O eleitor parnaibano e a eleição para deputado federal

Por: Bernardo Silva

Você sabia que dos anos 70 até aqui o município de Parnaíba só conseguiu eleger 3 deputados federais e que o último foi eleito em 2002, pelo MDB? E nesse período o número de eleitores só tem aumentado! De pouco mais de 20 mil eleitores, àquela época, o município conta hoje com mais de 103 mil. E onde está o problema? Será por que o voto hoje é dado, não pra quem tem serviço prestado e merece ser votado, mas para quem tem muito dinheiro e quem paga mais caro? Vence quem tem mais “bala na agulha”? E o eleitor, que culpa ele tem?!!!

QUAIS FORAM NOSSOS “FEDERAIS”

Iniciando a década citada, em 1970, foi eleito deputado federal o parnaibano José Pinheiro Machado, que seria reeleito duas outras vezes: em 1974 e 1978, tendo falecido em 1982, de ataque cardíaco, uma semana após o pleito, quando disputava o 4º mandato.

Depois veio Alberto Silva, que foi prefeito de Parnaíba, deputado estadual, senador, enfim. Mas disputou seu primeiro mandato de deputado federal em 1994. Em 2006, já bastante adoentado, foi eleito para a Câmara Federal pela segunda vez, mas faleceu em Brasília em 2009, sem concluir o mandato.

E, finalmente, Antônio José Moraes Sousa, foi eleito em 2002, pelo PMDB e, por razões de saúde, não disputou a reeleição de 2006, embora não tenha renunciado à sua candidatura. Faleceu dia 4 de dezembro de 2011. Em resumo, o último parnaibano eleito, pelo voto direto, foi Antônio José de Moraes Sousa, em 2002, há quase 20 anos.

PARNAIBANO VAI CONTINUAR ELEGENDO CANDIDATOS “COPA DO MUNDO”?

Na última eleição que tivemos para cargos federais, o parnaibano deixou de reeleger um deputado que diversas vezes demonstrou compromisso com Parnaíba e com a gestão do prefeito Mão Santa: Heráclito Fortes. Não era daqui, mas tinha respeito aos parnaibanos e ao seu gestor, com quem foi senador da república. 

Neste período, depois  do último eleito à Câmara dos deputados, algumas pessoas de Parnaíba se apresentaram como candidatos a um mandato federal. Porém, alguns, sem nenhuma condição. Entraram de “gaiatos”,  para fazerem número ou tentando dar uma “mordida” no bolo do fundo partidário. E só. Para o ano que vem, como será?

K3Noticias

Até aqui tem se falado nos nomes de Gracinha Moraes Sousa e Florentino Neto como pré-candidatos a deputado federal. Gracinha não confirma e nem desmente, embora os amigos da gestão municipal tenham como certa esta pré-candidatura. Florentino Neto, segundo se vê na imprensa, está decidido a ser candidato e já incentiva os amigos a trabalharem esta pré-candidatura. São dois candidatos competitivos, que não entrariam numa disputa destas para brincarem, apenas. E os eleitores, como vão se comportar? Os vereadores, vão deixar de apoiar candidatos copa do mundo, que aqui só aparecem de 4 em 4 anos, para apoiarem quem tem vínculos verdadeiros com o município e região?! Isso, o tempo, que é o senhor da razão, dirá.

 

Eleições 2022: Os candidatos “de fora” e os vereadores “daqui”

Por: Bernardo Silva

Nos últimos finais de semana já se pode perceber em Parnaíba a movimentação política de pré-candidatos às eleições do ano que vem. São pretensos candidatos, principalmente, à Câmara Federal e à Assembleia Legislativa do Estado. São os que chamamos “candidatos de fora”, que sempre se elegem com os votos dos parnaibanos mas nem sempre dão o retorno, como deveriam, através de ações práticas e de interesse pelas coisas e causas de Parnaíba.

Reúnem-se com vereadores e suplentes para conversas ao pé do ouvido, iniciando tratativas para acerto$ de apoios que, em tradução simultânea, significa votos. E como estão os parnaibanos que também alimentam o desejo de candidatura? Também estão se movimentando?

O deputado estadual Dr. Hélio, que embora seja natural de Canto do Buriti tem domicílio e negócios em Parnaíba e sua maior votação é na região, já se movimenta bastante, conforme se constata em suas publicações nas redes sociais. Mas só ele seria candidato a deputado estadual no ano que vem? Não! Embora ainda definindo mudança de partido, fala-se em Deusimar Tererê- o eterno candidato –  e Marcos Samarone, ex- vice prefeito, que começa seguir os passos do ex-deputado tucano (Tererê).

Tem ainda o pré-candidato Zé Filho, presidente da Federação das Indústrias do Piauí, que em 2018 era tido como candidato eleito, mas que terminou ficando apenas na 1ª suplência, pelo PSDB. Na semana passada, quem acompanha as redes sociais do ex-deputado pode constatar a divulgação de seu nome, com sinais de que, novamente, vai se candidatar. Mas a demora dele em sair em campo em busca de apoios poderá lhe custar caro, vez que outros pré-candidatos já estariam lhe “tomando” lideranças que sempre lhe apoiaram, inclusive na região norte. 

