinhos as negociações políticas ou futuras candidaturas, ele sempre o fez pessoalmente. Repito! Ao cidadão menos atencioso da política local, sabe perfeitamente que o ex Senador Mão Santa, que discursava no Senado Federal, em plena segunda-feira, para um plenário vazio, jamais foi político de fugir das câmeras ou microfones. Percebe claramente que seus familiares tentam isolar o gestor Mão Santa, criando uma falsa sensação de normalidade ou governabilidade.

Por enquanto ficaremos sem saber a real situação de saúde mental ou física do Prefeito de Parnaíba, entretanto verdade nunca demora, nunca será escondida por tanto tempo.

O bom senso recomenda ao atual gestor, secretários e vereadores, não perder de vista que a administração pública não é familiar ou de interesses particulares, pelo contrário, o interesse sempre será público incondicionalmente

(*) Adriano dos Santos Chagas, advogado, bacharelando em contabilidade, Especialista em Tributação e Orçamento Público, MBA em Planejamento Tributário

À estupidez o nosso silêncio!

POR: BERNARDO SILVA

Perguntam-me se eu iria responder a insultos contra mim assacados na última sexta-feira, pela matilha, a cambada, a súcia adestrada do governo municipal. Rigorosamente digo que não. Por diversas razões, principalmente porque minha consciência não me acusa de nada. Nunca prejudiquei ninguém, além de mim mesmo, causando preocupações, em alguns casos, apenas e tão somente a quem, de fato, gosta de mim, ou seja, mimnha família. Segundo, porque nunca fui desonesto, de forma alguma, principalmente no uso do dinheiro público. Nunca matei,  nem roubei, nem estuprei…enfim, estou de bem comigo mesmo. E basta.  

Quiseram me crucificar porque comparilhei uma imagem a mim enviada. Uma imagem comum, tão normal, tão comum nesses tmpos de internet, memes, etc. Quem a fez, não sei. Mas foi como se eu tivesse chutado a imagem de Cristo ou de Nossa Senhora. E Eu não desejo o mal a ninguém. Sou espiritualizado. Sei que a vida aqui é uma oportunidade que Deus nos deu para sermos bons. E nós tentamos sê-lo. Se às vezes falhamos é porque humanos somos. Mas nunca prejudicamos ninguém.

Agora, vejam de onde partiram os ataques à minha pessoa!!! Quem são? O que fizeram? O que fazem? Mas, Sigamos em fente. Deus é nosso guia. Parnaíba é bem maior que isso. Eles passarão. Eu passarinho. Com fé, esperança e amor.

Com que cara Ciro Nogueira pedirá votos contra o PT?

Na eleição passada, de 2018, estava Ciro Nogueira junto e misturado com a tchurma do PT de Lula e W. Dias. O que mudou, o PT ou Ciro?

(*)Bernardo Silva

Qual será, no ano que vem, o discurso do provável candidato a governador do Piauí, das oposições, Ciro Nogueira, falando mal de Lula, Dilma e de Wellington Dias? Consequentemente tentando desconstruir e demonizar a candidatura do provável candidato a sucessor do Governador Dias, Rafael Fonteles?

Ciro Nogueira, sempre alegre e sorridente, pedindo votos para Fernando Haddad, candidato do PT a Presidente e para Wellington Dias, candidato ao governo. Para o homem do PP 111, ninguém melhor que Dias e Haddad para governarem o Piauí e o Brasil respectivamente. Isso em 2018.

Ciro Nogueira vivia literalmente pedindo bênção a Dilma Roussef e terminou traindo-a por ocasião do seu processo de impedimento.

Agora se auto- denomina o filho 05 de Bolsonaro. Até quando? Ainda falta mais de um ano para as eleições. É o principal adversário do PT no Piauí, após participar de vários governos e usufrir de uma série de benefícios, alguns lícitos e não se sabe se outros ilícitos.

Ciro acalenta o desejo de disputar a sucessão de Wellington Dias com Rafael Fonteles. Isso se a justiça permitir. Mas certamente sem muita moral para falar mal do partido de Fonteles – o PT.

E em Parnaíba, onde Ciro deverá ter o apoio do prefeito Mão Santa para governador? O prefeito, Inclusive,  indicaria a filha e secretária Gracinha, como candidata a vice? Será que o eleitor parnaibano vai acreditar mesmo que, em termos de honorabilidade, retidão, lisura, o Partido de Ciro Nogueira- PP, é melhor do que o partido de Rafael Fonteles – PT? As duas agremiações sempre estiveram juntos por mais de uma década, governando o Estado e o país. Só porque o PP hoje apoia Bolsonaro está santiticado?

Os apoiadores do prefeito Mão Santa acham mesmo que Ciro Nogueira é decente, honesto, e que Rafael Fonteles não tem valor algum? Tema para uma reflexão!!!

Eleições 2022: Se o eleitor não mudar, nada muda.

Parnaíba deve continuar sem eleger uma grande representação Legislativa, tanto na Assembleia quanto na Câmara dos Deputados. Não obstante possuir votos suficientes para se fazer bem representada em Teresina e em Brasília.

(*)Bernardo Silva

Vereadores de Parnaíba já andam de mãos e braços dados com o deputado federal Flávio Nogueira pai e o deputado estadual, Fávio Nogueira, Filho. Já estariam “negociando” seus apoios nas eleições de 2022? Certamente! Essa exposição em fotos não é por acaso. Além dos 3 que aparecem nesta foto, outros também já estão “embeiçados” com o ex-prefeito de Cocal, Rubens Vieira, que é pré-candidato a deputado estadual.

Numa negociação de$$as, quanto “embolsa” um vereador, um representante da população? Do montante que recebem, quanto eles empregam em benefício da população?

Quer dizer, “tudo continua como  d`antes, no quartel de Abrantes”. Ou seja, o mesmo modus operandi de outras eleições: o vereador se vende para o deputado e compra o eleitor, que vai continuar votando em candidatos sem compromisso com Parnaíba.E depois, na hora que se precisa de uma voz na defesa dos nossos interesses, não tem. Porque o deputado eleito com os votos daqui, fica desobrigado de defender a cidade, porque comprou e pagou pelos votos. E o eleitor, sem razão, vai continuar reclamando.