Opinião: A oposição de Parnaíba fala por falar

Se a prefeitura investe em decoração natalina eles criticam, dizem que tem que economizar, embora sabendo que Parnaíba é uma cidade turística e que tem que ter atrativos para quem vem passar a férias aqui e aquece a economia.

Por outro lado, se a prefeitura economiza na festa de réveillon, valorizando os artistas locais em detrimento de bandas caras e mais badaladas, os mesmos que falam em economizar são os primeiros a criticar.

Em suma, essa turma não quer nada com nada, não entende nada de gestão pública, não tá nem aí para o interesse público, só quer saber de criticar por criticar e conseguir seus 15 minutos de fama.

Não dê audiência para esse tipo de pessoa.

Por: Eliaquim Nunes(facebook)

Quando alguém que amamos morre, deixa de viver entre nós para viver dentro de nós

quando alguém que amamos

Por:LUIZA FLETCHER

Perder alguém que amamos é uma das situações mais difíceis que podemos enfrentar na vida.

De uma hora para outra, aquela pessoa que estava todos os dias ao nosso lado compartilhando momentos, ajudando-nos a superar tristezas, proporcionando-nos alegria e presença simplesmente se vai, e ficamos apenas com o sentimento de vazio e muita dor em nossos corações, que pode demorar muito tempo para amenizar.

É muito difícil nos desacostumarmos com o amor, a presença, o carinho e a dedicação de uma pessoa amada. Nunca mais vermos o seu sorriso, ouvirmos a sua voz e não termos o seu ombro amigo é uma sensação muito dolorosa, que nos faz sentir impotentes diante dessa realidade que infelizmente não podemos mudar.

Não importa como vivemos e no que acreditamos, a morte é a única certeza da vida, e ainda que saibamos disso desde sempre, muitas vezes não estamos preparados para lidar com ela quando chega em nosso caminho.

Vivemos o luto com muita intensidade, sentimos raiva, dor, choramos, não nos conformamos e muitas vezes também prejudicamos nossos outros relacionamentos pessoais ou profissionais porque a dor parece tomar conta de todo o nosso ser e guia todos os nossos passos. Essa fase dura um tempo específico para cada um de nós, mas em algum momento, cansados de lutar contra o inevitável, nós percebemos que é preciso seguir em frente, mesmo sem o nosso amado do lado.

É nesse momento que juntamos todas as nossas forças, toda a sabedoria que temos guardada e percebemos que não precisamos nos esquecer da outra pessoa, e que apesar de ela ter deixado de viver entre nós, sempre viverá dentro de nós, e que por isso nunca estará realmente longe.

]Quando perdemos alguém que amamos, a única coisa que realmente se vai é o seu corpo, porque o amor, o espaço em nossos corações e os momentos vividos continuam para sempre dentro de nós.

Nossos amados sempre viverão dentro de nós, e sempre que pensamos neles, que nos lembramos de nossas histórias, percebemos que a morte, apesar de dura, não pode nos separar de verdade.

Tudo o que alguém representa para nós não se vai da noite para o dia, permanece sempre conosco. Para muitos, existe a crença de que aqueles que já se foram continuam presentes, sempre prontos para ajudar em nossos momentos de dificuldades e nos guiar para uma vida feliz.

O amor é muito maior do que a morte, e é graças a ele que aqueles que partem continuam vivos dentro de nós e se mostram presentes a cada pensamento, sentimento e acontecimento aleatórios da vida que nos mostram que não estamos sozinhos.

Precisamos compreender que a morte não precisa ser o fim, e que podemos superar a ausência física se mantivermos viva a memória da pessoa que não está mais conosco. Recordar as lembranças felizes nos ajuda a lidar com a ausência e nos dá paz para seguirmos nossos caminhos sem culpa, sabendo que estamos fazendo aquilo que eles gostariam, movendo-nos em direção à felicidade.

Aqueles que amamos nunca nos deixam de verdade, estão sempre conosco, e mesmo que não estejam mais entre nós, sempre estarão em nós. Lembre-se sempre disso. (O Segredo)

O caos no Hospital Regional de Picos

Por:Zózimo Tavares

Um vídeo que mostra pacientes agonizando e deitados no chão, à espera de atendimento, no Hospital Regional Justino Luz, em Picos, tomou conta dos portais de notícia, do noticiário de TV e das redes sociais esta semana.

A Fundação Estatal Piauiense de Serviços Hospitalares (Fepiserh) confirmou que as imagens são do Hospital Justino Luz e alegou que o caso ocorreu devido à superlotação.

A nota acrescenta que “em razão das festividades de final de ano, junto ao fato da maioria dos hospitais de pequeno porte da região estarem fechados ou de recesso, a procura pelo Hospital Justino Luz foi bastante superior a média, superando a capacidade instalada do hospital.”