Florentino e Dr. Hélio fariam “dobradinha” em vários municípios

Quanto à Câmara Federal, o nome que já se manifestou até agora e disse com todas as letras que é pré –candidato a deputado foi Florentino Neto, secretário de Saúde, que anuncia dobradinha em vários municípios com o deputado Dr. Hélio. Toda a  imprensa piauiense tem divulgado também essa pré-candidatura, embora Florentino ainda tenha alguma dificuldade de trabalhá-la melhor, dada a imensa responsabilidade que lhe pesa aos ombros, como secretário de estado da saúde,  neste momento de pandemia. 

Se candidata, Gracinha faria dobradinha com o primo, Zé Filho?

Mas também falam na Gracinha Moraes Sousa, secretária municipal de Infraestrutura. Ela foi lançada por simpatizantes da administração de seu pai, prefeito Mão Santa. Mas nunca abriu a boca publicamente, para dizer com todas as letras, que vai se candidatar, embora seja constantemente assediada por lideranças políticas, principalmente ligadas ao senador Ciro Nogueira. Direito de ser candidata ela tem. Apoio político, idem. Mas tem vontade? Votos se corre atrás!!!

Pra finalizar: E os vereadores parnaibanos, que nas últimas eleições viraram as costas para os candidatos daqui e apoiam candidatos de fora, supostamente em troca de boas somas de dinheiro que lhes garante a reeleição nos anos seguintes? Eles vão repetir a “dose” ou vão ajudar Parnaíba a ter uma melhor representação, tanto no parlamento estadual quanto no federal? Eles já ganham muito bem. Já é hora de pensarem mais em Parnaíba e menos no bolso.

Parem com a politicalha! É hora de cuidar das pessoas!!!

Guarani – engraxate da Praça da Graça: após a luta contra a Covid-19

Não há o que duvidar que a internet é terra de ninguém, ou um campo de batalha, como queiram, onde todo tipo de discussão ocorre, principalmente as inócuas, vazias. Mesmo no auge de uma pandemia, onde quase todo mundo já perdeu um ente querido e muitos vivem com o coração e a alma destroçadas de saudades daqueles que a Covid levou. Mas o ser humano parece não evoluir, apesar de tudo. E para tudo querem dar uma conotação política (ou politiqueira?), mostrar o ranço que carregam dentro de si, por frustrações, decepções, mágoas, recalques, enfim, dramas que carregam na alma cuja culpa querem atribuir a um ou a outro.

Esta semana, por exemplo, ao publicarmos em nossas redes sociais um vídeo, onde o amigo Guarani, engraxate da Praça da Graça, retornava pra casa após vencer a Covid, e agradecia o atendimento que teve no Hospital Nossa Senhora de Fátima (Anexo do Hospital Dirceu), não faltou comentário carregado de veneno, questionando o atendimento do Hospital Dirceu – HEDA, com relação aos intubados. No comentário, a impressão que passa é que naquele hospital, se o paciente não tiver apadrinhamento político vai morrer à míngua. E todos sabemos que não é assim. Nenhum profissional médico, temos certeza disso, pensa em cor partidária quando vê um paciente lutando contra a morte, pela vida. E não é a primeira vez que este tipo de comentário surge nas redes sociais.

E há poucos dias publicamos neste blog a opinião do médico, Carlos Teixeira, diretor clínico do HEDA, onde ele explica como se dá o processo de intubação e os detalhes da cada caso. Leia o que disse Dr. Carlos:

Dr. Carlos não está usando a máscara a nosso pedido para fazermos a foto

“Ao contrário do que muitos pensam, de que o paciente intubado está com  poucas chances de sobreviver, o médico explica que depende de cada paciente. “Aqueles que são intubados no início da doença, precocemente, para a proteção do pulmão, a gente tem em torno de 70 a 75% que são extubados  e recebem alta . Mas  alguns pacientes que vão a óbitos, mesmo intubados, são aqueles que estão em tratamento de longo prazo e que a regeneração do pulmão não é boa. A maioria  desses pacientes já tem mais de 10 dias de sintomas,  que é a fase inflamatória, que é a pior fase. O pulmão  não tem uma recuperação muito boa. Já chegam com um comprometimento muito importante e dificilmente esse comprometimento pode ser revestido. Mas se a intubação é precoce para a proteção do pulmão, há a alta do paciente”.

EM TEMPO:

Cresçamos como seres humanos, principalmente tendo empatia, colocando-nos no lugar do outro, O ano eleitoral é só em 2022. É hora de trabalhar, ajudar, acolher. A pandemia teria também o objetivo de levar as pessoas a uma introspecção, para buscarem se melhorar como seres humanos, Mas parece que as coisas não estão acontecendo bem assim. Será que os virulentos vão fazer o ódio vencer a bondade?

Covid pode deixar comprometimento cerebral

A preocupação com a Covid-19 vai muito além do período de infecção da doença, ou do tempo em que o paciente está internado para tratar os sintomas. As consequências do que se chama Covid tardio podem se estender por vários meses e por diferentes órgãos do corpo humano. Os estudos têm mostrado que cerca de 34% dos pacientes que foram infectados pelo coronavírus apresentam algum tipo de complicação neurológica ou psiquiátrica.

Em entrevista ao Jornal Cidade Verde, ontem à noite, o Chefe da Neurologia Vascular da Unifesp, Dr. Feres Chaddad, explicou que durante o tempo de maior atividade do vírus, o paciente pode desenvolver problemas como Acidente Vascular Cerebral isquêmico – quando há obstrução do vaso sanguíneo que impede a oxigenação do cérebro – hemorragia cerebral, ruptura do aneurisma e tromboses cerebrais agudas.

Mas os perigos, diz ele, não se acabam quando o paciente recebe alta. No pós- Covid, a pessoa pode apresentar comprometimento da memória recente, apatia e comprometimento intelectual. E esses sinais aparecem justamente quando a pessoa retoma as suas atividades profissionais. Dr. Feres explica que quanto maior o grau de intelectualidade do trabalho, mais esses sintomas se tornam evidentes. E que até mesmo o cansaço físico pode se manifestar como sequela do desgaste cerebral.(Por: Cláudia Brandão)

A Praça dos poetas e a reação de um jornalista: “Eu era poeta e não sabia”

Praça dos Poetas – Parnaíba

Os blogs divulgaram, há poucos dias, que “um grupo de artistas, escritores e de outras categorias ligadas à cultura iniciou um movimento nas redes sociais e deve dentro de mais alguns dias entregar ao secretário de Cultura Arlindo Leão, um pedido para que aquele espaço ´- no centro da praça (dos poetas) original, tenha uma melhor utilidade”.

Desde sua construção a praça nunca foi realmente utilizada pelos poetas, como era de se imaginar. E olha que Parnaíba é uma terra cheia de poetas, intelectuais, acadêmicos, imortais & etc. Enfim, deixaram sem utilidade um grande espaço que poderia ser um centro comercial, ou o Shopping dos Camelôs, como sonhou o ex-prefeito Florentino Neto, que teve seu projeto “melado” pelo IPHAN (ou infame?).

Mas, para ilustrar, o assunto me traz à memória o dia da inauguração da Praça dos Poetas. Era prefeito o médico Paulo Eudes. Secretária de Cultura, se não nos falha a memória, era a promotora de justiça aposentada Maria do Amparo Coelho. Lá comparecemos, acompanhados do jornalista Rubem Freitas. Enquanto organizavam a solenidade, banda de música tocando, saímos – Rubem e eu – a circular na praça, olhando aquelas estruturas, uma espécie de “púlpitos”, onde em cada uma havia uma poesia exposta, com o nome do seu respectivo autor. De repente Rubem nos chama, com a voz um tanto elevada: “B. Silva, vem cá. Olha, este aqui sou eu. Engraçado, eu era poeta e não sabia”.

Resumo da ópera: Certamente não consultaram os poetas antes de construírem a praça. E certamente não os comunicaram que teriam seus trabalhos expostos. Claro que alguns dos poetas ali homenageados já estavam mortos. Mas existiam os vivos. E Rubem Freitas disse que nunca foi poeta. Escreveu alguma coisa no estilo quando era ainda bastante jovem mas nem sabia ou nem lembrava que  havia sido publicada. E o transformaram num poeta, cujo poema, como os demais o tempo apagou. Só restaram as estruturas que não servem para coisa alguma. (Por: B. Silva)

Deu no Blog do Tiago Mendes:

O encanto quebrou? Aliados históricos de Mão Santa desconhecem sua atual fase política

Aliados históricos do prefeito Mão Santa (DEM), nunca imaginaram que após a reeleição o encanto político que existia, se transformasse em decepção.

A insatisfação vem desde os vereadores da base, até os simpatizantes que até pouco tempo atrás eram ferrenhos “gladiadores de redes sociais”. No caso dos vereadores, um grupo estava se formando em fevereiro deste ano para fazer frente à Projetos de Lei que não são considerados “essenciais”, essa seria a forma dos aliados chamarem a atenção do governo.

“Passou a campanha nem um obrigado nos deram, e já estamos indo para o terceiro mês do ano, e eles só ignoram” relatou um dos mais votados.

Já os históricos apoiadores que sempre marcharam ao lado de Mão Santa, recorreram a grupos de mensagens, para expor suas insatisfações, e na maioria dos casos eles culpam o atual secretário de governo Fábio Barros de tentar blindar o prefeito. Mão Santa que é conhecido como um dos políticos mais acessíveis do Piauí.

As mudanças no secretariado do governo Mão Santa também tem trazido decepções, há uma semana o ex-secretário de educação Rafael Alves foi substituído pela professora Fátima Silveira, a troca de gestores da pasta foi repentina, e surpreendeu a muitos servidores, mensagens de apoio foram postadas em redes sociais, um clima bem diferente do que se costumava ver.

As mudanças não tem sido feitas para enxugar gastos na máquina pública, pelo menos não é o que se observa a cada nova publicação do Diário Oficial do Município. Em tempos de aulas remotas, a prefeitura quer comprar liquidificadores industriais, que não saem por menos de R$ 800 cada um.