As imagens mostram também alguns dos pacientes próximos a um entulho, dentro do hospital.

Conforme nota da Secretaria Estadual de Saúde, isso aconteceu porque o hospital está passando por uma reforma.

Quadrilha

Coincidência ou não, esse caos no Hospital Regional Justino Luz é mostrado apenas três meses depois que um esquema criminoso foi desbaratado pela Polícia Federal no município de Picos.

A operação Peloponeso, deflagrada no dia 4 de setembro pela PF, teria desviado mais de R$ 17 milhões de recursos do Ministério da Saúde.

Esses recursos, segundo a Polícia Federal, deveriam ser aplicados no tratamento de pessoas com deficiências física, auditiva, visual ou mental.

A PF informou ainda que, para canalizar o atendimento dos pacientes para duas clínicas particulares de Picos, o Serviço de Reabilitação no Hospital Regional Justino Luz foi desativado.

As investigações apontaram que o dinheiro desviado por uma das clínicas seria suficiente para custear o tratamento de 400 mil pacientes.

Se essa gente sem coração foi capaz de roubar o dinheiro destinado ao atendimento dos deficientes, certamente teve peito também para surripiar outras verbas da saúde.

Daí porque, embora chocante, não estranha a calamidade que tomou conta do Hospital de Picos.

Comissão de Saúde da Assembleia faz inspeção no Hospital de Picos

Estrebaria

Mas não é de hoje que se fazem denúncias relacionadas às precárias condições de atendimento no Hospital Regional de Picos.

O Conselho Regional de Medicina, após inspeções in loco, já determinou a interdição do hospital e de sua maternidade.

No final de maio passado, a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa também fez uma vistoria no hospital.

À época, a deputada Teresa Britto (PV), presidente da Comissão, pediu a interdição de uma das alas.

A parlamentar visitou o hospital juntamente com os deputados Gustavo Neiva (PSB), Francisco Costa (PT) e Lucy Soares (PP). 

“Alguns setores do hospital parecem mais uma estrebaria. Isso é uma vergonha e um descaso com a população. Vamos pedir ao Conselho Regional de Medicina a interdição da ala mais crítica do hospital para melhorias emergenciais”, adiantou a deputada.

Reforma 

A reestruturação do Hospital de Picos foi iniciada em 2016, mas as obras foram embargadas devido a um problema com a empreiteira que tocava a obra, que terminou o contrato com o Governo do Estado.

A Secretaria de Saúde informou que a reforma foi retomada há poucos dias por determinação da Justiça.

O Hospital Justino Luz atende a 60 municípios da região de Picos.

Reforma do Hospital de Picos, iniciada em 2016, foi suspensa e retomada

Ele nasceu, quebrou paradigmas e revelou o amor

Por Nayara Sousa* 

É Natal. Para os cristãos, essa data representa a vinda do salvador. As famílias se confraternizam e fortalecem os laços, gerando uma atmosfera de amor. Por falar em amor, é justamente o amor a principal representação do Cristo.  

O Natal também remete à reflexão e importância de valorização do próximo. Nesse período, muitos comovidos pela compaixão, são levados ao ápice do “espírito natalino” e tentam auxiliar outros de alguma forma. 

Em tempos difíceis feito os que estamos vivenciando, o Natal é um bom momento para tentarmos resgatar valores perdidos. Como bem colocou o filósofo e sociólogo Zygmunt Bauman: “Vivemos em tempos líquidos, nada é para durar”. Quando o mesmo retrata uma sociedade na qual os relacionamentos são fluidos, ele consegue definir claramente o perfil da contemporaneidade. De fato, tempos líquidos! 

Um país dividido em posicionamentos ideológicos e políticos, o distanciamento das relações familiares e o constante anseio de aceitação dos padrões sociais impostos tornam os dias difíceis. O Natal traz muitas reflexões e com ele, o melhor exemplo a ser inspirado. Basta olharmos para a figura central dessa data e nos apropriarmos dos seus ensinamentos. Jesus Cristo mostrou a humanidade e o amor em sua forma mais genuína e quebrou todos os paradigmas da religiosidade. 

Perdoou quem jamais merecia o perdão, entrou em lugares abomináveis, acolheu o desprezado, corrigiu os que seguiam a sua jornada e mostrou caminhos seguros para todos aqueles que os desejassem. Cristo compartilhou conosco o sentido da palavra empatia. E como estamos precisando dela na atualidade!  

Os sábios da época não conseguiram imaginar que aquele menino nascido de uma virgem, sem estrutura alguma, em uma manjedoura, fosse o que o profeta Isaías havia declarado: “Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Podero­so, Pai Eterno, Príncipe da Paz.”  

Desejo um feliz natal para todos os leitores. Que cada lar receba a paz desse amor! 