E dinheiro público parece de fato não ser o problema, na câmara municipal a maioria dos vereadores, aprovou o Projeto de Lei do Executivo, que autoriza a prefeitura a comprar um imóvel antigo em área tombada, que pertence à família de um dos secretários de Mão Santa. O “Karnakinho” como batizou o prefeito vai custar R$ 700 Mil aos cofres públicos, fora a as reformas e adaptações que devem ser feitas antes do prédio se tornar o palácio municipal.

Nos corredores da prefeitura, até hoje se comenta a saída de Emerson Raminho, era ele o homem de confiança da gestão. O contador pediu exoneração do cargo esta semana. Os motivos ainda são desconhecidos, mas servidores relatam terem ouvido discussões entre ele e a secretária Gracinha a filha do prefeito.

Há suspeitas de que a saída de Emerson tenha haver com prestações de contas, que já excederam os prazos junto ao TCE-PI (Tribunal de Contas do Estado).

Se de fato as suspeitas se confirmarem, os planos que envolvem o sonho da prefeitura de eleger um representante na câmara federal, pode mudar da água pro vinho. (Tiago Mendes)

Morre o amigo Caçula da banca de revistas usadas

Pelas redes sociais tivemos a informação da morte do amigo Caçula- Raimundo Nonato dos Santos Fontenele, a quem conhecemos quando éramos pré-adolescentes, recém chegados a Parnaíba. Na adolescência, frequentávamos muito sua banca de revistas usadas, o sebo mais antigo de Parnaíba. Lá trocávamos revistas, livros e mantivemos esta amizade até há poucos dias.

Em 2019, tivemos a oportunidade de conversar com o Caçula, em sua banca de revistas, e produzimos uma matéria para este blog, com o apoio da colega jornalista Camila Neto, material que pode ser conferido no link abaixo:

https://blogdobsilva.com.br/2019/05/a-banca-do-cacula-um-sebo-que-sobrevive-ha-quase-6-decadas/

 

Amadeu explica por que jornalistas devem receber dinheiro de políticos

O jornalista Amadeu Campos, da TV Meio Norte, fez um longo comentário para tentar justificar por que profissionais de imprensa devem receber pagamento de políticos.

O apresentador da TV Meio Norte, Amadeu Campos: discurso que não se confirma na prática

Segundo ele, é totalmente normal um jornalista prestar assessoria de imprensa e receber dinheiro por isso.

O comentário faz parte de uma estratégia que vem sendo repetida por vários profissionais de imprensa piauienses depois que a página O Piauiense, na internet, vem denunciando uma série de CPFs beneficiados com pagamentos na Assembleia Legislativa O editor Petrus Evelyn afirma que seriam pagamentos graciosos para silenciar jornalistas.

Evidencia ainda uma série de pagamentos a políticos, empresários, profissionais do direito, dentre outros. Ex-deputados e familiares de parlamentares e conselheiros do Tribunal de Contas do Estado também são relacionados no ampla material distribuído por Evelyn nas redes sociais

A ex-mulher do jornalista Amadeu Campos, Cintia Lages, já havia feito o mesmo tipo de comentário, seguindo a mesma linha de raciocínio, de que estariam tentando criminalizar a profissão de assessor de imprensa.

Só que uma coisa não tem nada a ver com a outra, porque uma coisa é ser assessor de imprensa, outra coisa é receber pagamento gracioso para ficar em silêncio.

Todo e qualquer jornalista pode, sim, receber contracheque de gabinete político, desde que todos saibam disso, e principalmente, desde que isso não venha a afetar a credibilidade do seu trabalho. (Por: Toni Rodrigues)

Governo do estado faz cruzamento de dados para liberar auxílio de R$ 1 mil

O governo do estado realiza o cruzamento de dados para evitar duplicidade e fraudes no auxílio emergencial que será liberado no valor de R$ 1 mil para trabalhadores de bares, restaurantes e de eventos.

O secretário Estadual de Fazenda, Rafael Fonteles, informou hoje (19) que assim que receber o cadastro da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico em uma semana é possível a liberação dos recursos.

“Em uma semana serão creditados os pagamentos assim que recebemos os cadastros”, disse Rafael Fonteles.

Os trabalhadores tiveram até a última quinta-feira (15) para fazer o cadastro. A previsão é que 6 mil pessoas que foram demitidas nos nove meses serão beneficiadas.

É um auxílio no valor de R$ 1 mil, divididos em duas parcelas de R$ 500. O governo disponibilizou um site e a procura foi tamanha que o portal chegou a sair do ar.

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico faz os cruzamentos de dados, uma espécie de pente fino para selecionar os trabalhadores que serão contemplados. De hoje para amanhã, o governo deverá liberar os cadastros. Serão beneficiados trabalhadores e empresas.

O saque do recurso pode ser efetuado por meio de cartão magnético fornecido por instituição financeira contratada para operação, seguindo o regulamento da Lei Federal. Segundo o governo, a lei “garante aos estabelecimentos que tenham atividade cadastrada na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (Cnae), a exemplo de bares, restaurantes e organizadores de eventos, o direito a um auxílio de R$ 1.000 pago em cota única”.

Mortes por Covid aumentam: E quem vai impedir as aglomerações?

W. Dias assina decretos; Mão Santa desconhece-os

De um lado o governador do Piauí Wellington Dias com seus decretos provocando o isolamento social,  lockdown, #fiqueemcasa, etc & tal; do outro lado o prefeito Mão Santa desconhece os decretos, desobedece-os e defende que o povo deva sair de casa para trabalhar…afinal, a quem seguir?

Pessoas na Promédica hoje(5) pela manhã para fazerem o teste do Covid-19

Não se fala em campanha maciça de conscientização do povo, alertando as pessoas para os perigos do vírus que mata. O povo vai às ruas, sem medo de ser feliz. Muitos nem querem saber de alertas, orientações preventivas; não tomam as precauções devidas e saem a bater pernas por aí. E haja aglomerações.

No DETRAN de Parnaíba

E quando morre alguém, a culpa é sempre dos governantes. Ninguém assume que há pessoas que acham que vivemos tempos normais e não tomam as precauções devidas quando, por necessidade, têm que sair de casa. O resultado é o aumento no número de mortos – com lockdown e tudo. E assim caminha a humanidade.

Amanhã(6), com o início do pagamento de mais uma etapa do auxílio Emergencial do governo federal, é dia de aglomeração na porta da Caixa Econômica. E ninguém pode evitar porque o povo precisa. Muitos passam fome. E aí???

A angústia de quem passou em concurso público e não foi convocado

POR: Bernardo Silva

ANTIGAMENTE

Antigamente era uma felicidade o jovem passar em um concurso público. Do Banco do Brasil ou Caixa, então, era a glória. Garantia de que o futuro estava assegurado. Bom salário, status, enfim, valia à pena as noites mal dormidas durante a preparação para os exames. Depois de aprovado, era partir para o churrasco das comemorações e aguardar o chamado, que vinha, dentro dos prazos estipulados no edital.

HOJE

Hoje é complicado: anunciam o concurso, a pessoa se prepara, gasta em cursos preparatórios; paga uma taxa “salgada” para se inscrever e fazer as provas. E quando passa, alguns até comemoram ainda, mas, logo vem a demora na convocação. Termina o prazo de validade do concurso e o aprovado fica a ver navios. Decepcionado, triste, angustiado. “Perdeu playboy”! Perdeu o dinheiro gasto no cursinho e o do churrasco, fora outras despesas…

DEMAGOGIA

Tem prefeito por aí que anuncia a realização de concurso apenas para fazer média com a população. Para dizer que está cumprindo promessa de campanha ou que está dando oportunidade para os jovens entrarem no emprego público. Mas ficam enrolando os aprovados a vida. E o prazo de validade do certame se esvai; às vezes é prorrogado, e haja embromação… Isso é maldade. Coisa de pessoas mal intencionadas.

O QUE É QUE HÁ?

Em Parnaíba a Secretaria Municipal de Saúde realizou concurso público, através do edital 001/2018, lançado em 18 de dezembro de 2018, abrindo vagas para Agentes Administrativos, Auxiliares de Farmácia, Dentistas, Maqueiros e Vigias. “Quando o edital saiu e realizamos nossa inscrição foi com a esperança de entrar na administração pública pela porta da frente. E hoje nosso sentimento de certa forma é de tristeza porque o prazo do concurso está quase se expirando”, falou Igor Véras, um dos aprovados, que foi na Câmara Municipal no início do mês pedir “socorro” aos vereadores.

Igor Silva Veras, representante dos concursados da saúde, pediu ajuda aos vereadores

“Falo em nome de 56 profissionais que aguardam a convocação do concurso e faço novamente o apelo aos senhores vereadores nos ajudem a resolver. Só queremos exercer nossa função que alçamos com muito esforço e muito estudo”- finalizou Igor.

POR QUÊ???

O que falta? O que atrapalha? Por que foi feito o concurso então, se não era para convocar os concursados??? E por que tantas desculpas para ficarem postergando o chamamento dos aprovados?

“Até logo”, amigo Belém!

Soube quase que simultaneamente, na manhã desta triste quarta-feira(17), do falecimento de dois amigos de há tempos: Jorge (Carvalho) Cabecinha e Belém de Penalva, como o nominava o poeta Vicente Potência. Foi um choque, sem dúvida, mesmo sabendo que Belém estava com Covid-19, com o estado de saúde inspirando cuidados. Quanto ao Jorge, de quem fui vizinho, quando ele pegava meus filhos no colo …muito triste! (Há um post sobre o falecimento dele em outro local deste blog).

Belém conheci quando eu era bem jovem, anos 70/80, ano auge do jornal Inovação, do qual eu fazia parte e ele era um dos admiradores e amigos dos amigos como Canindé Correia, que já faleceu,; Vicente Potência, Alcenor Candeira, Marcondes do Ministério do Trabalho e tantos outros, mais velhos que eu e que eu gostava de ouvir, por serem experientes, terem muita prosa pra contar. Belém era um jovem. Sempre jovem de uma inteligência plural.