*Enfermeira, pedagoga e professora universitária 

Opinião:O Natal em tempos de cólera

Por:Zózimo Tavares

O Brasil atravessa mais um Natal com os nervos à flor da pele. As acaloradas discussões da eleição passada ainda estão presentes.

Aquelas diferenças e desavenças que, no passado, duravam o período da campanha eleitoral, agora se prolongam indefinidamente, cada vez mais raivosas.

Assim, o que se vê, especialmente nas mídias sociais, é um espírito bélico, a prática da intolerância, a animosidade afetando as relações familiares, o ambiente de trabalho e outros grupos.

Basta uma opinião e uma discussão explode em tempo real. Nesse clima, muitas amizades são foram desfeitas e até parentescos renegados.

O que tem levado tantos brasileiros a esse extremismo? Essas posições tão radicais decorrem da crise econômica?

Ou o tal empoderamento de tantos grupos, através das mídias sociais, está provocando um efeito contrário ao que deveria, que era o de aproximar os seus usuários, hoje divididos em bolhas?

E por que se valoriza tanto a invasão e divulgação de dados e mensagens de pessoas cuja privacidade é assegurada legalmente?

Um relatório divulgado pelas empresas We are Social e Hootsuite, intitulado “Digital in 2018: The Americas”, mostrou que 62% dos brasileiros estão ativos nas redes sociais. Mas com que objetivos?

Como um país cristão pode insistir nessa guerra fraticida em que se procura desesperadamente semear a discórdia e assassinar reputações?

Vive-se, hoje, um momento particularmente propício para se refletir que, sem o desarmamento de espíritos, sem o perdão, sem a tolerância, sem a compreensão, o Natal não passa de uma hipocrisia.

O sentido do Natal é, como se sabe, o da comunhão e da renovação, pois simboliza o nascimento de Jesus Cristo, aquele que veio trazer paz, esperança e alegria para a humanidade.

O espírito natalino é, portanto, uma experiência que deve ser buscada não apenas uma vez ao ano, mas todos os dias, teimosamente. Agora, nestes tempos de cólera, mais do que nunca isso se faz necessário.

Operadora OI à beira da falência

À beira da “morte”

A Operadora OI está à beira da falência com dívidas bilionárias, e não consegue mais oferecer serviço de qualidade aos milhões de clientes no Brasil.

Coincidência

A operação da polícia federal, em conjunto com órgãos do ministério público federal, revela agora um esquema de corrupção e desvio de dinheiro da operadora OI, no qual aparece como principal beneficiado o empresário “Lulinha”, ex-servidor de zoológico que enriqueceu nos últimos 14 anos.

Quadrilha organizada

A Operação Mapa da Mina aponta que uma verdadeira quadrilha organizada fraudou documentos e contratos para desviar dinheiro de uma das maiores Operadoras de Telefonia do país. 

Propaganda enganosa

Enquanto isso, a OI liga para seus clientes, oferece serviço de internet fibra ótica, mas nunca instala os aparelhos nas residências.

Um verdadeiro calote

Os clientes fazem cadastros contratuais, enviam documentos e o dinheiro começa a ser descontados em conta corrente. 

A OI está realmente tomada por corrupção. (Por:Feitosa Costa)

Novo Congresso já envelheceu

Novo Congresso envelhece rapidamente

Por: Zózimo Tavares

Uma nova pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada na semana passada, indica que o Congresso Nacional, mesmo com a renovação recorde acima de 50%, nas eleições de 2018, se mantém impopular.

De acordo com o levantamento, no começo deste mês, 45% dos eleitores reprovam o trabalho dos deputados federais e senadores.

São 10 pontos percentuais a mais do que no final de agosto.

Apenas 14% aprovam o Congresso, oscilação negativa de 2 pontos percentuais em relação à última pesquisa.

Os números do instituto mostram ainda uma piora no quadro no decorrer deste primeiro ano da nova legislatura.

No final de 2018, a onda que elegeu o presidente Jair Bolsonaro levou a população brasileira a demonstrar expectativa otimista.

Então, para 56% dos entrevistados, os novos congressistas teriam um desempenho ótimo ou bom, número superior ao verificado antes das duas legislaturas anteriores – 49% e 40%, respectivamente.

Quatro avaliações

Depois da posse, em fevereiro de 2019, o Datafolha já realizou quatro pesquisas sobre o desempenho dos congressistas.

Enquanto o índice dos que consideram ótimo ou bom o trabalho de deputados e senadores caiu de 22% para 14%, a rejeição foi de 32% para 45%.

O Datafolha ouviu 2.948 pessoas em todo o Brasil, entre os dias 5 e 6 de dezembro.

Fundo Eleitoral

A pesquisa saiu junto com a aprovação, pelo Congresso Nacional, de uma bolada de R$ 2 bilhões para o Fundo Eleitoral de 2020.