A última vez que com ele estive foi nas “Tabocas”, bar do seu Aloísio. Ali uma turma de amigos seletos se reúne para trocar experiências, rir bastante e tomar “umas”. É esta a lembrança que vai ficar, Belém: de um sujeito BON-VIVANT,  amigo de todos, amante da vida… perdemos mais um amigo. Perdemos a presença física. Mas a sua lembrança, amigo, vai para a galeria dos grande e imortais amigos.

Belém (com Ricardo Leão), sempre jovem, amigo simples, sincero e cheio de vida

A crônica abaixo foi publicada hj no grupo de Whatsapp dos Taboqueiros (frequentadores das Tabocas), pelo amigo Ricardo Leão, como forma de homenagem ao Belém.

POR: BERNARDO SILVA

Opinião: “O carimbo de ladrão ou de mentiroso”

Desde ontem, em vários meios de informação, circula uma notícia acerca da “descoberta” de 3.000 a 5.000 tablets em desuso em depósitos da Secretaria Municipal de Educação. O valor atribuído aos equipamentos é o mesmo: R$ 28 milhões. Os equipamentos teriam sido comprados em 2014 – segundo ano do terceiro mandato do ex-prefeito Firmino Filho.
Seja qual for o número de tablets, o abandono é, sim, algo a se lamentar. Mas o que me deixou mesmo estarrecido foi o valor financeiro. Se forem 5.000 os tablets deixados ao léu, o valor unitário é de R$ 5.600. Se forem 3.000 o valor por unidade será de R$ 9.333,33. Não há quem me faça crer que um hardware tão elementar custe tanto dinheiro. Mas pode ser que tenham custado, sabe-se lá.
Proponho uma aposta: se os tablets tiverem custado R$ 28 milhões, ponho o carimbo de ladrão em quem antecedeu o atual prefeito de Teresina. Se tiverem custado menos (bem menos, eu suponho), ponho no atual prefeito o carimbo de mentiroso. (Por: Cláudio Barros/ jornalista; Fonte; facebook))

Lotéricas entram no rol de atividades consideradas essenciais no Piauí

Governador inclui loterias como atividade essencial no Piauí

Depois de reuniões virtuais com o deputado estadual Franzé Silva (PT), o governador Wellington Dias decidiu incluir no rol de atividades consideradas essenciais os serviços lotéricos. Franzé havia recebido solicitação do Sindicato dos Lotéricos do Estado do Piauí e intermediou o pleito junto ao governador. Agora, o serviço foi incluído no inciso XIV do art. 3° do Decreto Nº 19.529, de 14.03.2021.

“Tratei sobre essa demanda, em reuniões virtuais, com o governador Wellington Dias, na sexta e no sábado, e ele incluiu, no Decreto, as casas lotéricas como serviço essencial. Argumentei que, por meio das lotéricas, muitos benefícios são pagos diariamente e a suspensão dessas atividades causaria um impacto ainda maior na renda das pessoas mais pobres. Além disso, no dia útil em que os locais fossem reabertos, haveria aglomeração, o que deve ser evitado nesse momento”, explica o parlamentar.

Ciro orienta prefeitos a autorizar abertura de igrejas

O senador Ciro Nogueira (Progressistas) passou recomendação aos prefeitos aliados para seguir procedimento adotado pelo gestor de Picos, Gil Paraibano (Progressistas) , que autorizou abertura de igrejas com 30% de ocupação, contrariando decreto estadual que prevê fechamento de quinta-feira, 18, a domingo, 21. “Neste momento triste, possibilitar que as pessoas pratiquem suas orações e manifestem a fé é muito importante”, justifica. (Elivaldo Barbosa)

 

Rafael Fonteles diz que auxílio será pago este mês em duas parcelas de R$ 500

O secretário Estadual de Fazenda, Rafael Fonteles, afirmou na manhã desta segunda-feira (15) que a meta é pagar em março o auxílio financeiro de R$ 1 mil anunciado pelo Governo do Estado a trabalhadores do setor de bares, restaurantes e eventos. Em entrevista ao Notícia da Manhã, ele explicou que será realizado um cadastro e o valor será dividido em duas parcelas de R$ 500. 

ICMS unificado não diminuirá preços dos combustíveis, diz Rafael Fonteles |  Jovem Pan

“O foco são os trabalhadores de bares, restaurantes ou de estabelecimentos de eventos que perderam o emprego em função da pandemia nos últimos seis meses e não têm nenhum outtro benefício previdenciário ou assistencial.  O outro foco são os microempreendedores na área de bares, restaurantes e estabelecimentos de eventos para receberem também o benefício pelo CNPJ”, explica o secretário de Fazenda. 

A proposta será encaminhada para a Assembleia Legislativa para aprovação. Além do auxílio financeiro, o Governo do Estado  anunciou mais três medidas econômicas para reduzir os efeitos gerados por essa crise sanitária. 

VEJA AS MEDIDAS ECONÔMICAS ANUNCIADAS

Novo REFIS pra débitos de ICMS e IPVA (redução de juros, multas e parcelamento maior); 

Postergação por 90 dias do pagamento do Simples Nacional das competências de março, abril e maio (já solicitado ao Comitê Gestor do Simples Nacional); 

Novas linhas de financiamento da Agência de Fomento do Piauí de R$ 50 milhões para micro e pequenos empreendedores (com agilidade e taxas reduzidas). Fonte:Cidadeverde)

Terror difundido sobre Covid prejudica milhares de pessoas que têm câncer sem saber

Ação garante gratuidade em mamografias a mulheres com deficiência no DFPânico alardeado afastou pacientes dos exames e fez cair diagnósticos em até 33%
Um dos lados mais perversos da pandemia é o terror em que as pessoas passaram a viver devido à avalanche diária de reportagens apocalípticas que levaram muitos a deixar de fazer exames para se prevenir e tratar outras doenças graves.

Estudo comandado pela Sociedade Brasileira de Urologia de São Paulo trouxe revelações preocupantes com relação à queda de até 33% em diagnósticos de vários tipos de câncer.

Essa conta chegará e, no caso do câncer, talvez não seja possível esperar a vacina. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Dados colhidos em hospitais de SP mostram que, comparados a 2019, são 4,5 mil casos de câncer de próstata não diagnosticados em 2020.

Em âmbito nacional, a estimativa é que cerca de 22 mil pessoas podem não ter contraído a covid, mas têm câncer de próstata e não sabem.

Nos casos de câncer múltiplo na próstata, rim e bexiga, a redução nos diagnósticos foi de 26%, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia.

Outro problema criado pelo pânico instalado foi a redução dos doadores de medula óssea. O cadastro de doadores registrou queda de 30%.

QUANDO UM GOLEIRO VIRA UM DEUS

(Crônica de Pádua Santos)

Uma amiga minha, natural de Parnaíba, mas que mora em Fortaleza, ao visualizar a imagem acima estampada, ligou-me bastante apreensiva pensando tratar-se de um acidente ou até mesmo de morte. Respondi-lhe que ficasse tranquila, pois não se tratava de uma coisa nem de outra. Pelo contrário. Nosso Prefeito Mão Santa, que aí aparece iniciando uma sessão de massagem, encontra-se mais vivo do que nunca. Foi reeleito no último pleito com ampla maioria, derrotando adversários que com ele concorreram, e mais ainda: derrotando aqueles que desistiram da concorrência porque entenderam que suas derrotas eram iminentes. E aqui pode surgir um forte imbróglio para nossa cidade. Se o homem já derrotou ou correu com seus adversários, e se não mais poderá ser reeleito, quem vai ser o seu sucessor, se é verdade que ainda não disse se vem
preparando alguém para tanto? Pode surgir um forasteiro desamorável para com a cidade, e é isto o que já se ouve falar nos bastidores da política.

É necessário que apareça um parnaibano como é o Mão Santa, que goste realmente do embate e não tema derrotas. Lembro-me bem de quando ingressei na vida pública, no ano de 1992 e, ao lado do ex-Prefeito Zé Hamilton, nos elegemos, Vereador e Prefeito, respectivamente, ambos sob sua liderança, visto que ele, naquela época, acabava de encerrar o seu primeiro mandato como chefe maior da Prefeitura.

Zé Hamilton, em outros pleitos, novamente assumiu a Prefeitura e eu, como Presidente da Câmara Municipal, e também como Vice-Prefeito, eleito em 2000, por várias oportunidades cheguei a assumir o honroso cargo de chefe do Executivo parnaibano. Neste passo não posso negar que em alguns pleitos deixei de votar no nosso Prefeito massageado, mas também não devo esquecer que quando do meu ingresso na política partidária, como visto na ficha aqui publicada, foi ele o abonador de minha filiação no então PDS – Partido Democrático Social.

Por outro lado, ao tranquilizar minha amiga que, à primeira vista, não entendeu o que retrata a foto, a ela informei outra impressão que tal visualização trouxe a minha mente.

É que o Mão Santa ali se encontra deitado com o rosto para cima, com a cabeça apoiada em travesseiro revestido de pele de tigre, tal qual aqueles Faraós egípcios quando morriam e eram mumificados. Encontrando-se, também, sob os cuidados do ex- atleta do Parnayba Sport Club, o Sr. Mário Pereira de Souza, mais conhecido por Mário Boi. Este competente massagista foi goleiro da agremiação parnaibana por muitos anos e não é esta a primeira vez que figura nas minhas crônicas. Quando em 2012 lancei o meu livro “O Encantador de Serpentes e Outros Vultos Ilustrados”, ele já ali figurava numa comparação que fiz de sua pessoa com o famoso selo “Olho de Boi” instituído em 1834 por determinação do Imperador Pedro II.

Agora ele volta como sendo Anúbis – Deus egípcio dos mortos e moribundos, aquele que os egiptólogos mais conservadores nunca souberam afirmar com certeza o animal que o representa, mas que sempre foi associado à mumificação. E aí a imaginação: Se compararmos o nosso Prefeito aos Faraós que foram mumificados, tendo em vista a posição em que se encontra para receber massagens e sua forte liderança sobre o seu povo, temos que também comparar o Mário Boi ao Anúbio. E a comparação realmente procede. O forte olhar do moreno não  nos desmente – é deveras penetrante tal qual o olho do afamado Deus do Egito Antigo.