Essa dinheirama vai ser despejada nas contas dos partidos para que eles a gastem nas campanhas de seus candidatos, nas eleições do próximo ano.

PT, PSL, MDB, PSD, PP, PSDB, DEM, PR, PSB e PDT são os partidos que vão abocanhar as maiores fatias desse dinheiro.

E um detalhe: para saciar a fome dos partidos por verbas, o governo terá que tomar emprestado R$ 1 bilhão e 700 milhões, pois só vai dispor de R$ 300 milhões para essa nova farra com o dinheiro público.

Nesse caminho, o risco é esse Congresso que aí está, logo logo ficar devendo ao que foi reprovado nas urnas no ano passado.

Papa Francisco critica “rigidez” e pede mudança à igreja

Papa Francisco faz alerta sobre perigos que rigidez pode trazer para igreja/G1

Por G1

“A rigidez que vem do medo da mudança termina disseminando limitações e obstáculos no terreno do bem comum, transformando-se em um campo minado de ódio e incompreensão”, disse o pontífice em discurso de Natal.
O Papa Francisco alertou neste sábado (21) que a “rigidez” nas maneiras de se viver a fé cristã criou um “campo minado” de ódio e incompreensão em um Ocidente cada vez menos católico, durante mensagem de Natal a integrantes da Cúria Romana no Vaticano.

“A rigidez que vem do medo da mudança termina disseminando limitações e obstáculos no terreno do bem comum, transformando-se em um campo minado de ódio e incompreensão”, afirmou.

Segundo o pontífice, “as pessoas que não ouviram o Evangelho ainda não vivem mais somente em países não ocidentais”. “Elas vivem em todos os lugares, especialmente nas enormes concentrações urbanas em que precisam de um cuidado pastoral específico”, disse o papa.

“Na grandes cidades, precisamos de outros mapas, outros paradigmas, para nos ajudar a reposicionar nossas maneiras de pensar e nossas atitudes: não estamos mais em tempos cristãos, não mais!”

Mudanças na Cúria

Um grupo de seis cardeais próximos ao papa Francisco está a ponto de terminar a elaboração de uma nova Constituição que administrará o futuro da Cúria Romana e que substituirá um texto precedente promulgado por João Paulo II em 1988.

O papa também anunciou neste sábado a limitação a cinco anos, eventualmente renovável, do posto de decano do Colégio de Cardeais, que preside esta instância.

Com esta decisão, ele parece querer diminuir o poder do decano. Neste sábado aconselhou aos cardeais que escolham uma pessoa que não acumule outros postos simultaneamente dentro da Cúria.

A mudança foi anunciada ao mesmo tempo que a saída do decano atual (no posto desde 2005), o cardeal italiano Angelo Sodano, de 92 anos, que não é considerado próximo a Francisco.

Eleições 2020:Mão Santa deixa sem discurso os seus opositores

POR: BERNARDO SILVA

Fazendo apenas o trivial, coisas que os outros não fizeram, o prefeito de Parnaíba, Mão Santa, marcha a galope rumo à reeleição em outubro de 2020.

E por que é assim? Porque não se faz mais políticos como antigamente. As pessoas não se preparam para disputar um cargo eletivo e passam a improvisar as coisas. Candidatam-se e, caso eleitos, vão repetir erros do antecessor, decepcionando o eleitorado.

Vislumbrando o cenário para 2020 é fácil enxergar apenas e tão somente a mesmice. Os velhos candidatos e os surrados discursos e gestos, como: tapinha nas costas, beijinhos nas crianças, almoço e lanches nos mercados e um trago de cachaça com a caboclada nos botecos da vida.

Voltando ao momento atual, a gestão Mão Santa apenas mexeu positivamente na autoestima dos parnaibanos, revitalizando praças, dando vida à Lagoa do Bebedouro que outros gestores não viram. E a sensibilidade da mulher, que ocupa a secretaria de infraestrutura, Gracinha M. Sousa, assimilou o que todos já sabiam: a Lagoa era um ponto turístico a desafiar administrações, que preferiram priorizar coisas menores.

Lagoa do Bebedouro

Todos os outros gestores cantavam e decantavam Parnaíba como sendo a princesa do Igaraçu; a cidade turística, a capital do Delta; isso e aquilo & aquilo outro. E só! Mas a administração Mão Santa tem tratado a cidade turística como uma sala de visitas, que encanta quem aqui chega e fica deslumbrado com tanta beleza.

Grandes projetos existem, para serem executados, desde que os recursos sejam liberados. E o grande salto no turismo será a Pedra do Sal, com uma nova ponte de acesso; na infraestrutura, será a solução do problema dos piscinões da cidade. E, diga-se, para essas duas situações, à exceção da nova ponte, já vieram recursos federais, que foram devolvidos e/ou “desaparecidos”, por mera falta de competência e compromisso com a cidade.