Aulas remotas funcionam mesmo ou alguém está enganando alguém?

Vendo a imagem acima qualquer um é transportado para uma profunda reflexão sobre a qualidade do ensino que está sendo promovido através das tais aulas remotas, num Estado paupérrimo como o Piauí, onde em muito locais não há Internet, sequer energia elétrica de qualidade. E daí são aulas contadas como normais do ano letivo. E ainda por cima não se pode reprovar ninguém. 

Nada contra nada e nem ninguém. Mas se nas escolas privadas encontraram um jeito do retorno às aulas presenciais, por que esta luz não chega às escolas públicas? Que tipo de formação intelectual estão tendo nossas  crianças par enfrentarem um mercado de trabalho cada vez mais competitivo? Alguém está se enganando ou enganando alguém. Fica o tema para reflexão.

Ah, e não me venha com essa conversa de que ano letivo se recupera e vidas não! Não é essa a discussão. A verdade é que o tempo não para, o relógio não trabalha girando o contrário do que é, enfim, se é para fingir que ensina e o aluno fingir que aprende…sei não, mas sei lá!!!!

Opinião:”A democracia brasileira está sob ataque?”

Fachin (Ministro do STF) disse hoje que a democracia brasileira está sob ataque. Não disse, porém, de onde partem os ataques.
Mas, pensando bem, nem precisava mesmo. A maioria dos brasileiros aponta o dedo para o STF.
E, realmente, as maiores agressões à nossa Carta Magna são obras de ministros da Suprema Corte.
Grandes constitucionalistas brasileiros já manifestaram essa opinião. E, a julgar pelas manifestações nas ruas e nas redes sociais, a maioria dos brasileiros não aprova o desempenho dos atuais ministros do STF. (Fonte:facebook)

As adaptações promovidas pelo isolamento social

(*)Por:Jânyo Diniz 

Quase um ano se passou desde o início, em março de 2020, do isolamento social provocado pelo coronavírus e, desde então, vivemos uma intensa mudança de comportamentos. Mudamos hábitos de consumo, aderindo, fortemente, aos aplicativos de entregas e de relacionamento, adotando uma prática pouco comum, especialmente em países latinos, de distanciamento social; mudamos a forma de estudar, com a ampliação do ensino a distância e híbrido; aderimos às consultas on-line para seguir com terapias, consultas psicológicas e até consultas médicas básicas; mudamos a forma de trabalho, aderindo ao trabalho remoto e híbrido – este último, uma mudança não apenas para colaboradores, mas também para os empregadores que antes eram resistentes em adotar a prática.

O trabalho híbrido é um modelo no qual se alterna na semana entre dias no escritório e dias em home office. Essa forma não é uma novidade, uma vez que já era bastante utilizada por empresas de tecnologia, porém tem se tornado cada vez mais discutida no mundo corporativo e se transformou em tendência e prática comum.

Inicialmente, muitos executivos não acreditavam que esse era um modelo eficiente para suas equipes, justamente por conta da impossibilidade de visualizar no que cada um estava trabalhando, além da falta de interação social. Porém, como mostram diversas pesquisas publicadas, a experiência acabou sendo bem diferente. O trabalho híbrido foi aprovado, provando sua eficácia e se tornando um modelo economicamente mais viável diante do cenário econômico mundial.

Muitos consideram o modelo como o “melhor dos dois mundos” – remoto e presencial -, porque permite uma rotina de trabalho flexível, mantendo as boas práticas do trabalho remoto – como a maior concentração nas atividades, melhor gestão do tempo e qualidade de vida dos colaboradores -, e trazendo apenas o melhor do presencial para reuniões e brainstormings, fazendo a manutenção dos vínculos sociais do trabalho com o espírito colaborativo e o famoso “olho no olho”.

A verdade é que as empresas estão buscando opções que melhorem a produtividade dos colaboradores, além de estimular sua criatividade e mantê-los felizes. E a tecnologia está em constante evolução, permitindo que novas ferramentas sejam lançadas, auxiliando na execução das atividades, reduzindo os riscos de erros e falhas.

Os resultados que temos visto, até o momento, nos animam para um novo futuro, com mais flexibilidade e produtividade, e terão impactos significativos na economia mundial, bem como na forma de se relacionar. O  home office, além de reduzir exponencialmente a necessidade de espaços físicos, reduz barreiras geográficas possibilitando que pessoas em diferentes cidades, estados ou países, possam trabalhar juntas e cooperar de forma jamais vista antes.

Estamos caminhando para o momento que as atividades presenciais serão apenas as obrigatoriamente necessárias, ou que satisfaçam necessidades pessoais de relacionamento. O tempo ganho com economia em transporte esperas infindáveis em salas de reunião, cafezinho e brincadeiras serão melhor utilizado com a família, estudo, aumento de produtividade e lazer.

(*)Jânyo Diniz – Presidente do grupo Ser Educacional