Quem vai concorrer com o prefeito Mão Santa, para a prefeitura? Zé Hamilton? Florentino Neto? Os dois já passaram 12 anos no comando da cidade. E não fizeram a metade que o atual prefeito fez em 3 anos. Zé Hamilton foi prefeito de 1993 a 1996; depois; de 2005 a 2012, junto com Florentino, que passou 8 anos “aprendendo” e 4 anos executando o que provou não haver aprendido. Os outros? Dr. Hélio? Este vai dizer que tem o apoio do governador do Estado, que só destruiu as coisas da Parnaíba? Hélio e Samarone? Qual a folha de serviços prestados??? Que outros se habilitem, porque esses aí…

Opinião:Piauí e sua eterna indigência

Imagens ilustrativa

Por:Murilo Noleto

É inadmissível que, em pleno século XXI, estejamos a presenciar um mar de indignidades praticadas pelos poderes constituídos do Estado do Piauí.

O governador Wellington Dias resolveu antecipar um corte draconiano nos salários dos servidores estaduais, sem que se assista nenhum tipo de reação da dita Sociedade Civil Organizada.

Esse verdadeiro PACOTE DE MALDADES que o governador do Estado, com a anuência de noventa por centro dos deputados estaduais, colocará em votação nesta quarta-feira, 11/12/2019 (data a ser lembrada ad aeternum pelos barnabés piauienses), sem que se tenha conhecimento em detalhes das maldades que serão impingidas na vida financeira de dezenas de milhares de servidores públicos estaduais, a partir de janeiro de 2020.

O troço fica ainda mais ridículo quando se vê alguns “sindicalistas” tentando tentando discorrer sobre o saco de maldades a ser aprovado na Assembleia Legislativa hoje, sem fazer menção a nenhum item da extensa lista de direitos que serão suprimidos dos rendimentos dos servidores do Estado do Piauí.

Até mesmo os três ou quatro deputados estaduais, que se dizem oposicionistas ao atual governo, não demonstram em suas falas nenhum tipo de conhecimento da patranha governamental.

É essa alienação total e absoluta da sociedade como um todo, diante dos desmandos do governos que se sucedem, eternamente de costas para as demandas sociais, que contribui  decisivamente para a manutenção desse status quo.É lamentável.

P.S.:Figuras públicas vão aos meios de comunicação e, sem o menor pudor, dizem que o Estado do Piauí, com esta malfadada reforma da previdência, estaria apenas se adequando à Constituição Federal. Puro cinismo.

W. Dias posa de ‘amiguinho’ do turismo, mas foi ele quem aniquilou o “Projeto Voa Piauí”

W. Dias esteve sexta-feira no Verdinho em Parnaíba
Por: H. Maranhão
(Matéria exclusiva do Blog do B. Silva)
Wellington Dias, quem não te conhece, que te compre! O petista é de um descaramento tão grande que não seria nenhuma surpresa se ele desse bom dia a jumento. E ainda faria selfie com o animal, para colocar no site pi.gov.br, dizendo-se protetor dos quadrúpedes. Quem dúvida? O governador do PT esteve no Salão de Turismo da Rota das Emoções para anunciar que a empresa aérea Passaredo pretende fazer voos para Parnaíba, e fez aquele discursinho medíocre, barato e cínico de sempre.
Anunciou nova empresa aérea que fará voos para Parnaíba
Diante da conversa fiada de W. Dias no evento, o parnaibano mais desatento pode até achar que o petista está muito preocupado com o desenvolvimento do turismo no litoral do Estado. Só se for muito ingênuo mesmo. Para quem não lembra, o Projeto VoaPiauí, com voos de Teresina a Parnaíba, e de Teresina para Picos e São Raimundo Nonato, simplesmente acabou por conta da incompetência do dito Wellington Dias. Sem supresa, né?
À época, o governador Wellington Dias disse na imprensa que o projeto era um espetáculo e que alavancaria o turismo regional, de norte a sul do Estado. O Projeto ‘Voa Piauí’ funcionava em uma parceira do Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Turismo (SETUR) e a empresa TWFly, a Piquiatuba Táxi Aéreo, que iria disponibilizar até uma aeronave maior para as rotas. O Voa Piauí operou entre 2016 e 2017.
W. Dias foi prestigiado pelos políticos que o representam em Parnaíba
Sabem por que o Voa Piauí, que trazia turistas aos finais de semana para Parnaíba e região, faliu? Porque Wellington Dias não autorizou a renovação do contrato com a empresa que operava os voos, e ainda havia uma dívida do Governo do Estado com a TWFly em mais de R$ 700 mil. Adivinha quem era o secretário estadual de Turismo naquele período? Flávio Nogueira Júnior, o mesmo que vai reassumir a SETUR. O trade turístico de Parnaíba e região ficou em pânico com a notícia. E o governador petista ainda fica no Salão da Rota das Emoções se fazendo de muito ‘amiguinho’ do setor. Dá pra acreditar nisso? Haja óleo de peroba!

Nas mãos do governador Wellington Dias, o Projeto Voa Piauí virou um fiasco e motivo de piada. Mais um para a vasta coleção do petista.

Pesadelo para o trade turístico: Flávio Nogueira Júnior vai retornar à Setur-PI

Por: H. Maranhão
(Exclusivo para o Blog do B. Silva)
Quando se pensa que a situação do turismo no Piauí não pode piorar, o secretário estadual de Governo, Osmar Júnior, anuncia o que o trade turístico do litoral mais temia: a volta do deputado Flávio Nogueira Júnior ao comando do órgão. Os barraqueiros da Pedra do Sal vão ter um infarto com a notícia, pois o político já deixou a praia parnaibana fora do calendário de eventos da secretaria. E também já cometeu outros deslizes com a região.
Na verdade, a Setur-PI trata a Pedra do Sal com desprezo e a ignora de forma incompreensível, como se o local não fizesse parte do litoral do Piauí. Além de Parnaíba, o deputado Flávio Nogueira Júnior não se mostra muito habilidoso no trato da gestão do turismo nas cidades litorâneas do Piauí. O jogo político do governador Wellington Dias para acomodar aliados e amigos na Assembleia Legislativa, acaba prejudicando o desenvolvimento turístico no Estado.
Flávio Nogueira Júnior não é o nome mais indicado para a pasta, e todo o trade turístico sabe disso. Enquanto a Setur-PI for um feudo dos Nogueira, o turismo do Piauí não avança. Falando na família Nogueira, por que o deputado federal Flávio Nogueira nunca mais pisou na Pedra do Sal? Ele só foi visto por lá antes da eleição.
Os barraqueiros querem conversar com ele sobre o hilariante ‘cozimento de galo’ da obra de urbanização da orla.

Se Wellington Dias não se preocupa nem com gente, vai ligar para animais do Zoobotânico?

(Matéria exclusiva do Blog do B. Silva)
Ora, ora, ora. Ainda tem gente no Piauí que fica assustada em saber que o Zoobotânico de Teresina está em situação de abandono, jogado às traças e quase pedindo para ser fechado, diante de tanto descaso do Governo do Estado com o local.
O que se pode esperar de uma gestão que não valoriza e nem respeita sequer o ser humano, que é, inclusive, quem paga imposto para manter toda as estrutura pública? O que acontece no Zoobotânico é fichinha perto do que ocorre nos hospitais estaduais, a exemplo do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Heda), com pessoas sendo tratadas como entulho humano, nos corredores, sem nenhuma sensibilidade com o sentimento alheio.
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pediu a interdição imediata do Parque Zoobotânico, localizado na zona leste de Teresina. A situação estrutural, o abandono do parque e a falta de segurança são as principais motivações para o pedido de intervenção. E por que a OAB também não pede a intervenção dos hospitais estaduais?
Enquanto gente e animais são tratados como seres selvagens no Piauí, o governador Wellington Dias, pouco preocupado, foi fazer turismo na Europa, um tour bancado com dinheiro público, incluindo hotéis de primeira, restaurantes luxuosos e fotos para as redes sociais.
Até a lagoa do Parque Zoobotânico secou por conta de um problema na bomba d’água. Nada funciona a contento no Estado. A gestão de W. Dias criou um caos generalizado em diversos setores, e a população, incluindo a parnaibana, paga caro por isso. Sejamos sinceros, se Wellington Dias não se preocupa com gente, vai ligar para animais em Zoobotânico? Claro que não!

Nem gente, nem animal. O governo W. Dias só serve para empregar apaniguados políticos e se envolver em escândalos, como o da Seduc-PI (Topique).

A nova diretora do Heda não consegue resolver os velhos problemas do hospital

Mais uma vez o quase eterno drama de atrasos de salários de servidores terceirizados do Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Heda) volta a virar notícia em Parnaíba. Circula nas redes sociais um pedido de socorro sobre o assunto, referente a três meses de atraso de salários de contratados no órgão estadual.
‘Vendida’ na mídia oficial como supercompetente e preparadíssima para ‘salvar’ o Heda, a nova diretora do órgão, que assumiu há alguns meses, não conseguiu solucionar essa triste situação de funcionários do Heda, que se arrasta há anos. Enquanto os contratados amargam atrasos de salários, os pacientes do hospital continuam a enfrentar filas, mau atendimento e todos os corriqueiros problemas que assolam o centro de saúde parnaibano.
O Governo do Estado sempre promete que vai regularizar o pagamento de salários, mas tudo não passa de conversa fiada. Os meses de atrasos de salário são comuns no Heda. O Heda continua com seus velhos problemas, de anos, e já bem conhecidos da´população parnaibana.
O hospital parnaibano precisa, urgentemente, de uma intervenção, a fim de melhorar o fluxo no atendimento e suas maiores demandas, e, também, para sanar o drama do atraso de salários de servidores contratados. Como fazer saúde pública com funcionários desmotivados? Como falar em humanização no atendimento com pessoas ‘internadas’ por dias em cadeiras nos corredores?

O Heda necessita de um gestor de verdade.

Será que o Instituto de DNA também vai conseguir mapear o gene da incompetência de W. Dias?

Em um mar de marasmo e ineficiência administrativa da Secretaria Estadual de Segurança, leia-se Fábio Abreu, a implantação do Instituto de DNA Forense (IDNA) é um alento. A estrutura,  inaugurada em 11 de novembro, está sendo implementada com o auxílio do Ministério da Justiça, com o objetivo de produzir a prova pericial baseada nas tecnologias de genética forense e instituir o Banco Estadual de Perfis Genético.
Então, diante dessa real possibilidade de se fazer o mapeamento genético de suspeitos e vítimas de crimes, fica a pergunta se esse moderno equipamento é capaz, também, de localizar o famoso gene da incompetência do governador Wellington Dias.
Como a verificação das análises chega 99,9% de certeza, acreditamos que finalmente poderemos saber por que o petista é tão incapaz de gerir os destinos do Piauí, e por que costuma enganar tanto os piauienses com suas falácias e promessas. Só por isso já valeria o investimento de R$ 400 mil em espaço físico e R$ 3 milhões em equipamentos.
Não existe explicação compreensível para um governador ser tão incompetente se não for algo direto em sua genética. Wellington Dias devia ir ao IDNA para fazer o exame, não custa nada. Se for detectado o gene da incompetência, não será surpresa para os piauienses, que convivem dia e noite com os efeitos disso.

E se o exame não encontrar o gene da incompetência em W. Dias, então, o que ele faz com o Piauí é por puro deboche mesmo. Aí, só cabe ao eleitor mudar essa trágica situação nas urnas.(Matéria exclusiva do Blog do B. Silva)

Parnaíba e sua rentável fábrica de simulacros de arma de fogo

Por:José Maranhão*
(Exclusivo para o Blog do B. Silva)
Em muitos assaltos praticados em Parnaíba nos últimos meses, há algo que chama bastante atenção: grande quantidade de simulacros de arma de fogo usado em atos criminosos. É como se a cidade tivesse uma fábrica especializada em fabricar esse tipo de equipamento.
Na manhã da última terça-feira, 12 de novembro, a Polícia Militar prendeu uma dupla suspeita de praticar vários assaltos em Parnaíba. Eles usavam um simulacro de arma de fogo para dominar as vítimas. Na dúvida se a arma de fogo é verdadeira ou não, a vítima acaba entregando tudo o que tem para o marginal, sem pestanejar. 
A violência continua em alta em Parnaíba, em praticamente todos os bairros da cidade, sendo que a população vive com o sentimento de impotência diante da covarde ação de bandidos, que estão cada vez mais ousados em seus crimes.

Não é todo bandido que tem habilidade artesanal para fazer um simulacro de arma de fogo. Há quem esteja vendendo desses artefatos para o mundo do crime na cidade e faturando com o comércio ilegal desse produto. Se a PM apertar, encontra a fábrica e o especialistas na produção dos simulacros.

Heda, um paciente adoentado que precisa urgentemente de cura

Se o Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (Heda) fosse um corpo humano, e tivesse adoentado, ele precisaria de boas doses de remédio para curar algumas de suas feridas mais expostas: péssimo atendimento, corredores lotados, lentidão, servidores de mau humor e um despreparo incomum de gestão, que é o culpado por tudo isso.
O problema é que os gestores erram mais que acertam nas doses aplicadas ao hospital parnaibano nos últimos anos. O remédio não tem tido o efeito desejado porque o local é usado, na maioria das vezes, para acomodação de apadrinhados políticos. O foco técnico, com pessoas preparadas e que deveriam dar mais resolutividade e resultados mais consistentes ao hospital, fica em segundo plano, sendo que a prioridade é atender a interesses politiqueiros de quem usou, abusou e ainda usa o local para angariar dividendos eleitorais.
O Heda é motivo de disputa política nos corredores do Karnak, por conta da quantidade de pessoas empregadas com portarias e de terceirização. Os dois nomes que brigam para fazer as indicações são bem conhecidos da população parnaibana. Um, comprovadamente incapaz para administrar até boteco de beira de estrada, está atualmente com o controle do hospital, e os problemas não diminuem; o outro, que mandava lá até pouco tempo, atua dia e noite para reaver o comando do centro de saúde. Enquanto isso, a população padece nos corredores do Heda. A deputada estadual Teresa Brito flagrou essa triste realidade em recente visita ao hospital.
Quem disse que não há cura para o Heda?
O remédio é simples: colocar profissional qualificado e experiente para gerir os rumos do hospital parnaibano. Menos politicagem barata, mais profissionalismo. E não ficar brincando de erra e acerta na direção, como o que se tem visto há anos naquele lugar. 

Violência hollywoodiana assusta comunidade rural de Luís Correia

Seria cômico se não fosse trágico. Usando máscara do temido Jason, da famosa série de terror “Sexta-Feira 13”, um assaltante, acompanhado de comparsa, levou dinheiro e celulares de vítimas em comércio na comunidade São Benedito, em Luís Correia.
Há tanta facilidade para se cometer ato criminoso na região que o bandido, sem constrangimento ou medo da polícia, chega ao deboche de usar máscara de personagem de Hollywood na prática delituosa. Até nas áreas rurais das cidades litorâneas, onde o cotidiano da população geralmente é tranquilo, a violência amedronta esses pacatos piauienses. A ação criminosa foi registrada pela câmera de segurança no dia 3 de novembro.
Enquanto o deputado federal e ex-secretário estadual de Segurança, Fábio Abreu, que só pensa em ser prefeito de Teresina, diz que os índices de violência no Piauí diminuíram consideravelmente nos últimos anos, e que tudo está dentro da ‘normalidade’. Mas os parnaibanos e moradores de cidades vizinhas convivem diariamente com uma onda de assaltos e outros crimes.

Com efetivo reduzido, poucas viaturas e outros problemas operacionais, a PM-PI, em Parnaíba e região, fica com muitas limitações para inibir e enfrentar a audaciosa ação de marginais em campo. Segurança Pública no Governo Wellington Dias só funciona na propaganda oficial.

Mão Santa diz que vai eleger 14 dos 17 vereadores da Câmara

Mão Santa em evento do DEM na Câmara Municipal

Embora sua candidatura à reeleição seja um assunto que ele vinha postergando, o prefeito de Parnaíba, Mão Santa, já dá sinais de que o tema não está fora de suas pretensões.

Em reunião política, semana passada, durante a filiação da suplente de vereadora Doya ao DEM, o prefeito disse que, caso não consiga formar uma chapa forte com vereadores, secretários ou mesmo empresários locais, ele poderá, sim, ser o candidato. “Se eu não formar a chapa dos meus sonhos, não vou deixar o PT voltar outra vez ao comando da cidade”, pontuou.

Ele reafirmou ser contra a existência desses quase 40 partidos atuais  e que a próxima eleição vai acabar com isso.. “Hoje nós estamos muito fortes. Quando deixei a prefeitura na primeira vez, e que logo após os parnaibanos nos deram a maior votação a um político piauiense, quase 94% dos votos, para governador, dos 13 vereadores que haviam fizemos 10. Agora, dos 17 atuais vamos fazer pelo menos 14 e queremos uma bancada de mulheres forte”, destacou Mão Santa, referindo-se às candidaturas de Doya e Neta Castelo Branco, que são suas correligionárias. “Esse nosso governo é bom, muito bom. O outro será bem melhor”, finalizou.

Coisa boa é ser amigo do governo!

Quem lembra como o Geddel Vieira Lima ganhou tanto dinheiro?

Por: Marcos Melo

Empreender é um desafio dos grandes. Hoje, ter experiência na área e compromisso com o trabalho significam pouco — algumas vezes, absolutamente nada — quando se fala de sucesso empresarial no Piauí.

Restaurantes com 20 anos de clientela fecham as portas enquanto os mais diversos points brotam aqui e ali. Bares e restaurantes “relâmpagos” investimentos altíssimos que, de repente, fecham, mudam de nomes, sócios, tudo no mesmo lugar. Sempre dando “lucro”.

Na construção civil, a maior empresa do estado demite milhares de funcionários para se manter funcional no mercado. Ao mesmo tempo, empresas sem empregados registrados prosperam no ramo de norte a sul do Piauí.

Colégios com décadas de tradição encerram suas atividades por cambalearem no mercado diante da concorrência que aos mais atentos cheira a dumpping.

Alguém já reparou nas lojas de carros usados nas principais avenidas da capital? Numa delas, apenas, por curiosidade, contamos nada menos que R$ 5 milhões de reais distribuídos em não mais do que 20 carros. Possantes que substituíram em questão de meses Voyages, Celtas e Palios de seus novos “donos”. Gente essa que não junta uma semana inteira de trabalho se for contar a vida toda.  

De repente, choveram heranças por aí? Distribuíram bilhetes premiados de loteria na fila do pão? Provavelmente, não. Claro que não.

Competir no mundo real com empresas que existem apenas pra fazer de conta é muito injusto. Financiar essa injustiça com dinheiro público é criminoso.

Precisamos de uma “Lava-Jato” no Piauí. Urgente.